domingo, março 26, 2006

Sem muita inspiração...

Bom, eu já cansei desse monstrinho verde, e não quero começar a semana com um monstrinho verde no blog.
1) A Nana se casou neste fim de semana, e quero dar os parabéns pra ela, os votos de felicidades exageradas, assim como escrevi no Orkut.
2) A Marjorie vai em uma festa de 15 anos com um vestido tomara-que-caia azul (fez a prova ontem).
3) Eu comecei a trabalhar de novo na Seara na semana passada e tô adorando. Contei??
4) O Tom levou a Rafa pra jantar e deu chocolate, depois de ter dormido e não ter ouvido o telefone tocar uma madrugada dessas, porque o telefone ficou fora do gancho, etc.
5) O Guilherme continua jogando tênis e trabalhando, muito, as duas coisas.
6) Eu tenho que entrar amanhã no trabalho às 6h30. Na terça também.
7) Na quarta tenho que levar a Marjorie p/ tomar o ônibus da escola às 5h30, que ela vai ver as ostras lá em Cananéia.
8) Na terça, tenho que fazer os fotógrafos se contentarem em fotografar o Paul Otellini em míseros 10 minutinhos. Já viu, né?
9) E estamos entrando na Semana da Mobilidade. E vamo que vamo.
Acho melhor eu ir dormir logo. Porque a semana promete.
Então, se eu sumir, você já sabe o motivo.
Beijos e boa semana pra todo mundo!!
Viva eu, viva tudo, viva o Chico Barrigudo!! (essa veio lá da infância longínqua)

quarta-feira, março 22, 2006

O bichinho verde

Image Hosted by ImageShack.us Ciúmes. Um monstrinho verde com olhos vermelhos esbugalhados.
Ele ataca sempre aqueles que têm a auto-estima enfraquecida, seja lá qual for o motivo. Cicatrizes do passado, uns quilos a mais, mania de se achar "burra" ou "burro", ficar ouvindo as minhocas cavarem buracos na cabeça, enfiando idéias aqui e ali que não são suas...
De duas uma: ou o parceiro é o ciumento, ou é a gente que é.
Um ciuminho de vez em quando faz um bem danado. Faz a gente perceber que nos amam, e que se importam com a gente. Mas, como tudo nessa vida, há ciúmes e ciúmes. Aquele ciumento inveterado enche a paciência de qualquer um / uma. A receita da felicidade é simples e pode ser resumida em uma palavra: equilíbrio. O melhor a fazer é eliminar o tal monstrinho, lutar contra ele. Quando é o outro, doses extras de carinho podem ajudar. Quando é a gente, quem sabe uma ida ao cabeleireiro, a gente tem que aprender primeiro a se amar antes de amar o outro. Em tempos de Orkut, tudo vira motivo de ciúmes. Portanto, o melhor a fazer é passar a dar atenção às coisas verdadeiramente importantes, às coisas reais, e não deixar a imaginação tomar conta. Claro que, se for assim como a Vitória, que me pega o Pascoal na cama, com a meia da outra, aí fica um pouco mais difícil perdoar, né??
Mas tudo é possível, quando se fala de amor (e tb de sexo, pq não??)
Eu já fui muito ciumenta. Hoje, mesmo com alguns (OK, vários) quilos a mais, eu sou mais eu.

Beijos especiais para algumas amigas reais e virtuais que me serviram de inspiração, e elas sabem que tô falando delas.

terça-feira, março 14, 2006

Domingão

Motivo para ir à Bienal neste próximo domigo: o Alex Gennari vai lançar seu primeiro livro, que se chama "+ 1 ano que não termin", assim mesmo, interrompido. Não foi erro meu, não. Eu vou! Fiz "de um tudo" p/ publicar o convite aqui que é tão bonitinho, mas o upload não quis me ajudar, mesmo. É um livro de contos, e isso é tudo o que eu sei.
Então, fica a dica: domingo, 19/3, das 14 às 17 hs ele vai cansar o pulso de tanto autografar. O babado acontece no estande da Scortecci Editora, na esquina da avenida 1 com a rua N (esses endereços de onde ficam os estandes raramente servem para alguma coisa, enfim... )
Tem sorteio de uma viagem com acompanhante, mas não sei p/ onde!

segunda-feira, março 13, 2006

Quem semeia vento colhe tempestade

A sabedoria popular tá sempre certa. A vida é feita de escolhas. Podemos escolher o prazer fácil, as drogas leves, a bebida, o cigarro. Mas aonde essas escolhas vão nos levar?? Todas as nossas escolhas têm conseqüências, mais ou menos nefastas. Mas certamente quando a gente tá fazendo uma coisa, a gente deixa de fazer outra.
Eu adoro a metáfora daquela passagem da história do Pinóquio em que ele vai para a tal Ilha dos Prazeres, onde tudo é permitido. E, sem se dar conta, meninos viram burricos e ficam apavorados. Mas aí então já é tarde demais...
Educar filhos é coisa complicada. Como explicar que o futuro é logo ali e que a gente vai colher necessariamente o que planta?? O tempo avança, inexorável. O que fazer, dizer?? Claro que não faz o menor sentido pedir para o filho se afastar dos amigos queridos. Não há nenhuma certeza. Não tem uma idade em que a gente tá liberado de se preocupar e em que a gente feche os olhos e deixa acontecer, ao sabor dos momentos sucessivos, a vida do filho da gente.
A responsabilidade e a preocupação dos pais é 24 horas por dia, sete dias por semana.
Como não ser chata, careta?? Como ser ouvida??
Agradeço aos mais jovens que tenham a paciência de me dar algumas dicas.

quinta-feira, março 09, 2006

Sabe o Coelho, da Alice?

