quarta-feira, novembro 30, 2005

Trabalho
Antes, o assunto "trabalho" era proibido aqui neste blog. Era um "tabu", digamos.
Mas agora não preciso mais me esconder, esconder meu nome completo, meu e-mail, posso assumir minha identidade verdadeira, que nem uma super-heroína que tenha enfrentado perigosos bandidos e agora pode ser quem ela é. A sensação de liberdade é ótima!
Posso tudo!! Me sinto poderosa, livre e feliz, ainda que "dura".

Estou trabalhando muito. Buscando meus verdadeiros interesses e motivações.
Buscando novos caminhos, novas pessoas, novos lugares. Cada dia faço um trajeto diferente.

Essa semana estou na Burson. E adorando. O ambiente lá é maravilhoso. Eu adoraria fazer a comunicação interna lá. Fazer follows com jornalistas e todas aquelas armações próprias dos assessores de imprensa... Tudo isso está fora de cogitação, pelo menos por enquanto. O "operacional" realmente não serve mais pra mim. Outra coisa que me motivaria muito seria ensinar a moçadinha a evoluir. Quem sabe o destino não me reserva alguma surpresa boa em 2006?

Eu estou cheia de esperanças. Novas possibilidades, novos ares, Natal, ano novo, tudo novo...

É mentira que eu não quis mais atender a Intel. E só existe uma pessoa no mundo que poderia ser minha testemunha. Sonhei com ela 4 vezes depois da demissão.
- Eu disse para a Intel que você não queria mais atender a conta, tudo bem? - falou a chefe.
O que eu poderia responder? Eu achava que ela estava sendo "legal" comigo. Mas a mentira nunca é uma coisa legal. Eu deveria saber.
- Tudo bem - disse eu.
E apenas uma pessoa presenciou esse diálogo. Pessoa que jamais arriscaria o seu pescoço para me dar razão. Mas tudo bem. Nada como um dia depois do outro.

Não odeio ninguém. Acho que tenho mesmo lições a aprender. Sempre e com todas as pessoas. Tenho que aprender a ser menos "inocente" e a parar de acreditar que o mal não existe. Desse jeito, eu não consigo me defender. Já falei isso antes, mas agora, resolvi usar esse "consultório" como um "confessionário" e falar tudo o que andou engasgado na minha garganta nesses últimos três anos. Fofocas, injustiças, malediscência. Isso não poderia dar certo, por mais "forte" que eu me achasse.

Bom, é isso por hoje. Tenho uma matéria pra escrever pro site Universia.

E tem o blog da Fran, que entra djá p/ os meus favoritos. Nossa, como ela escreve bem!!! Quase me fez chorar em plena Burson...

quinta-feira, novembro 24, 2005


Mandalas
Tô na fase das mandalas.
Tudo "culpa" da minha amiga Eli, que me encomendou uma mandala de mosaico.
Vou fazer muitas, de hoje em diante...

Para ir treinando o espanhol, aqui tem algumas explicações:

MANDALA

Mandala significa círculo en sánscrito. Esta palabra es también conocida como rueda y totalidad. Más allá de su definición como palabra, desde el punto de vista espiritual es un centro energético de equilibrio y purificación que ayuda a transformar el entorno y la mente. También se le define como un sistema ideográfico contenedor de un espacio sagrado.

Los mandalas son utilizados desde tiempos remotos. Tienen su origen en la India y se propagaron en las culturas orientales, en las indígenas de América y en los aborígenes de Australia. En la cultura occidental, fue Carl G. Jung, quien los utilizó en terapias con el objetivo de alcanzar la búsqueda de individualidad en los seres humanos. Jung solía interpretar sus sueños dibujando un mandala diariamente, en esta actividad descubrió la relación que éstos tenían con su centro y a partir de allí elaboró una teoría sobre la estructura de la psique humana.
Según Carl Jung, los mandalas representan la totalidad de la mente, abarcando tanto el consciente como el inconsciente. Afirmó que el arquetipo de estos dibujos se encuentra firmemente anclado en el subconsciente colectivo.

Los mandalas también son definidos como un diagrama cosmológico que puede ser utilizado para la meditación. Consiste en una serie de formas geométricas concéntricas organizadas en diversos niveles visuales. Las formas básicas más utilizadas son: círculos, triángulos, cuadrados y rectángulos.

Estas figuras pueden ser creadas en forma bidimensional o tridimensional. Por ejemplo, en la India hay un gran número de templos realizados en forma de mandalas. Los diseños son muy variados, pero mantienen características similares: un centro y puntos cardinales contenido en círculos y dispuestos con cierta simetría.

