quinta-feira, fevereiro 23, 2012

Separação


Meus pais se separaram quando eu tinha 15 anos.
Foi uma fase complicada. E eu, surpreendentemente, nunca tinha tocado no assunto aqui no blog. E quando tudo acaba? O que fazer??
Resolvi falar nesse assunto depois de uma conversa pelo bate-papo no Facebook com uma grande e querida amiga, que mora distante.
Ela me perguntou o que devia fazer, porque uma amiga sua estava se separando e e
Ela estava cansada e pesada de tanto ouvi-la. E algumas pessoas diziam para ela que seria um perigo “absorver” os problemas dela, senão ela que acabaria se separando também.
Isso eu considero uma bobagem. Não somos esponjas e não existe isso de absorver os problemas dos outros. Mas se elas são melhores amigas, uma tem mesmo que dar força para a outra, mas não para ela se afundar ainda mais na dor e na tristeza e sim para sair dessa vibração pesada.
A melhor amiga tem que dar um apoio, mas precisa tentar mudar de assunto também, quando sentir que ela está remoendo demais a coisa.
Convidá-la para um programa diferente, para tirar o foco do problema, sei lá, um pic-nic, uma coisa assim...
A pior coisa é ficar remoendo uma situação que não tem mais conserto, né?
É preciso tirar a separação um pouco da cabeça, se distrair, pensar em outras coisas.
Mesmo porque a vida não se resume ao relacionamento amoroso.
Quando o relacionamento acaba mesmo, definitivamente, depois de tentativas de reconciliação, o jeito é virar a página, tentar viver a vida da melhor maneira possível
e o ex (ou a ex) que vivam a deles também.
Outra dica é tentar ver que TUDO nesta vida tem o lado positivo, até a separação. Ela traz a liberdade de se fazer o que quiser, quando quiser, sem dar satisfação a quem quer que seja, e abre mil outras possibilidades de encontrar a felicidade e também a pessoa certa, por que não?
No momento mais apropriado, essa pessoa pode aparecer, Mas, para isso, é preciso estar bem consigo, precisa se esforçar pra ficar bem, fazer coisas boas, de que se goste!
Não sei se é ir a um show, ao teatro, ao cinema, se distrair!!!
E é importantíssimo cuidar bem de si, fazer um novo corte de cabelo, uma massagem, coisas boas para ela, de carinho, sabe?
Se o marido (ou a esposa) não cumpriu esse papel, que ela cumpra, que compre roupas novas, sapatos novos.
Ficar alimentando a dor é muito pior, mais pesado, mais dolorido.
Também é possível tentar enxergar a situação pelo lado cômico.
Muita gente chama o ex de "falecido" - acho uma ótima tática.
Outra dica boa: fazer uma listinha com todos os defeitos dele (ou dela).
Todo mundo tem defeitos.
Sabe aquele filme “500 dias com ela”?? A certa altura, uma garotinha fala pro personagem principal que ele está focado só nas qualidades da garota, para ele pensar também nos momentos ruins, que não foram legais. E funciona!
A última dica: fazer uma festa de descasamento.
Mais informações neste link.

O valor do silêncio

Recebi agora um texto por e-mail de uma querida amiga, a minha professora de mosaico. E veio a calhar. Por isso, decido compartilhar aqui no blog. Muito útil para o momento que estou passando. E quem sabe para mais alguém.



O VALOR DO SILÊNCIO

Pense em alguém poderoso. Essa pessoa briga e grita como uma galinha ou olha em calmo silêncio, como um lobo? Lobos não gritam. Eles têm uma aura de força e poder. Observam em silêncio. Somente os poderosos, sejam lobos, homens ou mulheres, respondem a um ataque verbal com o silêncio.  

Além disso, quem evita dizer tudo o que tem vontade, raramente se arrepende por magoar alguém com palavras ásperas e impensadas.

O erro não dito é um silencioso acerto.  

Exatamente por isso, o primeiro e mais óbvio sinal de poder sobre si mesmo é o silêncio em momentos críticos. Se você está em silêncio, olhando para o problema, mostra que está pensando, sem tempo para debates fúteis. Se for uma discussão que já deixou o terreno da razão, quem silencia e continua a trabalhar mostra que já venceu, mesmo quando o outro lado insiste em gritar a sua derrota. Olhe. Sorria. Silencie. Vá em frente.

