quarta-feira, junho 25, 2008

Tudo tem um preço


There’s no free lunch, como dizem os americanos.
Tudo nessa vida exige algum grau de sacrifício, de renúncia.
Quem entra em um relacionamento esperando encontrar só flores, precisa lembrar que o mundo da fantasia não é aqui. "I never promised you a rose garden".... (quem seria capaz disso??)
Agora, cabe a cada um de nós decidirmos o que fazer, o quanto agüentar (ou não).
A verdade é que é impossível ser feliz sozinho, como diz o poeta.
Tem dois relacionamentos de pessoas de quem eu gosto muito que vejo se desfacelarem, bem na minha frente.... Eu, como sempre, fico na maior torcida pra todo mundo fazer as pazes. Não aceito facilmente o fim. Será que o amor acabou ou será que falamos de orgulho ferido, de falta de perdão, de falta de compreensão... quantas chances um precisa dar ao outro para que o relacionamento finalmente “dê certo”? E ele dá certo algum dia? Não sei, tenho minhas dúvidas. Sei que não sou exemplo pra ninguém, mas conheci meu marido quando eu tinha 16 anos (ele, aos 22, era considerado “velho” pra mim pela “sociedade”). Sim, ainda estamos juntos. Mas é óbvio que existe um preço a ser pago. Quem olha assim de fora, pode até pensar que vivemos em um “paraíso”. Mas não é bem assim. É como eu disse lá no começo, existe um preço a ser pago. Por isso, gosto tanto das minhas listinhas de prós e contras. Fora que um só contra pode pesar mais do que cinco prós. É uma equação bem complicadinha de ser feita.
Mas mesmo assim, eu sempre acho que vale a pena tentar, perdoar, relevar (como fazem os baianos) e depois que o casal atravessa uma crise, a tendência é que o amor se fortaleça ainda mais.
Não sei se coisas como “traição” (que homens e mulheres enxergam sob prismas diferentes) e como “orgulho ferido” sejam motivos fortes o suficiente para destruir o AMOR, essa plantinha frágil que pode se tornar uma seqüóia poderosa, sim, pelo menos eu acredito.
Bom, falei, talvez nem todos os envolvidos compreendam, porque falei de forma genérica e me refiro a DOIS casos, muito próximos. Então, também me sinto não tão neutra pra comentar sobre o assunto. Enfim, é este bom e velho "Consulta Sentimental" voltando às origens.
Se alguém souber me dizer se existe o momento certo para desistir do amor, por favor, é só comentar.

quinta-feira, junho 19, 2008

Waiting for the Winter


Em inglês fica mais sonora a frase. Adoro frio, adoro inverno. Acho que nasci no País errado... Enfim, ainda que não haja neve por aqui, a chegada do inverno é sempre uma festa!

quarta-feira, junho 18, 2008

segunda-feira, junho 16, 2008

Carta do Equipe

Olha o que essas danadinhas obrigaram o Equipe a fazer... Recebi esta carta maravilhosa hoje por email.
Veja vc que são ditas coisas "óbvias", que os jovens ditos "inteligentes" deveriam saber de cor e salteado.
Enfim, como falei no assunto, me sinto na obrigação de publicar aqui.

Aos alunos do Colégio Equipe e a todos os jovens,

Duas alunas da nossa escola fugiram de casa e viajaram para longe da cidade. Deixaram suas famílias, seus colegas e seus professores muito preocupados!Queremos dizer a vocês por que ficamos preocupados e por que vocês nunca, jamais, devem fugir de casa.

Quando vocês crescerem e puderem sair de casa e cuidar bem da própria vida, vocês podem ter a certeza de que seus colegas, pais, amigos, educadores, vão ficar muito felizes e orgulhosos e, se vocês precisarem de alguma ajuda, vão fazer tudo o que puderem para apoiá-los.

Esse dia vai chegar, e para conquistá-lo vocês terão crescido, escolhido uma atividade produtiva que esperamos lhes traga satisfação além de garantir seu sustento, e terão um círculo de amigos que lhes permitirá pertencer e se sentir acolhidos por um grupo que vai vibrar com vocês nas alegrias, ficar perto nas tristezas, seguir conversando e aprendendo junto.

