segunda-feira, julho 18, 2011

Ah, l'amour!

O amor é o tema principal desse blog, como todos já sabem.

Algumas pessoas me mandam emails, e eu sempre respondo, mas algumas delas são tímidas (por isso o post anterior) e não desejam compartilhar suas histórias e eu respeito, embora acredite que um pode muito bem aprender com a experiência do outro. mas, vá lá.

O caso é que fiz um post uma vez, sobre a recuperação da confiança que até hoje atrai leitores aqui pro meu lindo blog.

Eu mencionei um filme e acabei não dando a ficha técnica. Muita gente me pede. O filme se chama The Last Kiss e tem mais informações sobre ele aqui

Mas esse assunto - a traição - é um dos mais recorrentes e mais inesgotáveis da literatura do amor. Tem um monte de frases para justificar o "pulo da cerca" - a carne é fraca, a ocasião faz o ladrão e por aí vai....

Acontece que estou lendo um livro muito bacana, que já me arrancou lágrimas, inclusive, em profusão, chamado "Transição Planetária", do Divaldo Franco. E olha que estou na metade, ainda, para tentar absorver todas as informações que ele nos dá, do lado de lá da vida.

Uma das (muitas) coisas que me chamou a atenção foi quando ele nos conta que a mídia tem sido influenciada negativamente para abordar a traição como se fosse uma coisa banal, quando, na verdade, ela é fruto de muita dor e de muito sofrimento.

Se você está com uma pessoa e sente atração por outra, o que você deve fazer? :
Minha dica: pedir para "não cair em tentação". Mesmo porque a gente fica com aquela ilusão de que a grama do vizinho é sempre mais verde do que a nossa, de que nós temos direito à felicidade plena (bobagem, se tivéssemos esse direitoa essa qualidade de felicidade não teríamos encarnado em um planeta de expiação e PROVAS). Quem pode nos garantir que essa situação não é justamente a prova que nós mesmos pedimos a Deus para testar a nossa chamada "evolução espiritual"? E palavras como renúncia não costumam fazer parte da pauta da mídia, não é mesmo??

Mas é sublime renunciar a um "amor" enganoso em detrimento de apostar na felicidade ao lado daquela pessoa que sempre esteve conosco, na dor e na alegria, no sol e na chuva. Casamento é isso, É compromisso. E pode ler como namoro, ou noivado, o nome não importa, o que importa é o compromisso assumido com aquela pessoa. Cada vez que o relacionamento atravessa uma crise, ou uma tempestade, ele se fortalece mais.

Mas precisamos ter a coragem de resistir à tentação. Senão, a tendência é que as coisas piorem ainda mais na nossa vida. Mais dor, mais sofrimento, e o sabor amargo do arrependimento.

#prontofalei.

2 comentários:

  1. Falou tudo Silvia... É verdade, a traição só traz coisas negativas :s

    Sim, estou meio distante do blog... Mas vou voltar a postar mais coisas =D Comigo está tudo bem graças a Deus e com vc? Qual é o seu outro blog?

    Beijão.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo6:55 PM

    ate hj nao entendo como vc nao é colunista...

    otimo texto!

    Bjuz, naninha

    ResponderExcluir

Sua participação é muito importante para nós!