terça-feira, fevereiro 28, 2006

Lista das manias

A Sandra convidou e eu aceitei.

1) Roer unha (desde criancinha, herança paterna)
2) Ler (quase que o tempo todo, incluindo bulas de remédios)
3) Comer qualquer coisa só pra não ter que gastar um tempão na cozinha, quando há tantas coisas mais interessantes a serem feitas (tipo ler, por exemplo)
4) Escrever (sempre, desde que os textos eram rabiscados em cadernos de capa dura)
5) Gritar quando fico brava (ahá! sabiam disso??)
6) Ficar com muitas janelas abertas ao mesmo tempo
7) Ouvir notícias pela rádio Eldorado todas as manhãs
8) Ouvir rádio no carro e às vezes cantar em voz (muito) alta (sem olhar p/ os lados).
9) Achar que sou boa motorista e implicar com gente que anda muito devagar na pista da esquerda.
10) Fazer pelo menos duas coisas ao mesmo tempo (tomar café da manhã e ler, por exemplo)
11) Dar (muita) liberdade aos meus filhos e depois não conseguir mais ser “durona”.
12) Reclamar (muito) quando o Guilherme pede p/ descascar a maçã p/ ele comer.
13) Ficar (muito) preocupada quando não tenho trabalho/$ p/ receber
14) Ser (muito) indecisa
15) Achar que escrevo bem (sou um pouco convencida, de tanto os outros falarem...)
16) Ir à Seara pelo menos uma vez por semana, cuidar do meu lado espiritual.

O Guilherme, que convive comigo há muito tempo, disse que eu não tenho nenhuma mania (acho que ele foi bonzinho). Mas até que consegui confessar algumas, né? Convido agora a Alê, a Luciana e a Pri a confessarem algumas das suas manias...

segunda-feira, fevereiro 27, 2006

O chapéu violeta


Recebi esse texto por e-mail já faz tempo.
Mas ele continua sensacional. Vale a pena reler.

CHAPÉU VIOLETA

Aos 3 anos: ela olha para si mesma e vê uma rainha.

Aos 8 anos: ela olha para si mesma e vê Cinderela.

Aos 15 anos: ela olha para si mesma e vê uma freira horrorosa (mãe, eu não posso ir pra escola desse jeito!!!).

Aos 20 anos: ela olha para si mesma e vê "muito gorda/muito magra, muito alta/muito baixa, muito liso/muito encaracolado", mas decide que vai sair assim mesmo...

Aos 30 anos: ela olha para si mesma e vê "muito gorda/muito magra, muito alta/muito baixa, muito liso/muito encaracolado", mas decide que agora não tempo para consertar essas coisas então vai sair assim mesmo...

Aos 40 anos: ela olha para si mesma e vê "muito gorda/muito magra, muito alta/muito baixa, muito liso/muito encaracolado", mas diz: pelo menos eu sou "limpa" e sai mesmo assim...

Aos 50 anos: ela olha para si mesma e vê: "eu sou" e vai para onde ela bem entender...

Aos 60 anos: ela olha para si mesma e se lembra de todas as pessoas que não podem mais se olhar no espelho. Sai de casa e conquista o mundo...

Aos 70 anos: ela olha para si mesma e vê sabedoria, risos, habilidades, sai para o mundo e aproveita a vida...

Aos 80 anos: ela não se incomoda mais em olhar para si mesma. Põe simplesmente um chapéu violeta e vai se divertir com o mundo!

domingo, fevereiro 26, 2006

Ah! A mídia brasileira!!