Según la Psicología, el mandala representa al ser humano. Interactuar con ellos te ayuda a curar la fragmentación psíquica y espiritual, a manifestar tu creatividad y a reconectarte con tu ser esencial. Es como comenzar un viaje hacia tu esencia, te abre puertas hasta ahora desconocidas y hace que brote tu sabiduría interior. Integrarlas a tu vida te dará centro y la sensación de calma en medio de las tormentas.

El trabajo de meditación con mandalas puede consistir en la observación o el dibujo de éstos. En el primer caso, con sólo sentarte en un lugar cómodo, lograr una respiración rítmica y profunda, y disponerte a observar algún mandala de tu elección, puede llevarte a un estado de relajación y te sentirás más alerta ante los hechos que suceden a tu alrededor. El proceso de observación puede durar entre tres y cinco minutos.

En el segundo caso, puedes dibujar mandalas o colorearlas. Se recomienda que si estás vinculándote con estas imágenes, comiences por pintarlas. Para ello, escoge un modelo que te inspire, selecciona los instrumentos (colores, marcadores, acuarelas, por ejemplo), y luego instálate en un sitio tranquilo. Puedes colocar música si lo deseas y comienza tu trabajo. Hay técnicas variadas, todo dependerá del tu estado de ánimo y de lo que el mandala que desees pintar te transmita. Si crees que necesitas ayuda para exteriorizar tus emociones, puedes colorearlas de adentro hacia fuera; si por el contrario, quieres buscar tu centro, píntalas de afuera hacia adentro.

Este es un trabajo que puede hacer cualquier persona, sin importar su edad o religión. Es una práctica sencilla que redundará en beneficios personales y en la consecución del equilibrio interno.

Beneficios de dibujar o pintar mandalas

1) Comienzo de un trabajo de meditación activa.
2) Contacto con tu esencia.
3) Te expresarás mejor con el mundo exterior.
4) Ayuda a expandir tu conciencia.
5) Desarrollo de la paciencia.
6) Despertar de los sentidos. Es probable que comiences a ver lo que está a tu alrededor con otros ojos.
7) Empiezas a escuchar la voz de tu intuición.
8) Te aceptarás y te querrás más.
9) Te curarás física y psíquicamente.

Formas y sus significados

Los mandalas no son simples dibujos de colores. Todos los elementos que en ellos se integran tienen un significado. Conoce algunos de los más utilizados:

Círculo: movimiento. Lo absoluto. El verdadero yo.
Corazón: sol. Amor. Felicidad. Alegría. Sentimiento de unión.
Cruz: unión del cielo y la tierra. Vida y muerte. Lo consciente y lo inconsciente.
Cuadrado: procesos de la naturaleza. Estabilidad. Equilibrio.
Estrella: símbolo de lo espiritual. Libertad. Elevación.
Espiral: vitalidad. Energías curativas. Búsqueda constante de la totalidad.
Hexágono: unión de los contrarios.
Laberinto: implica la búsqueda del propio centro.
Mariposa: autorenovación del alma. Transformación y muerte.
Pentágono: silueta del cuerpo humano. Tierra, agua, fuego.
Rectángulo: estabilidad. Rendimiento del intelecto. La vida terrenal.
Triángulo: agua, inconsciente (hacia abajo); vitalidad, transformación (hacia arriba); agresión hacia uno mismo (hacia el centro)

¿Qué quieren decir los colores?

El uso de los colores en los mandalas también tiene un significado especial. Su uso está relacionado con el estado de ánimo de quien los pinta o dibuja. Descubre lo que esconde cada tonalidad:

Blanco: nada, pureza, iluminación, perfección.
Negro: muerte, limitación personal, misterio, renacimiento, ignorancia.
Gris: neutralidad, sabiduría, renovación.
Rojo: masculino, sensualidad, amor, arraigamiento, pasión.
Azul: tranquilidad, paz, felicidad, satisfacción, alegría.
Amarillo: sol, luz, jovialidad, simpatía, receptividad.
Naranja: energía, dinamismo, ambición, ternura, valor.
Rosa: aspectos femeninos e infantiles, dulzura, altruismo.
Morado: amor al prójimo, idealismo y sabiduría.
Verde: naturaleza, equilibrio, crecimiento, esperanza.
Violeta: música, magia, espiritualidad, transformación, inspiración.
Oro: sabiduría, claridad, lucidez, vitalidad.
Plata: capacidades extrasensoriales, emociones fluctuantes, bienestar.