Antes disso, não é hora de sair de casa, muito menos de fugir. Antes disso, se vocês fugirem vão interromper esse processo bruscamente e tudo vai ficar mais difícil.

Ao fugir, achamos que um jovem pensa que vai alcançar mais rapidamente a sua liberdade e a possibilidade de cuidar da própria vida. Mas é o contrário. Isso porque, ao deixar de contar com o apoio de sua família e interromper seus estudos, vai ter muito menos chance de escolher uma boa forma de trabalhar e sobreviver, de se preparar para isso, e vai perder o grupo de familiares, amigos e educadores que o incentiva, apóia e ajuda em diferentes momentos.

Consideramos fundamental que cada jovem tenha seus sonhos, seus projetos, que queira e tenha coragem para realizá-los. Mas a gente, que já passou por isso, sabe que só dá para ficar satisfeito quando é possível fazer isso de verdade, conquistando cada passo, mantendo o apoio de todos que nos amam e rodeiam. Dessa forma, alguns fizeram escolhas mais comuns e outros escolheram grandes mudanças, como viajar pelo mundo, viver em outro país etc.

Tentar conquistar isso fugindo é como realizar o que queremos em um sonho, porque sem esse apoio do qual estamos falando, tudo fica mais precário. Quando sonhamos, por exemplo, que estamos bebendo água porque estamos com sede de verdade, realizamos nosso desejo / necessidade mas não ficamos satisfeitos, e mais tarde teremos que acordar e beber a água real.

Jovens sozinhos no mundo correm riscos, ficam frágeis. Estão mais sujeitos a sofrer violência por parte de pessoas mal intencionadas e a ter que se submeter ao invés de poder fazer a escolhas relativas à sua produção e subsistência. Quando acordarem desse sonho, ou pesadelo, verão que estão insatisfeitos e terão que tentar resgatar seu caminho lá de onde o romperam, para tentar reparar vínculos e possibilidades de escolha. A fuga, afinal, terá retardado a conquista que tanto se quis apressar, se por sorte não a tiver comprometido seriamente.

O que pode comprometer seriamente esse percurso? A violência sofrida, o ressentimento e a raiva de familiares e amigos que foram abandonados - impedidos de seguir participando - e o tempo perdido e necessário à recuperação de um lugar de acolhimento e pertencimento a um grupo - já que, sozinhos, pouco podemos realizar. Fugir, assim, é como alucinar uma solução que está fadada a desmoronar ou deixar seqüelas, já que rompe com a sustentação necessária ao desenvolvimento de cada um de nós.

Para terminar, queremos dizer a vocês que do mesmo modo que nós, adultos, estamos aqui para apoiá-los na conquista de uma vida adulta produtiva e boa, estamos aqui também para ajudá-los a suportar o sofrimento que por vezes é gerado nesse período entre a infância e a vida adulta, quando fica difícil viver, a cada dia, o tempo e o aprendizado necessários à conquista de uma independência real.

Quando fica difícil, quase insuportável, é preciso buscar ajuda, falar, ouvir, partilhar, enfrentar os conflitos e as contradições, procurar alguém que possa ouvi-los, confiando na honestidade do nosso apoio mesmo quando por vezes nos mostramos também frágeis, controversos, confusos.

Estamos sempre aprendendo com vocês, mas temos certeza que, contando conosco, terão muito mais chance de ultrapassar esses momentos difíceis e abrir caminho para as conquistas que sabemos que para vocês são tão vitais. Se vocês nos colocarem contra, acreditem, seremos todos mais frágeis e sofreremos muito mais. A conquista da liberdade da vida adulta exige um rompimento que precisa ser vivido na relação com o outro, no enfrentamento partilhado dos conflitos. É preciso lembrar, sempre, que estamos do mesmo lado e permanecer, incondicionalmente, lado a lado.


Adriana Mangabeira
Colégio Equipe
Autor: Colégio Equipe

sexta-feira, junho 13, 2008

Sobre envelhecer




Parece um "palavrão" - envelhecer. Mas é o que fazemos, desde o momento em que nascemos. Ou não?? Em inglês isso fica bem claro: How old are you? Pois então, como eu acabei de fazer 50 anos, e fico repetindo isso toda hora pra ver isso se entra na minha cabeça maluca e jovem, estou tentando descobrir as vantagens de chegar ao meu meio século. E hoje foi um dia em que encontrei na minha caixa de entrada um email maravilhoso sobre esse assunto.