... no País das Maravilhas?
Sou eu.
- Tô atrasada, tô atrasada
Fui dormir a uma da madruga (fiquei passando e-mails para as assessorias, por causa dos frilas que eu peguei e que não consigo fazer durante o dia...). Às 6 tava de pé. Lavei a louça, tirei o carro pro Guilherme sair com o dele (na verdade, da firma), berrei a Biba, levei a Biba e a Rafa na escola, voltei, arrumei as camas (a Sandra não vem de terça e quinta), passei os olhos nas notícias, me choquei (como sempre), li a coluna do Pasquale, tomei banho, berrei o Tom (tenho que dar carona pra ele - um carro a menos na família desde ontem...). Peguei o folheto que a Lu vai buscar daqui a pouco lá na BM. E tô com aquela sensação de que não vou conseguir fazer tudo o que tenho que fazer. Tem tão poucas horas no dia... Agora tô esperando o Tom voltar com o Tosh, ultramegablaster nervosa, porque eu queria ter saído às 8. E são 8h15 e eu tô atrasada, tô atrasada....

quinta-feira, março 02, 2006

Esperar acontecer ou fazer acontecer?

Qual das alternativas você prefere? Eu gosto de acreditar no destino, mas acho que quem deve estar no comando é a gente e não os outros. Ficar flutuando no mar da vida ao sabor das ondas não é tão legal quanto escolher o rumo e seguir firme na sua direção.

A Alê escreveu uma lista de desejos e eu comecei a fazer a minha, sem intenção de postar algo tão íntimo aqui, assim pra "todo mundo" ver. Mas fiz algumas descobertas tão interessantes, que resolvi soprar aos quatro ventos. Primeiro: agradecer pelo fato da minha lista ser tão curta... Já conquistei algumas coisas realmente importante nessa minha vida. E tenho tanto o que agradecer! É muito legal ver que o fato de carregar nas costas os meus 47 anos me deixam mais leve, sob determinado ponto de vista, já que quando olho p/ trás gosto muito do que vejo. Carrego poucos arrependimentos, nenhum ódio, um certo ar blasè que me ajuda a passar pelos percalços da vida... Esses "sobe-desces" (é assim esse plural, alguém sabe me dizer??) dessa montanha-russa alucinante em que se transforma a vida da gente, principalmente quando a gente mora em uma cidade tão maluca quanto São Paulo, com todas as suas idiosssincrasias (adoro essa palavra!!). Adoro as palavras bem encaixadas no texto, como se fossem peças exatas de um quebra-cabeça... E olha que eu nem sabia o que ia escrever quando abri o Blogger...

Mas lá vai.

Segue minha lista de desejos, dividida por áreas da vida. Inacabada, porque fiquei dias debruçada nela, mas não consigo enumerar os tais 101 desejos....


Desejos de aperfeiçoamento profissional
1) Realização profissional
2) Escrever e lançar meu livro
3) Conseguir trabalhar em casa e ganhar bem
4) Aprender a lidar com números

Desejos materiais
5) Notebook. Pode ser este aqui.
6) Ter dinheiro aplicado
7) Nunca mais entrar no cheque especial
8) Pagar as contas todas em dia
9) Ter um Honda Fit
10) Ir ao cinema uma vez por semana

Desejos estéticos/físicos
11) Ser um pouco mais magra e não engordar nunca mais
12) Usar perfume bom todos os dias
13) Ser estilosa p/ me vestir
14) Deixar de gostar de doces
15) Andar todas as manhãs

Desejos domésticos
16) Projeto de decoração em casa
17) Varanda no quintal
18) Viver em harmonia em casa
19) Ter uma empregada que cozinhe bem e que cuide da gente
20) Ver minha família feliz
21) Ver minha família saudável
22) Fazer o Guilherme conseguir ajustar o rádio-relógio
23) Receber muitos amigos em casa, sempre
24) Fazer com que o Tom não esqueça as coisas
25) Contribuir, dar força p/ o Tom ser um excelente arquiteto
26) Fazer com que a Biba seja mais cuidadosa
27) Ajudar a Biba a se realizar profissionalmente na carreira que ela escolher
28) Estar presente quando a Biba for ter os filhos dela
29) Ser mais prendada na cozinha

Desejos de ajudar os outros
30) Ajudar pessoas a crescerem profissionalmente
31) Trabalhar na Seara ou em outro centro espírita por vários anos seguidos

Desejos de aperfeiçoamento moral
32) Ser uma sogra legal
33) Ser uma sogra querida
34) Parar de ficar nervosa
35) Parar de gritar (quando fico nervosa)
36) Parar de roer unhas
37) Parar de implicar com os outros no trânsito
38) Deixar de ser indecisa
39) Ser mais paciente em todas as circunstâncias
40) Ter mais humildade
41) Não alimentar ódio nem ressentimento de quem quer que seja
42) Aprender a perdoar mesmo quando a pessoa não pede perdão
43) Ser mais tolerante
44) Ser mais atenciosa com a minha mãe

Desejos sociais
45) Ser mais simpática ao receber as pessoas aqui em casa
46) Estar sempre disponível para ajudar os amigos
47) Marcar encontros sempre com as minhas amigas

Desejos de viagens
48) Viajar todo ano durante 30 dias
49) Viver alguns anos fora do Brasil
50) Ver neve
51) Conhecer a Toscana
52) Voltar a Seattle, com a família
53) Voltar a Paris, com a família
54) Conhecer Nova Iorque

Desejos para a velhice
55) Ser uma velhinha simpática
56) Ser uma velhinha saudável
57) Curtir todos os meus netinhos
58) Ter uma chácara
59) Escrever um livro por ano
60) Assumir os cabelos brancos e cortá-los curtos

Outros desejos
61) Ver algumas estrelas cadentes capazes de realizar metade dos meus 61 desejos