terça-feira, novembro 22, 2005

O Bazar foi muito legal. Pena que você não foi!
Deu bastante dinheiro até, no total.
Muita gente ameaçou ir e não foi, como sempre.
As oito cavaleiras + 1 cavaleiro do Art Garage Sale são:
- Adriana Dutra - Bijuterias quase jóias, lindas, charmosas, sem falar na simpatia da vendedora recifense da gema!!!
- Andréa Di Cunto - A verdadeira artista do grupo, afinal de contas, ela inventou a técnica de biscuit aerado e trouxa maravilhosas e perfumadas guirlandas com significado!
- Augusta Aliberti - Minha querida professora de mosaico produziu maravilhosos e estonteantes vasos, um mais bonito do que o outro!!
- Bia Lacerda - Com as fofíssimas caixas de dècoupage (sabe aquela técnica?) pintadas no maior capricho, coisa fina, mesmo!!
- Eli Serenza - Almofadas com fitas de cetim cruzadas formando xadrez (diz que o Fernando Henrique tem uma)
- José Leonardo Angerami - Meu pai fez presentes para homens, como é difícil!! e a Aparecida pintou originalíssimas microargolas para guardanapos de papel.
- Priscila Fiorin - Panos de pratos da série um-mais-lindo-que-o-outro.... e toalhinhas bordadas com ponto cruz.
- Silvia Regina Angerami - E os meus mosaicos, digamos, rústicos, perto dos da Augusta, né??
- Yara Arco e Flexa - A Yara tem o dom de fazer colares muito coloridos e modernos, com ou sem o brinco combinando. Seu hit é um colar com uma fadinha, muito meigo.

O grupo vai se apresentar novamente na Vila Madalena, no Caxingui, de novo no Jardim Bonfiglioli, sempre sob a marca registrada Art Garage Sale (que dá pra reaproveitar a faixa). Se quiser ir ao próximo, manda seu e-mail e/ou tel. pra mim: sangerami@gmail.com.

Olha a foto da fachada:

segunda-feira, novembro 21, 2005

Segundona - faxina, vida se renova
Foi com dor no coração que tirei alguns links de blogs queridos aqui do lado. Mas entrou o Língua de Trapo pra compensar.
Acrescentei um monte de gente no msn - I am free now!!!!
Volto já pra contar do bazar.

domingo, novembro 20, 2005

Ajuda
Querido(a) leitor(a), a Jacque está precisando de ajuda!!!
(Depois eu conto sobre o Bazar... Devido ao 'grande sucesso' resolvemos que ele continua hoje e eu vou lá pendurar a faixa agora).

segunda-feira, novembro 14, 2005

ART GARAGE SALE
É neste sábado!!!

Presentes de Natal com ARTE!!!!

O Bazar Art Garage Sale acontecerá no próximo dia 19 de novembro (sábado) das 10 às 17 horas, na Casa Amarela.
O evento vai reunir jornalistas, assessoras de imprensa, artesãs, mosaicistas e donas-de-casa que fazem algum tipo de “arte”: bijuterias, caixas para presente, mosaicos, pingentes de miçanga, almofadas, bordados. O grande atrativo são os preços, pra lá de convidativos.

Aproveite para se livrar dos congestionamentos dos estacionamentos dos shoppings e compre presentes diferentes, originais, criativos e – mais importante – baratos!

Lançamento!!
O evento vai apresentar os inéditos biscuits aerados de Andréa Di Cunto. São enfeites de Natal de extrema delicadeza e leveza, a preços a partir de 6 reais.
Outro destaque são as guirlandas tropicais de três tamanhos: 15, 20 e 30 cm.

Adriana Dutra – bijuterias
Alessandra Neris – caixas para presente
Andréa Di Cunto – biscuit aerado e guirlandas
Augusta Aliberti – mosaicos
Bia Lacerda – caixas pintadas
Catarina Pierangeli – pingentes de miçangas
Eli Serenza – almofadas e sachês
José Leonardo Angerami – peças naúticas
Ivani Costa – mosaicos
Priscila Fiorin – bordados, panos de prato
Silvia Regina Angerami – mosaicos
Yara Arco e Flexa – colares

sexta-feira, novembro 11, 2005

Fim da egotrip!
Brigou com o namorado? Coma um chocolate, sugere um out door espalhado pela cidade.
Como assim? Então o chocolate trará o namorado de volta? Duvido muito.
Por que uma coisa boa substituiria outra coisa boa? O amor, desculpe, é insubstituível.
Vale a pena lutar por ele, vale a pena pedir perdão, vale a pena perdoar, relevar.
Mas comer um chocolate? Ah, faça-me um favor, né? Fala sério.
Algumas propagandas têm uma “lógica” com a qual eu não concordo.
Comer o chocolate com o namorado, isso sim. Mandar uma caixa de chocolates pra casa dele com um bilhetinho: “me chama pra comermos juntos?”
Possivelmente, você tem um amigo especial. Ah, mas é “só” amizade? Bem, a amizade já é um bom começo. Porque quando termina aquela paixão ardente, o que “resta” é a amizade. Você precisa de alguém que tenha saco de te ouvir reclamar do mundo lá fora e que ainda por cima levante o seu ânimo, quando você estiver por baixo.
Pode acreditar em mim: não tem nada nesse mundo que substitua isso.
Nem dinheiro, nem carreira, nem nada.
All you need is love.