Não sei se você já leu (ou viu o filme) O Segredo. Eu sei dizer que a coisa toda funciona, basta a gente não esquecer de praticar todos os dias. No fim do livro tem uma série de links indicados e coisa e tal. Um desses links me levou ao Jeff Keller e assinei a newsletter dele. Não é nada ligado a nenhuma religião em especial. A newsletter se chama "Your Spiritual Journey". Nem todos se interessam pelo lado espiriual, assim como eu pouco me interesso por política. Mas sempre, sempre essas suas newsletters me tocam profundamente, e me fazem refletir sobre aspectos da minha vida.

Essa de hoje foi tão sensacional, que resolvi traduzir e publicar aqui. Ah!! Outra vantagem é que treino meu inglês e aumento meu vocabulário com as newsletters dele.

Sei que poucos leitores deste "Consulta" estão na minha faixa etária. Mas certamente chegarão aqui. Mais cedo ou mais tarde. Certamente têm pais ou mães ou avós nessa faixa etária, que talvez estejam com a auto-estima em baixa.

Então vamos lá. Peço um pequeno "esforço de reportagem", já que o texto não é tão curto, mas vai ficar aqui durante o fim de semana inteiro.

Bom fds!

Ficar mais velho/a tem suas vantagens

A juventude é exaltada na mídia de hoje. Revistas nos mostram modelos jovens e atraentes. Anúncios em jornais sugerem cirurgias plásticas. A TV nos mostra como esculpir corpos perfeitos. Como resultado, muitas pessoas empreendem uma busca frenética pela “fonte da juventude”. Eles querem voltar o relógio e lutar contra o processo de envelhecimento. Quando foi a última vez em que você viu o envelhecimento retratado de maneira positiva?

Inonicamente, os adolescentes e aqueles que estão na casa dos 20 e poucos gostariam de ser mais velhos. Quando você é jovem, freqüentemente se aborrece com a insegurança e imagina qual será seu verdadeiro lugar o mundo. Enquanto muitas pessoas tendem a se concentrar no lado negativo de se tornar mais velho, vamos focar por um momento no lado positivo. Abaixo estão alguns benefícios de ficar mais velho.

1. Você não precisa se preocupar com o que as outras pessoas vão pensar de você. Como adolescente, você fica profundamente preocupado com o que seus amigos vão pensar de você. Você deseja se encaixar no grupo. Nos seus 20 anos, você ainda tende a ficar muito preocupado sobre como os outros o percebem. Conforme os anos passam, você passa a se preocupar menos com a opinião dos outros. É uma mudança um tanto quanto refrescante. Você percebe que a pessoa mais importante para agradar a você é você mesmo – e quando você conclui isso, você também fica em uma posição melhor para ajudar os demais.

2. Você percebe que pode permanecer saudável seguindo rotinas disciplinadas e moderadas. Você aprende que hábitos moderados podem produzir excelentes resultados ao longo do tempo. Meia hora de exercícios físicos diariamente tais como andar ou levantar pesos moderados podem mantê-lo em forma. Para permanecer em forma, você não precisa correr 5 milhas por dia ou seguir dietas extremas.
3. Você passa a gostar mais da sua família. Algumas pessoas são afortunadas por ter uma profunda apreciação da sua própria família durante a adolescência, ou aos vinte ou trinta anos. Todavia, esse não é o caso da maioria de nós. Depois dos 30, e especialmente nos seus 40 ou 50 anos, e depois disso, você passa a admirar toda a sua família. Você passa a gostar de encontrá-los para reunir reminiscências sobre os “velhos tempos”, bem como para ficar por dentro do que cada um anda fazendo.
4. Você deixa de dar importância a coisas insignificantes. Lembre-se de quando pensou que cada cliente em potencial ou cada projeto no trabalho teria conseqüências de "vida ou morte". Você fica em uma enorme tensão por nenhuma razão. Quando fica mais velho, você ainda leva seu trabalho a sério, mas você ganhou perspectiva. As pequenas coisas não o afetam mais. É muito mais fácil viver e trabalhar sem toda essa pressão nas suas costas.