Obrigada, Mônica Bérgamo. *
Com toda a certeza, a assessora de imprensa do Bono Vox, a Frances, perceberá hoje como a imprensa brasileira é "rebelde", coisa que facilita muito o meu trabalho de assessora de imprensa ao lidar com a gringolândia.
Os americanos podem ser legais, inteligentes, espertos, podem querer salvar o mundo etc. e tal. Mas em se tratando de imprensa brasileira, eles estão a anos-luz de entender uma coisa chamada "liberdade de imprensa". A moça achar que poderia "controlar" a colunista da Folha, dizendo qual foto deveria e qual não deveria ser publicada foi o máximo da atitude "sem-noção" que assola os PR managers norte-americanos (desculpe pela generalização, talvez injusta).
Mas minha experiência de pelo menos seis anos lidando com essa galera me permite fazer várias considerações sobre o tema:
- a formação do jornalista e do relações públicas é bem diferente. O jornalista se forma e começa a trabalhar tendo em vista o interesse do "leitor", esse ser impreciso, que compra ou assina jornal. O relações públicas põe na frente o interesse de quem o contrata. Esse é o primeiro conflito básico. Quem está certo? Ambos, cada um do seu ponto de vista.
- a turma lá de fora acha que os jornalistas tupiniquins deveriam ficar em êxtase com a possibilidade de entrevistar (sempre em inglês, of course - que eles não estão nem um pouco interessados em aprender nenhuma palavrinha em português, assim como fizeram Mick e Bono) um vice-president qualquer, que não tem nenhum fato a informar. Sorry, mas as coisas não são assim aqui abaixo do Equador. Daí, toca a genter explicar isso (em inglês) a uma arrogante e prepotente gerentezinha/o de marketing qualquer lá de fora.... Ai, ai. Cansa a beleza, viu??
Com a publicação da foto permitida e da proibida, lado a lado, a Mônica Bérgamo não sabe o serviço prestado involuntariamente a quem, como eu, tem que lidar com essas pessoas no dia-a-dia!!
Tão pensando que podem determinar o que a imprensa brasileira deve ou não deve publicar? Ah! quer saber?? Frances, my dear, faça como os integrantes do modorrento Big Brother 6 e vá pentear macacos, OK??
(*) Ela assina a "coluna social" da Folha de S. Paulo. Nesse domingo, retratou o jantar oferecido pelo ministro da Cultura, Gilberto Gil e sua mulher Flora, ao músico Bono Vox e sua trupe.

terça-feira, fevereiro 21, 2006

Vaca Voadora

1) O Tom reatou com a Rafa.
A música deles é Ai, ai, ai, da Vanessa da Mata:

Se você quiser eu vou te dar um amor
Desses de cinema
Não vai te faltar carinho,
Sonho ou assunto ao longo do dia
Se você quiser eu largo tudo
E vou pro mundo com você meu bem
Nessa nossa estrada
Só terá belas praias e cachoeiras
Aonde o vento é brisa
Onde não haja quem possa
Com a nossa felicidade
Vamos brindar a vida meu bem
Aonde o vento é brisa
E o céu claro de estrelas
O que a gente precisa
É tomar um banho de chuva.

Legal, né?

2) Só pelo nome do blog já se vê que é criativo!! Vale MUITO o clique!!

3) Você reparou que tem publicidade agora no Consulta? Eu vi um tijolinho do Boticário e um anúncio em italiano, sobre passagens aéreas bem baratinhas... Será que isso cola?? Fiz a inscrição num dia de desespero, que os há, quando se está desempregada... Hahaha!! O Google diz que: "Assim que você tiver atingido US$50,00 com os seus ganhos do AdSense para conteúdo, enviaremos um número de identificação pessoal (PIN) para o endereço de correspondência que você nos forneceu. Para que você possa receber os seus pagamentos, é necessário que você insira esse PIN na sua página Informações sobre a conta. Enquanto isso, você poderá exibir anúncios e caixas de pesquisa do Google nas suas páginas, além de continuar a acumular ganhos". Será???

quinta-feira, fevereiro 16, 2006

Novos links

Blogs não são descartáveis. Me corta o coração cada vez que algum amigo ou amiga virtual resolve assassinar o seu. Que baitas saudades do Aqui em DC, do blog da Nana, da minha amiga Morgana que mora na Irlanda, da Cris Alcântara do Ego Confession!! Mas tem link novo no pedaço: o do blog da Fran, o Folhetim e o Uma Canceriana.