quarta-feira, novembro 09, 2005

Tô reagindo!!!
Pra começar, um teste muito fácil de fazer:

Your 1920's Name is:

Fannie Philomena


E algumas mensagens que li hoje, do livro "Serenidade":
- Ouvindo o apelo interior, cada um poderá, por si mesmo, devassar o mundo íntimo e espantar a sombra de melancolia que ameaça o equilíbrio.
- Não há mais tempo para se entregar aos conflitos da alma. Desenvolvamos a energia espiritual, que nos fortalece através do otimismo e da nossa postura digna diante de nós mesmos.
- Deus nos encontra sempre no lugar e na hora exata em que mais necessitamos do seu amor.
- Quando as lágrimas ameaçarem descer dos seus olhos, abrigue-se nas asas da prece e, confiante, continua sua jornada ao amparo das forças superiores.
(adorei "as asas da prece"! - linda figura de linguagem!!)

E tem o bazar ART GARAGE SALE no dia 19.
E tem as matérias que tenho que terminar...
E amanhã é dia de assinar a rescisão.
E o ano já tá acabando.

Mas acho que pra gente superar os momentos difíceis, o melhor a fazer é desviar a atenção do próprio umbigo. Porque a gente vai encontrar tanto pessoas mais infelizes, com problemas mais sérios, que fazem com que a gente perceba que não está assim tão mal, quanto gente muito feliz, que faz com que tenhamos esperança por dias melhores que virão. Ah, mas virão mesmo!!

quinta-feira, novembro 03, 2005

Spam!
Acabei de mandar exatos 468 e-mails com o meu currículo, que dizem que é "excelente", "fantástico", entre outros adjetivos. Se eu estou desesperada? Um pouco, né...
Mas como eu acredito muito em Deus, e naquele pedaço do Pai Nosso em que a gente diz "que seja feita a Sua Vontade", eu tento reunir minhas forças e vir "trabalhar" aqui no estúdio todas as manhãs bem cedo.
Mas às vezes, sou apenas um ser humano, com medos, inseguranças e preocupações bem "materiais". Às vezes sou apenas uma "garota" (apesar dos meus 47 anos) tentando acertar, tentando analisar onde foi que eu errei, como não errar mais no futuro, essas coisas.
Tenho umas matérias para fazer para o Universia, que a Monica é uma amiga muito legal, muito especial. E vou começar agora à tarde a ligar pras minhas "fontes".
E tô de mal com certas "amigas" que me deram furos seguidos e fiquei triste com elas, que nem comeram a torta de palmito que eu fiz para esperá-las ontem.

terça-feira, novembro 01, 2005

Já ouviu "Vida Diet", do Pato Fu?

Eu gostei muito. Tem a ver com o meu momento, embora eu esteja animada e na luta.

Vida Diet
Pato Fu
Composição: John

A gente se acostuma com tudo
A tudo a gente se habitua
E até não ter um lugar
Dormir na rua
A tudo a gente se habitua
Me habituei ao pão light
À vida sem gás
O meu café tomo sem açúcar
E até ficar sem comer
Sem te ver
A gente custa mas se habitua
Sem giz, sem água
Sem paz, sem nada
Não vai ser diferente
Se eu me for de repente
Se o céu cai sobre o mundo
E o mar se abrir
Em um inferno profundo
Se acostumou sem querer
Ao salto alto
Salário baixo, à vida dura
E até ficar sem tv
É bom pra você
Televisão ninguém mais atura

Sobre Halloween (ou Dia do Saci...)
Ontem a Biba reuniu aqui em casa umas seis amigas (e o irmão de uma delas) e foram tocar campainhas, fantasiadas, pedindo doces. Gente, deu tão certo!!! Elas voltaram "carregadas"!! Despejaram tudo no tapete de sala e começaram a divisão. Fiz pipoca e suco. Foi a maior festa.
Podem dizer que não tem a ver com a cultura brasileira, coisa e tal. Mas eu não acho. Acho que quanto mais festa, tanto melhor. Vamos "importar" as coisas boas. E daí que não tem a ver com a cultura brasileira? Passa a ter e pronto.