5. Você compreende que a idade numérica não é tão crucial. Seguramente, você não se cura tão rapidamente ou não enxerga com tanta nitidez quanto como fazia aos 20 ou 30. No entanto, quer você tenha 40, 50 ou 70 anos, é somente um número. O que importa é como você se sente, mental e fisicamente. Muitas pessoas sentem-se mais saudáveis e mais fortes aos 50 do que quando tinham 25. Se tiver uma atitude negativa e odiar seu trabalho aos 30, você vai se sentir mais velho do que uma pessoa de 70 que tenha uma boa atitude e que aproveite a vida.
6. Você começa a dar passos mais largos na sua carreira. Nos seus 40 e além, você desenvolve um melhor entendimento de suas forças e fraquezas, do que você gosta ou deixa de gostar. Você ganhou experiência em seu campo (freqüentemente ao cometer erros) e sabe onde empregar melhor os seus talentos.
7. Você não procura mais perfeição. Isto se relaciona tanto à sua aparência, quanto à maneira como você executa seu trabalho ou atividades. Os anúncios de TV estimulam você a malhar duro nos abdominais para eliminar qualquer vestígio de gordura no seu corpo. Mas você não compra mais essa idéia maluca. Você quer se olhar e sentir-se bem, mas não há nenhuma necessidade de se matar tentando atingir o corpo perfeito. Você também se contenta com a excelência em seu trabalho, sabendo que tentar fazer tudo "perfeito" é uma meta injusta que causa stress. Certamente, há algumas exceções a essa regra - por exemplo, nós queremos que essas cirurgias a laser em nós sejam perfeitas em seu objetivo!

8. Leva-se muito mais tempo para deixá-lo bravo. Quando você é jovem e inseguro, ofende-se mesmo ao mais leve deslize. É defensivo quando criticado. Conforme os anos vão passando, você compreende a futilidade de se manter zangado. Isso nada mais faz do que consumi-lo. Quando alguém o quer subjugar, você rapidamente deixa pra lá.
9. Você deixa as outras pessoas serem quem elas são - e aprecia as diferenças. Começa a reconhecer e a apreciar a incrível diversidade neste mundo. Aprende a tolerar as idiossincrasias de outras pessoas; você até mesmo curte isso. A vida é muito mais rica porque nem todo mundo pensa como você ou age como você. Você aprende com os outros e celebra seus talentos raros e suas perspectivas.

10. Você é muito mais sábio... Tomara! Conforme os anos vão passando, você tem muito mais experiência e você compreendeu como lidar com as situações que surgem em sua vida. É como qualquer jogo que você jogou aos 20 ou 30 anos. Vai aprendendo mais, conforme vai jogando.
Com certeza, você pode achar algumas coisas sobre ficar mais velho, das quais você não goste. Mas há muito a aproveitar em sua jornada pelos seus 40s, 50s, 60s e mais adiante. Pare de tentar de voltar o relógio. Em vez disso, aprecie as vantagens de se tornar mais velho!!

quinta-feira, junho 12, 2008

Dia dos Namorados


Bom, as meninas travessas foram encontradas e preciso fazer um novo post urgente sobre o dia dos namorados, mas tô sem tempo...

Então, a dica do "Consulta Sentimental" de hoje é digitar o endereço http://www.google.com.br/ e clicar no casalzinho de namorados que aparece lá.

Muito fofooooosssss!!!

Aproveite o dia, declare seu amor aos quatro ventos, seja mais carinhoso do que o normal, perdoe quem tiver que ser perdoado, releve, curta o momento, curta a vida, curta a paixão, deixe-se levar pelo perfume inebriante do amor verdadeiro, faça uma lista de coisas que você adora no seu amor, escreva um cartão, um verso, dê flores, use vermelho, coloque os óculos cor-de-rosa e fique feliz.

quarta-feira, junho 11, 2008

As meninas que sumiram (update - já apareceram)




Minha filha, que também estuda no Equipe e que as conhece de vista, acha que elas fugiram.
Tomara que ela esteja certa. Imagino a aflição dos pais dessas garotas.