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Fábula do Esforço Vertical

O projeto do desvio estava pronto. Tudo certo. O trânsito seria desviado por dentro da cidade. Todo o esquema preparado. Reunião para rever o trajeto do desvio. Depois de muita discussão, técnicos propuseram que o tráfego, ao invés de ser jogado para dentro da cidade, fosse conduzido para o contrafluxo da pista, por cima do viaduto existente.
Resposta:
- Não posso. É impossível fazer essa mudança norte-sul no desvio devido ao peso próprio do viaduto e ao esforço vertical sobre os pilares. Não posso pôr muita tonelagem em cima.
~~~~~~ silêncio ~~~~~~
- Bem, diante dessa explicação técnica, a gente tem que aceitar, então.
Moral da história: De vez em quando, falar difícil pode resolver todos os seus problemas. Pense nisso.

terça-feira, fevereiro 14, 2006

Lua cheia


A lua exerce poder sobre os seres humanos. Espero que seja um poder bem bacana, porque hoje quando acordei, ela tava beijando minha janela, meu quarto, banhando tudo com aquela sua luz especial, dominando o céu de verão.
Nessas horas, o melhor a fazer é agradecer por aquela beleza iluminando a vida da gente. Temos tanto a agradecer, e às vezes a gente se esquece disso.

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Repetitiva


Notei que com a idade a pessoa se torna repetitiva. Tem gente que me conta trezentas vezes a mesma coisa. Tenho muito medo de me tornar repetitiva. Mesmo porque ninguém que te ouve fala: você já me contou isso. O melhor a fazer é se libertar do passado e contar só o que aconteceu ontem, por exemplo. A gente se empolga e começa a querer contar as coisas que aconteceram há muito tempo e pronto! o círculo vicioso do tempo tá formado. Acho que a Luciana Kobayashi, por ser uma mocinha muito educada, nunca me falou, mas tenho a nítida impressão que conto as mesmas coisas pra ela, quando a gente se encontra. Pra Alê também devo ter contado as mesmas coisas, algumas vezes.

Mudando de assunto, descobri nesse fim de semana que tenho uma coisa chamada enxaqueca com aura. Nem queira saber como é uma coisa chata, viu?? Eu perco completamente a minha famosa calma quando acontece. Mas agora pelo menos já sei que não vou ficar cega por causa disso (acho...). Jacque??

Mudando de assunto 2: descobri o novo blog da Renata, de Brasília. E às vezes parece que sou eu que tô escrevendo o que ela escreve. Louco isso, né? Já falei isso pra ela umas trocentas vezes. Por isso comecei falando da coisa de ser repetitiva... E olha eu sendo repetitiva de novo... Argh!!

sexta-feira, fevereiro 10, 2006

Um texto completamente diferente

Resolvi variar... espero que gostem.
Bjs

Comunicação multimídia

Não percamos a “banda larga” da história!

Foi-se o tempo em que era necessário sintonizar o rádio ou (pior) esperar pelo jornal impresso para se informar sobre as notícias. Hoje, a comunicação não cabe mais no rádio, no jornal, na TV, na revista e nem mais na Internet. A comunicação, nos dias de hoje, está pulverizada também em produções independentes de vídeo, DVD, nos blogs, celulares, em redes de relacionamento como o Orkut, em programas peer-to-peer. Tudo acontece ao mesmo tempo, agora. Tempo real, velocidade, bandas cada vez mais largas, para conteúdos cada vez mais densos.

Um dos perigos dessa explosão desordenada da comunicação é não sabermos lidar com o excesso de informação. Temos que aprender a separar o que é útil e importante do que não serve. Mas esse é outro capítulo.

A TV, nesses tempos de comunicação multimídia, também é outro veículo que passará por fortes transformações. Primeiro, foi a TV a cabo. Começamos a ter intimidade com os seriados norte-americanos e temos acesso às notícias de redes internacionais como a CNN antes que sejam traduzidas e editadas pelos telejornais brasileiros. Agora, aguardamos que se tornem reais as promessas da TV digital, inovação inevitável. Dentro de alguns anos, a alta qualidade da imagem e a interatividade sem limites vão determinar a maneira como vamos nos relacionar com o conteúdo multimídia.

Além das notícias, um novo mundo de entretenimento se abrirá para todos. Não é preciso nem mesmo ter uma bola de cristal para adivinharmos que filmes, vídeos, músicas, fotos, jogos estarão disponíveis a um clique do controle remoto do chamado “entertainment PC”. Bill Gates, o visionário fundador da Microsoft, em entrevista a Stephen Cole, do programa Click Online da BBC, apresentou o Media Center PC em fevereiro do ano passado, e afirmou que o computador pessoal (da sigla em inglês PC) vai se tornar o centro desse estilo de vida digital. “As pessoas não querem um monte de aparelhos que só fazem uma função. Elas não querem ter que aprender como programar um aparelho para fotos, outro para música e outro para vídeo. E você quer a riqueza e os gráficos que só o PC pode lhe proporcionar”, analisou. Esse novo PC, que começa a chegar agora ao mercado, deve ocupar o lugar da TV, do DVD player, e até do antigo projetor de slides (quem ainda se lembra?).