Lembre-se de que há momentos de falar e há momentos de silenciar. Escolha qual desses momentos é o correto, mesmo que tenha que se esforçar para isso.

Por alguma razão, provavelmente cultural, somos treinados para a (falsa) ideia de que somos obrigados a responder a todas as perguntas e reagir a todos os ataques. Não é verdade. Você responde somente ao que quer responder e reage somente ao que quer reagir. Você nem mesmo é obrigado a atender seu telefone pessoal.

Falar é uma escolha, não uma exigência, por mais que assim o pareça.

Você pode escolher o silêncio.  Além disso, você não terá que se arrepender por coisas ditas em momentos impensados, como defendeu Xenócrates, mais de trezentos anos antes de Cristo, ao afirmar: "me arrependo de coisas que disse, mas jamais de meu silêncio".

Durante os próximos dias, responda com o silêncio, quando for necessário. Use sorrisos, não sorrisos sarcásticos, mas reais. Use o olhar, use um abraço ou use qualquer outra coisa para não ter que responder em alguns momentos. Você verá que o silêncio pode ser a mais poderosa das respostas. E, no momento certo, a mais compreensiva e real delas.

(texto de Aldo Novak, recebido por e-mail)

segunda-feira, fevereiro 13, 2012

Confiança se recupera?

Faz um tempão que escrevi um post com esse título e tem sido o post mais acessado de todos os tempos. Incrível isso, não??

Ontem, recebi uma consulta justamente pela caixinha de comentários desse post:

ola minha querida li seu blog e adorei suas palavras, e resolvi falar da minha historia sentimental se puder me ajudar tb agradeço..rsrs
Bom, eu e meu namorado temos quase 3 anos de namoro, mas de 1 ano pra cá nosso namoro esta sendo muito abalado por brigas (todos os dias)...discussões...eu vou te explicar não sei se é minha culpa q tudo ficou assim ou se é ele que não me ama mais...
no início era tudo uma maravilha, ele era perfeito, fazia tudo por mim, ele realmente me amava, eu so gostava (agora eu amo)...nunca (jamais)traí ele, mas sei q no inicio desrespeitei muito com amigos mas depois falaei pra ele sobre meus desrespeitos, a partir dai começou tudo, ele nunca mais confiou direito em mim, e eu com medo dele fazer a mesma coisa (tipo se vingar) fico o tempo todo desconfiando...onde vc ta?.. com kem esta? (coisa q no inicio nao tinha desconfiança, um confiava no outro)...e ja nao aguento mas pq td q faço ele pensa q vou fazer a msm coisa, mas ja falei q me arrependi...(isso ja faz quase 2 anos atras e ele nao eskece)...de tanto eu desconfiar e depois disso td ele nao me conta td me esconde muitas coisa, fala q nao conta pq eu vou ficar pertubando, agora eu descobri q ele anda dando carona pra amiga de trabalho e perguntei pq ele mentiu...ele falou q eu ia ficar de graça...me magoou muito pq ele leva ela ate em casa, nao sei se ele ta gostando dela pq ela traz momentos felizes tirando fotos no natal com ele pq teve uma festinha de natal no trabalho, to triste nao kero perder ele e de tanto ficar em cima dele nao tem mas paciencia pra conversar...e se eu falo q td isso ta me machucando eesa intimidade com ess AMIGA...ele fala que nao tem nada de mais é so amizade eu q sou neurotica e ainda joga na minha cara o passado que ele nao ta fazendo o q eu fiz...eu o amo muito mesmo tenho tanta saudade do inicio onde eu via confiança carinho respeito e amor um pelo outro...amiga o que eu faço pra ter meu namorado de antes akele q me falava tudo...eu nao sei se ele ficou assim pelo meu passado ou pela minha desconfiança em cima dele e o tempo todo eu brigo... me ajuda por favor 

agradeço fica com Deus...



