domingo, outubro 31, 2004

Praia!
Estou aqui na casa do meu pai, em Caraguá. Se não fosse pela ausência do Tom e do Guilherme, o dia teria sido perfeito, com sol, praia, céu azul e agora uma chuvinha pra refrescar.
Dormi no quarto que era da vovó Flora, que se foi há pouco tempo. Recebi uma caixinha forrada de relíquias que eram dela, de presente do meu pai e da Aparecida. Não liguei tanto para as coisas de ouro. Gostei mesmo de ter a chance de ler as cartas que meu avô escreveu para ela, e que ela escreveu para ele. Ele foi soldado e lutou em Ourinhos em uma guerra. Ficou um ano distante de casa, quando meu pai era pequeno. As cartas que ele escreve transpiravam um amor e um carinho indescritíveis, assim como as cartas da minha avó, que usava o diminutivo para descrever os seus sentimentos.
Minha avó sempre foi uma mulher de personalidade forte, autoritária e dominadora. Mais velha de nove irmãos, ela e meu avô sempre formaram um casal perfeito. Ele, a doçura em pessoa. Ela, mandona, durona, mas muito organizada.
Nunca vou me esquecer dos vestidinhos que ela costurou para todas as minhas bonecas para deixá-las bonitas para esperar o Natal, das "pinhulatas", panetones e outros doces italianos que eu já esqueci o nome, que o vovô ajudava a fazer, das histórias que ela me contava da sua infância na fazenda em Mococa, e das histórias que o vovô contava sobre a guerra e as pescarias com o dr. Figueiredo. Tantas saudades daquele tempo, daquela vida que não volta mais... Eu espero que os dois tenham se encontrado no Céu e que continuem a viver essa linda e maravilhosa história de amor que os uniu, que deu origem ao meu pai e por conseqüência, a mim e à minha família. Os fios da vida se entrelaçam e tecem uma teia de emoções que se repetem, se renovam e nutrem a vida. Desejo, do fundo do meu coração, que eles estejam bem, onde quer que estejam.
Mudando de assunto: pela primeira vez na minha vida não votei. Justifiquei. E ninguém pode me culpar de nada. Me sinto estranhamente livre.
Obrigada a Ivis, Alê, Pri, Dígito, Ciça, Ingrid, Maith, Stela, Mauro, Maitê e Zana: vocês não podem imaginar o quanto eu valorizo o tempo que vocês gastam para vir até aqui e deixar um comentário. Bjs.


sexta-feira, outubro 29, 2004

Ninguém adivinhou!
Hoje, dia 29 de outubro de 2004, este modesto, adorado, lindo, fofo, gostoso, convidativo e simpático espaço virtual (modéstia à parte), onde conheci tanta gente muito legal, completa seu primeiro aniversário.
Muito obrigada pelas sua visita, pelo seu comentário, pela força que recebi de você nos momentos difíceis, pelo carinho, pela atenção dispensada.
Foi um ano de descobertas do que é possível fazer por aqui - se bem que ainda sei pouco - mas, enfim, de descobrir como faz p/ pôr comentários, fotos, de ficar chateada quando o blogger dá pau, de conhecer gente de tantos países distantes, como a Stela, a Sandra, a Zana, a Dri, a Ingrid, e tanta gente legal, de outros estados brasileiros, como a Nana e a Lila, de outras cidades, como o sumido do André, do Nando, que apareceu agora há pouco, de gente daqui de pertinho, que conheci primeiro virtualmente e depois ao vivo, como a Pri, de gente que vejo todo dia, como a Alê, de gente misteriosa, como o Dígito, de gente que começou a me visitar recentemente e que vem de vez em quando, como a Carol, a Cris, a de gente que sumiu, e some sempre como a Pâ e a Morgana, de gente que nunca passa por aqui quase, mas que quando vem faz a minha alegria, como a Sonia, a famosa da Thalita, a Lucy, o meu pai, Maitê, a Maith, a Renata de Brasília, a Danibela, a minha xará Silvia, o Pepe e a Débora, de gente que descobri a identidade secreta, como o Auditor, de gente que vivia perto e agora vive longe, como a Monica e a Márcia, de gente que manda abraços de trincar costelas, como o Mauro, de gente que praticamente já faz parte da minha vida, como a Ivis, a Ciça, a Luciana K., de gente que eu ainda não coloquei o link aqui do lado sei lá porque, como a minha amiga Mari loke, a Patrícia, a Rosana, de gente que acabou de chegar, como a Claudia Moura, ... ah, tem mais gente, eu é que sou meio gagá e esqueci de alguém, com certeza. Por isso estou naquela comunidade "num lembro" no orkut.
Mas é isso, eu, que sempre tive aquele diário fechado a sete chaves, agora tenho a minha vida aberta aqui, pra quem quiser ler.
A intenção inicial se perdeu ao longo dos meses, mas quem estiver precisando de uma consultinha sentimental, pode me mandar e-mail. Eu não sei se ajudo muito, mas pelo menos, dou uma visão externa dos fatos, o que pode ajudar.
Bom, deixa eu trabalhar, porque hoje ainda é sexta-feira.
Conto com o seu pensamento positivo, p/ que esse blog continue crescendo forte, vivo, bonitinho e saudável. Como um fofo bebê de um ano.
Fui.

