quarta-feira, agosto 29, 2012

A menininha de 6 anos

- Mãe, se liga vai, já passou dessa fase, cresce........vc é a mãe da família, deveria ajudar sempre e não ficar chorando. 

Ou seja, mãe não tem mais direito a colo, a se entristecer, a se perceber como a última das criaturas... 

E daí?? E naqueles dias em que tudo o que você quer é voltar para debaixo dos seus cobertores e afundar o rosto no travesseiro e esperar o tempo passar?? 

E nos dias em que você faz uma besteira e se arrepende, mas não adianta, porque o estrago já foi feito? 

E nos dias em que você descobre que tudo o que você considerava sólido desmancha-se no ar e você percebe que a matéria, assim como a concebemos no nosso raciocínio, não existe? 

E nos dias em que fica difícil demais se concentrar nas tarefas do dia a dia quando você tem questões filosóficas fundamentais internas para resolver? 

E nos dias em que você se enche de uma tal maneira de ouvir todo mundo te pedir coisas e percebe, de repente, que você é a única que não pede coisas para ninguém, ou pior, nos dias em que você percebe que quando pediu alguma coisa ninguém fez? 

E nos dias em que o seu horóscopo te diz que nada vai dar certo? 

E nos dias em que você vem carregando uma garrafa d'água e ela simplesmente pula pra fora da jarra molhando todo o chão? 

E nos dias em que você se lembra daquela menininha de seis anos que brincava distraidamente no pátio do colégio, quando duas "cavalonas" de mãos dadas a atropelam e ela quebra "só" o dente da frente (já o definitivo), além de arranhar os dois joelhos, etc... e não derrama uma lágrima sequer, por "vergonha"! apesar de toda a dor? 

Depois, ela fica na aula, disfarçando a dor e a vergonha, tentando parecer "normal".... Vai ver que é por isso que ela chora tanto hoje em dia, por ter represado todas aquelas lágrimas no seu peite infantil. 

Tem dias em que mesmo as mães precisam de colo. 

É isso. 

sexta-feira, agosto 17, 2012

Confiança se recupera? (3)

Hoje recebi mais uma consulta sentimental. Como as pessoas sofrem por amor, né?? ai, ai....
Decidi responder por aqui, porque ninguém mais está me autorizando a publicar, e, desse jeito, o blog acaba morrendo. Até template novo pra escrever os posts já tem aqui no Blogspot e eu nem sabia...

Vamos lá! Recebi o seguinte e-mail:


Bom, eu namoro há aproximadamente 5 meses e no começo foi muito difícil. Eu tenho 19 anos, mas os meus pais me protegem muito, digamos que eles me criaram para eles, não para o mundo. E isso dificultou muito o nosso namoro, pois não era sempre que eu podia sair para encontrar ele.
Enfim, essa fase passou e tudo ficou muito lindo, muito maravilhoso até que ele começou com as perguntas sobre o meu passado. Eu, particularmente, não gosto muito de falar sobre ex-namorados para o meu atual, pois isso já me rendeu muitas brigas em relacionamentos passados. Pois bem, ele me perguntou uma coisa que mexe muito comigo, e que eu pensei que ele não fosse aceitar, então eu menti.
Mas isso foi me corroendo por dentro, então resolvi contar para ele que eu menti. Até porque se eu não contasse, ele iria acabar sabendo por outras pessoas e no meu ver, seria pior.
Foi horrível. Ele ficou acabado, e eu fiquei muito mais ao ver ele naquela situação e saber que a culpa era minha por ter mentido. Ele disse que não confia mais em mim e que não sabe se voltará a confiar. E eu não sei o que fazer para fazer ele confiar novamente em mim.
Você poderia me ajudar, por favor?

Resposta: 

Em primeiro lugar, pais protetores não têm o poder de dificultar namoro algum. Você não deve culpá-los por isso.  O amor é sempre maior do que qualquer empecilho que seja: tempo, distância, pais protetores, etc. 

Se você sempre foi tão protegida, como é que tem um "passado" assim tão comprometedor, do qual prefere não falar? Também não entendi muito bem essa parte. Também não entendi o que foi que ele perguntou que mexeu tanto com você. Mas imagino. E como ele ficaria sabendo da verdade por outras pessoas? Vejo dois problemas até aqui: o primeiro por ter mentido e o segundo por ter decidido contar a "verdade" depois. 

Veja bem, não estou dizendo que a escolha pela mentira foi das melhores, porque a mentira sempre tem as perninhas curtas, como dizem as nossas avós. Mas uma vez que você decidiu mentir, contar a verdade depois só piora a situação... 

Mas, se você quer reconquistá-lo, é só ler com muita atenção o meu post de 4 anos atrás, lá tem muitas dicas e continuo a acreditar piamente em tudo o que eu falei lá (inclusive a parte do "orgulho ferido"). 


Tudo é possível, quando se tem 19 anos. A gente tem impressão que os sofrimentos são atrozes, que ninguém no mundo sofre tanto quanto a gente, mas posso te garantir que você tanto poderá ser feliz com ele, se decidir se dedicar a esse amor e a essa reconquista, como você poderá encontrar outro garoto e agir com mais sabedoria para não colocar tudo a perder e ser tão ou mais feliz. Tudo é possível. E a resposta não está aqui no meu blog, mas dentro do seu coração. A decisão é sua, minha querida. Reflita, veja bem, sinta o seu coração e vá à luta! (ou não!) 

Volte depois para me contar o que aconteceu. 

Boa sorte e bjs, 

Silvia