RESPOSTA: Olha, é o seguinte. Já falei isso antes, mas se eu estiver sendo repetitiva, me perdoe. Todo mundo erra, nessa vida, isso é um fato incontestável. Já o perdão, não. Nem todo mundo perdoa, por uma razão ou por outra. Muitas pessoas que erram, se arrependem. Outras, não. Algumas pedem perdão, se ajoelham, etc... Mas o que fará a outra pessoa perdoar ou não vai depender mais da parte "ofendida". Ou seja, se a pessoa quiser dar uma chance à paz, à felicidade, ela pode tentar perdoar. Uma vez, talvez duas. A gente ainda não tem aquele desprendimento de Jesus, que nos mandou perdoar 7 x 70. Ainda não conseguimos isso.... Nosso grau evolutivo não chega a tanto, acho eu.

Outra coisa: no seu caso específico, Anônimo, você afirma que continua brigando com o seu namorado. Caracas... como você quer viver em paz se continua a brigar com ele?? Não consegue parar de brigar não?? Peça ajuda ao seu Anjo da Guarda. Se for pra viver brigando, o melhor é separar logo. Fala sério.

Mais uma coisa: não dá pra recuperar o passado. O que passou passou, você nunca mais vai viver a mesma situação que viveu no passado e isso é que é o legal da vida. O bacana é viver um dia depois do outro, variar, mudar. Mudar de atitude, de comportamento. Tudo isso é possível. Se você quer viver bem com o seu namorado, isso tem que começar de você. Reconquiste-o, pare de brigar com ele, sabe aquilo que se diz sobre "encantar o cliente"? Então, o seu namorado é o seu cliente e sua tarefa é encantá-lo, fazer com que ele se apaixone de novo por você. E sim, isso sim é possível. Mas você precisa querer, precisa investir nisso, investir na relação.

Também não entendi bem o que é esse desrespeito, se vc diz que não o traiu... Mas tudo bem, isso você não precisa confessar aqui, apenas para você mesma.

Outra coisa, para de pensar nessa amiga dele, concentre as suas energias na relação de vocês dois. Cadê a sua auto-estima?? Se ele ainda não terminou com você, é porque você tem alguma chance. Mas não tem nada a ver ficar dando atenção e energia para uma amizade que pode mesmo ser uma amizade inocente.

Confie mais em você mesma, no amor que você diz que sente por ele e invista em vocês dois.

Tenho certeza de que você poderá reconquistá-lo e que vocês poderão viver felizes. Mas hoje e não no passado. Façam planos para o futuro, compartilhem confidências, semeiem a cumplicidade entre vocês. É assim que funciona.

Boa sorte e seja feliz!

quinta-feira, fevereiro 02, 2012

Mais lições práticas dos Vigilantes


A reunião de hoje foi altamente inspiradora! Resolvi dividir aqui algumas dicas muito bacanas, p/ quem quer eliminar alguns quilos:
- Faça o seu Jornal Pessoal e anote não apenas tudo o que você come, mas também a sua atividade física do dia e o seu estado emocional
- Ao invés de comer duas frutas de uma só vez, como fazem as pessoas com sobrepeso, coma uma e espere p/ ver se precisa comer a segunda logo em seguida, ou se pode dar um tempinho
- Você já se viu comendo? O que achou? Parece um troglodita ou uma mocinha fina e delicada? Com quem você quer se parecer?  Coma devagar!
- Se você acha que nunca mais vai recuperar o peso perdido e que, portanto, pode comer “à vontade” depois de atingir o seu peso ideal, saiba que o nosso corpo tem “memória” do maior peso que já tivemos na vida e vai nos influenciar a voltar à antiga forma.
- Use o exercício para ajudar a perder peso e não para ter o “direito” de comer mais!
- O programa dos Vigilantes é visual, comparativo e exato. Use objetos conhecidos para avaliar, por exemplo, uma batata média = mouse ou uma porção de purê de batata = limão.  
- Um associado fotografa seu prato na hora do almoço com o celular para não esquecer de contar nenhum pró-ponto consumido. #ficadica.
- Não são nossos acertos que nos ajudam a eliminar os quilos extras e sim nossos erros é que vão nos ajudar a corrigir comportamentos inadequados à nossa saúde e bem-estar.
- Depois que você adquirir hábitos alimentares voltados para o bem, não vai mais precisar do seu Jornal Pessoal, mas até lá...
- Não deixe o lapso virar colapso – recomece a reeducação alimentar com pique total, sempre que der uma fraquejada qualquer e não “enfie o pé na jaca” p/ compensar.