Redes conhecidas como peer-to-peer, cujo exemplo mais conhecido é o controvertido Napster, serviço de compartilhamento de música no formato MP3, ampliam exponencialmente o poder de comunicação das pessoas e corporações. Ainda que o Napster não tenha sobrevivido, a idéia original continua viva em sites como Kazaa, Shareaza e iMesh, entre outros.

A comunicação em redes modifica a perspectiva que norteou a maioria dos estudos sobre comunicação multimídia realizados até hoje. Quem trabalha na área de Comunicação não pode deixar de lado todos esses conceitos e inovações, sob pena de perder a “banda larga” da história.

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Semana decisiva

E uma nova semana chega, recheada de calor.
Ontem teve aula de hidroginástica na piscina do clube.
Já que tá calor, vamos aproveitar o que o Verão tem de bom, certo??

E para começar a semana em alto astral, segue um link muito legalzinho de joguinhos delicados e femininos, com musiquinha suave e sem violência.
Altamente recomendado!!!

Boa semana!

sábado, fevereiro 04, 2006

Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima!

Deixa eu rapidamente "apagar" a má-impressão que posso ter causado com o desagradável post abaixo. Acabo de voltar da Seara e as palestras foram sobre "esquecer o passado" e "mente aberta".

A principal lição que aprendi foi tentar controlar meu irritante senso crítico. Criticar por criticar realmente não leva a nada. É como se a mente da gente fosse um radinho que pode se sintonizar em estações e estações. Vamos escolher uma estação legal, com pensamentos bons p/ nossa alma, sutis, leves, gostosos.

Ai, caramba... A gente erra, tropeça, conserta e assim vai.
Também se eu quisesse ser infalível, seria muito pretensiosa, né?

sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Olha...

Tá tudo muito bem, tá tudo muito bom. Mas, realmente, agora a barra começou a pesar. O mês virou e com ele, as contas a pagar duplicam, triplicam e assim vai.

Essa sexta-feira pode ser decisiva ou, quem sabe, a segunda. E tudo isso me desvia da decisão que tomei há uma semana. Pessoa mais volúvel e atrapalhada do que eu, nesse exato momento, não há.

Número dois: procuro preservar você, caro(a) leitor(a), dos dissabores da minha vida. Mas se blog é mesmo um diário virtual, minha honestidade “cachorral” (do horóscopo chinês) me impede de deixar você sem saber o que se passa na minha alma de profissional “inteligente, competente”, mas triste por não poder usar o meu talento e fazer com que ele renda $$ capaz de ajudar meu marido a sustentar a nossa família...

Eu prezo muito esse meu blog e não quero que ele tenha índices elevados de page views, porque prefiro a qualidade à quantidade. Adoro você, que vem aqui de vez em quando, e que deixa um comentário (ou não). Minha vidinha é tão insignificante... Fico comovida ao ver que algumas pessoas se interessam sinceramente por mim, pelas minhas aventuras e desventuras. Minha mais recente decisão é participar de concursos literários, pra ver se ganho algum prêmio que ajude a pagar as contas...

Nem todo dia o nosso astral tá lá no alto, né?

Pra ilustrar, uma outra poesia inédita chamada "Uma flor pode morrer de tristeza":

Sobre a névoa eu me deito e rolo, sabendo seu gos-
to, querendo fugir, fingir que não, nela sou envolvi-
da. Sou a névoa que sobe, desce, gira, encobre, re-
cobre, desaparece no escuro, volta de repente, re-
pentinamente. Me rolo no mundo, na névoa, na cama. Pro-
curo o sono sem sonho que a névoa substitui. Es-
tico o pensamento, o corpo se encolhe. A pergunta fi-
ca ardendo, coçando no telencéfalo. Minha asma der-
rete a vontade de espichar os dedos da mão e do pé, me-
lhor é ficar calada antes que me digam pra ca-
lar, antes que o calo incomode e reclame do modelo des-
te calçado. Os olhos enxergam turvo (é a névoa incan-
descente). As coisas querem não mais serem vistas. Aque-
la flor perde a cor. Aqueles olhos de vidro deixam de re-
fletir. Aquele espelho fica mudo. Tudo porque o mun-
do só consegue chegar aqui via Embratel. A Humani-
dade fica enevoando a vida e quando eu quero sentir pin-
gos de chuva sinto tanta dificuldade...

(vamos ver que no vai dar essa minha "diagramação" quando entrar no "ar")

quarta-feira, fevereiro 01, 2006

+ poesia, médica, entrevista, mouse

1) Hoje fui à médica (endócrino) e ela me pediu um mooonte de exames. Engordei de novo.
2) Na sala de espera, escrevi poesias compulsivamente...
3) Fui fazer uma entrevista de frila na Fiesp. Achei chique, como diria a Giose.
4) Mouse novo, com um peixinho nadando. Agora só falta o teclado novo. Esse caiu no chão e a barra de espaço ficou uma droga!!