segunda-feira, novembro 05, 2018

Aflição, agonia, irritação...


Será que tudo isso acontece devido à nossa pouca fé?? Todos esses sentimentos rondaram o meu dia hoje. Quem acredita em Deus e em Jesus não deveria se deixar dominar por esses sentimentos tão sórdidos e negativos. Esse baixo astral. Sabemos muito bem que estamos aqui mergulhados nesse pobre planeta de expiação e provas, não nos lembramos das besteiras que já fizemos em nossas vidas passadas. As situações vão se apresentando diante de nós, as mais variadas, das mais tristes e desesperadoras, às mais felizes, alternando-se rapidamente, freneticamente. Muitas vezes, somos levados a tomar atitudes desvairadas e nos arrependemos depois.

Já falei antes sobre arrependimento aqui. Atire a primeira pedra quem nunca se arrependeu de nada. Duvido que exista tal pessoa.

Como escapar desse rolo compressor?? A gratidão é uma forma de tentar driblar esses sentimentos mesquinhos, vamos olhar pra tudo de ótimo que temos ao nosso redor e vamos começar a agradecer por tudo. Agradecer muito, sempre e sempre. Pelos cinco sentidos, pela luz que chega às nossas retinas, pelo sol, a lua, as estrelas, as árvores, a saúde e até a doença, que faz com que valorizemos ainda mais a saúde. O riso da criança, o perfume das flores, o cheiro do mar. As viagens, nossos pés que nos conduzem pelas caminhadas pelo quarteirão.

A lista é quase infinita. Vamos exercitar esse novo olhar, e as coisas começam a ficar mais leves, mais fluidas, as necessidades vão diminuindo, as aflições vão virando sentimentos bobos que podemos aposentar.... A agonia vai desaparecendo em meio às sensações suaves da gratidão que brota de dentro dos nossos corações. A irritação perde completamente a razão de ser.

A gente vai evoluindo bem devagarinho, mas vai.

Passamos a cultivar um olhar mais espiritualizado, valorizando bem menos as coisas materiais do que as imateriais. A idade tem disso também, quando aprendemos o bem envelhecer, o bem sofrer. Porque não tem só alegrias e felicidades na vida e o bacana é justamente aprender com a experiência a lidar com os momentos menos felizes. De que jeito?? Usando mais a nossa fé. Caramba... com um pai tão poderoso quanto Deus e um irmão tão amoroso quanto Jesus, a gente pode relaxar. Deitar a cabeça no travesseiro e esperar pela viagem astral que nos levará a caminhos que estejam na mesma sintonia da nossa alma.

Se você não acredita em Deus, não faz mal. Agradeça ao Universo, ao fato de estar vivo, aos seus pais, que te concederam a Vida.

Sejamos mais leves, tenhamos mais fé, pratiquemos mais a gratidão. Cultivemos o amor, a caridade. Experimentemos a alegria da caridade praticada no dia a dia, com o nosso próximo mais próximo, dentro de casa mesmo. O perdão... exercitemos mais o poder de perdoar sempre (e esquecer). Estaremos tão preocupados em encontrar motivos para agradecer, que os percalços da vida vão passando a segundo plano.

Ah, que mundo maravilhoso....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!