quarta-feira, janeiro 30, 2013

Alarme falso


Sou a rainha do "alarme falso"!

Recebi um texto hj por e-mail (sem título e sem autoria) que me era tão familiar que achei que eu era a autora.... quanta pretensão! Era o belo texto "Borboletas", do Mario Quintana, sobre relacionamentos e confiança, que circula pela Internet sem o devido crédito, na maior desfaçatez.

O episódio serviu para que eu sentisse na pele o que é ter um texto compartilhado em milhões de sites e lugares mais recônditos da web sem o devido crédito.
Já ouvi muita gente falar sobre isso... uma das campeãs de textos "roubados" dessa forma (às vezes até mesmo sem má intenção da pessoa que gosta do que lê e compartilha) é a talentosa escritora Marta Medeiros.

Depois de tanto "carnaval"... é melhor deixar aqui publicado o tal texto, que eu gostaria de ter sido a autora e que deu todo esse pano p/ manga:

BORBOLETAS - Mario Quintana


Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de
se decepcionar é grande.

As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.

Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.

As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!"


terça-feira, janeiro 22, 2013

Ode de amor e ódio a São Paulo


Então a minha cidade - sou paulista e paulistana - vai completar os seus 459 anos no dia 25. 


Hummm, vão começar a aparecer zilhões de posts apaixonados pela cidade, pela sua grandeza, pelo seu fervilhante ambiente cultural, pelas suas atrações gastronômicas etc e tal. 

Eu me sinto dividida nessa hora. 

Nasci aqui, sempre morei aqui, mas minhas raízes são frágeis. 

Se eu tivesse uma mínima oportunidade de viver em outro lugar, aceitaria na hora, sem pestanejar. 

Acredito que todas as pessoas que moram aqui devem ter um karma coletivo a pagar.
A cidade nos inferniza com o seu trânsito insuportável, com a poluição (ainda que a visual tenha sido amenizada pelo ex-prefeito), com a violência, com o anonimato... Vc vive cercado de pessoas que provavelmente nunca mais cruzarão o seu caminho, já pensou nisso? Somos massa no metrô. Somos números nas estatísticas. Somos ninguém. Somos de todas as partes e de parte nenhuma. 

Se me fosse dada a oportunidade de viver em outro lugar, como no interior de São Paulo, como minha amiga Ana Maria, ou em outro estado, como xxx, ou de viver em outro país, como a Mineirinha na Alemanha ou a Mirella, eu não pensaria duas vezes. Minha mala ficaria pronta em dois segundos e eu me despediria dos meus entes queridos (essa parte é um pouco mais dolorida, mas eu os receberia no meu novo lar com honrarias de chefes de estado) 

Por isso gosto tanto daquele trecho da música do Chico Buarque que diz: "a cidade é uma estranha senhora, que hoje sorri e amanhã te devora" - acho que essa frase se aplica à perfeição a essa metrópole louca e suja onde vivemos, onde nos apertamos, onde nos esprememos, mas também onde amamos, onde rimos, onde nos divertimos... 

Por isso, essa ode à cidade. Ode de amor e ódio. 
São Paulo, eu te amo, mas também te odeio. 
Com todas as minhas forças.


O que é uma ode? A Wikipédia explica: 
Ode é uma composição poética que surgiu na Grécia Antiga, e era cantada e acompanhada pela lira, ou simplesmente líricos. Ode, em grego, significa canto.

Mentira e arrependimento


Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Confiança se recupera??": 

Olá Silvia... Gostaria de sua ajuda, menti varias vezes, foram mentiras pequenas que se tornaram grandes. Agora ela não quer mais ficar junto de mim, foram 06 anos, ela conversa me trata normal mais não quer nada para que volte, mas quando ela sente falta ela me aceita naquele momento e depois não me aceita mais. Ela me ama ainda o único problema é que não confia mais em mim. o que eu faço? 

Resposta: 


Caro Anônimo, 

Você se arrependeu de verdade de ter mentido? Acha que é capaz de deixar de mentir? Isso não ficou claro para mim. 
Antes de se preocupar com ela, você precisa primeiro definir, para você mesmo se já resolveu esse assunto internamente. 
Depois, você precisa ir à luta, conquistá-la de novo e convencê-la de que vc mudou, contar quais foram as estratégias que vc usou para não mentir mais e dizer porque ela deve confiar em vc de novo (dizer não, provar!). 
Mais com atos do que com palavras. É assim que funciona. 

Espero ter ajudado. 

P.S.: Foi vc que deixou essa consulta aqui?


sexta-feira, janeiro 18, 2013

A pílula de felicidade


Algumas vezes eu pensei que seria bom que existisse a pílula da felicidade. Um remedinho que você tomasse com um copo d'água e se sentisse escandalosamente feliz, como disse o Linus ao Charlie Brown naquela famosa tirinha. Porém, ela não existe. 

Não falo de calmantes, essas drogas cheias de efeitos colaterais, que nem conheço. O fato é que a pílula dos meus sonhos não existe. 

Mas hoje de manhã, enquanto dava minhas braçadas na piscina do clube, na primeira aula de natação do ano, eu - uma pessoa sedentária por natureza, que sempre gostou mais de ler do que de qualquer outra coisa, principalmente atividade física - me senti feliz. Como se eu tivesse tomado a tal pílula. 

Aí lembrei daquela história da serotonina, aquela substância mágica que o nosso próprio corpo produz quando fazemos atividade física. E pensei em vir aqui escrever este post dirigido especialmente às gordinhas e às pessoas sedentárias, como eu, no fundo, sou. 

Enfim, descobri a pílula da felicidade e estou feliz até agora. 

E tenho também um recadinho para a Speedo, famosa marca esportiva. Hoje eu estava bela e formosa com o meu novo maiô de natação tamanho 42 quando, ao olhar mais detalhadamente a etiqueta, descubro que o 42 equivale ao G. Não acho que a correspondência esteja certa, eu que sou uma ex-manequim 48. 

Bom, é isso. 

A minha vontade é mergulhar todos os dias na piscina e andar de bike também. A gente se amando facilita a tarefa do Universo de conseguir que alguém nos ame de volta. 

Bom FDS a todos os gatos pingados que chegaram até aqui.