DESAPARECIDAS 5/junho/2008 São Paulo/SP

Ana Lívia Destefani Luciano, 16 anos e Giovana Maresti Santana Silva, 15 anos, desapareceram no dia 5 de junho de 2008.

Último contato: por volta das 23:30h do dia 5 de junho de 2008, em São Paulo/SP, quinta-feira.

Os últimos locais em que foram vistas: Cinema Espaço Unibanco, na rua Augusta, por volta das 23h, na avenida Paulista em um ponto de ônibus, próximo às 23:30h e no terminal Barra Funda entre 1h e 2h da manhã do dia 6 de junho de 2008.

O último contato foi por uma ligação (provavelmente de orelhão porque a Lívia não tem celular...) para a avó da Giovana, por volta das 23:30h, quando elas disseram que iriam dormir na casa da Lívia.

Sobre a Ana Lívia: Branca, aprox 1,70m, magra, olhos verde-azulados, cabelos curtos lisos e castanhos. Costumava andar com uma mochila vinho, estava possivelmente com calça jeans e agasalho lilás.

Sobre a Giovanna: Branca, aprox 1,60 magra, olhos castanhos, usa aparelho

Não sabemos se elas portavam documentos e há a possibilidade da Giovana estar com um RG falso (provavelmente a idade alterada)

Lívia – RG 36 56 95 97-x CPF 388 145 218 40
Lívia não tem cartão de crédito, pelo que os amigos contam tinha no máximo R$250 em mãos, talvez menos. Não tinha celular também.

As duas estudam no colégio Equipe, próximo ao Shopping Eldorado.

sexta-feira, junho 06, 2008

Carinho


Amanhã, dia 6, é meu aniversário de 50 anos. Meio século. E eu adoro ganhar cartinhas, em ocasiões como essa. Mas só que nem o Tom nem a Biba são muito chegados a essas manifestações sentimentalóides. Ainda bem que eu também tenho a Rafa, a mãe da Helena, minha filha de coração!!

Eu nem gosto de usar os termos nora e sogra, porque parece que eles pressupõe uma "guerra" muda, uma competição pelo amor. No entanto, o que a Humanidade precisa compreender é que o amor, quanto mais se divide, mais se multiplica. Também me dou muito bem com a mãe do Guilherme, a dona Florência. Em algumas coisas, sou até mais parecida com ela do que com a minha própria mãe!!

Essa cartinha que recebi da Rafa é uma prova de que o amor entre nora e sogra não é algo tão impossível assim! A Rafa é engraçada, ela nunca consegue esperar e sempre antecipa suas manifestações de amor. Eu não reclamo nada nada disso, não!! Ao contrário, ela conseguiu me emocionar com as suas lindas palavras.

Sil,

Recomecei essa carta inúmeras vezes, são tantas coisas que quero te dizer que não sei como organizar e colocar no “papel”, mas vamos lá, vou me esforçar bastante.

Primeiro lugar a Silvia significa para mim a geradora do meu maior amor, o Tom, graças a você ele nasceu, graças a você ele se tornou um homem de caráter, de índole e dono de um coração sem tamanho. Depois vem a Helena, graças a você ela pode vir ao mundo e alegrar tanto nossos corações, pois é você é conseqüência de muita coisa boa, você se estende por gerações, e quando rezo sempre peço que a Helena herde esse coração tão lindo.

Com você aprendi que ser boa não significa ser boba, descobri que o ser humano pode sim, surpreender em luz e bondade, me abriu as portas para a minha própria espiritualidade.

Agora completa 50 anos, só você sabe tudo o que passou nesses anos todos, mas uma coisa eu posso lhe garantir o resultado alcançado hoje no seu aniversário, não poderia ser melhor.

Conquistou êxito em todos os departamentos da sua vida, é uma mãe maravilhosa, uma jornalista competente, uma filha exímia, uma esposa companheira e uma sogra MAIS QUE PERFEITA!

Amo tanto você, você nem imagina! É um amor imenso e uma admiração maior ainda.
Te desejo hoje e sempre, muito amor, paz, luz, dinheiro, enfim tudo de melhor no mundo!!!
Parabéns pelo aniversário e por ser assim como você é: SILVIA!

Beijos meus

Rafinha

Exagerada, essa minha Rafinha!!! Muito muito obrigada, minha querida, eu não mereço tanto.