quinta-feira, outubro 28, 2004

sexta-feira, outubro 22, 2004

Uma casa
Como saber se uma casa é A casa?
Ontem de manhã fui correndo com esse corretor que tem nome de mulher (Valdinez) ver umas casas. A primeira era sofrível. Sem comentários.
Fomos ver a segunda.
Entramos na rua e vi uma placa da imobiliária em uma casa feia, cheia de entulhos na garagem.
- Putz, será que é essa? - pensei.
Mas o corretor andou mais uns metros com o carro e vi uma casa de esquina lindinha, com um jardim florido, caprichado, uma escadinha pequena e em curva levando à porta principal. Nenhuma placa de "vende-se".
- Que lindinha... pensei. Mas perguntei: - é aquela? - e apontei para a casa feia.
- Não, é essa - ele respondeu apontando para a casa lindinha.
Entramos.
Ainda tem uma senhora simpática morando lá, com a mãe de 90 anos.
A casa é bem do jeito que eu queria.
O chão é de taco de madeira, a casa é iluminada, mesmo em um dia escuro como estava o dia de ontem em SP, e sabe essas donas de casa de antigamente, que cuidam bem de tudo? É tudo limpo, cuidado, uma graça. os azulejos são antigos, cozinha e banheiros tem aquele visual dos anos 60, mas quem se importa? A casa tem um charme especial. É isolada (o que vi de sobrados geminados e sem personalidade não tá escrito...)
Mas pensei:
- Deve ser cara.
Saímos.
- Quanto estão pedindo, Valdinez?
Ele falou. E era menos do que todas as outras que eu vi.
- Que bom!
Amanhã, vou levar a família inteira pra visitar a casa.
(hoje já passei em frente dela com o Gui e a Biba).
Comprar casa é complicado. A gente tem que pensar daqui a 10 anos. E daqui a 10 anos eu e o Gui estaremos ficando velhinhos. Não vamos querer um sobrado, com uma escada no meio, pra dificultar a nossa locomoção. E vamos querer uma casa cheia de netinhos felizes correndo pelos corredores, bagunçando tudo, e levando alegria p/ a nossa vida. Visualizei tudo isso nessa casa. Quem sabe, essa é A casa...
Desculpe a monotonia que virou esse blog, mas eu simplesmente não consigo pensar em outra coisa. Idéia fixa, sabe?

terça-feira, outubro 19, 2004

Sonhos
Minha vida é em grande parte feita dessa substância imaterial chamada sonho. Tenho grandes sonhos, realizei já outros tantos e eles me fazem me sentir VIVA e até jovem, eu diria.
Agora, por exemplo, o ritmo da minha vida, e principalmente o meu coração, está preenchido com dois desejos principais: o primeiro é o velho desejo de mudança de casa. Continua a me atormentar as madrugadas. Mas agora, pelo menos, chegamos a uma conclusão: vamos vender o apto pequenininho e comprar uma casa. Agora, é esperar (e batalhar, é claro) para que dê tudo certo.
O outro desejo é em parte culpa da Alê.
Ela fica aqui do meu lado me contaminando com idéias de viagens internacionais. Esse é um caso até mais grave, porque viajar é o sonho de toda a minha vida. Primeiro, meu sonho dourado era ir pra Paris. Realizei o sonho no reveillon de 2000 p/ 2001. E foi o MÁXIMO. Depois, passei o carnaval de 2002 em Londres. Também amei a viagem. Daí a gente começou a planejar uma viagem p/ Portugal, mas andava complicada a coisa e o sonho ficou meio empoeirado, abandonado em um cantinho. Mas ontem esse sonho ganhou força e se tudo der certo vamos conseguir fazer com que ele se realize. O caso é mais grave também porque a gente gostaria de morar em Portugal... Largar tudo aqui e se jogar nessa aventura. Quem sabe...
Please, leitor(a), conto com o seu pensamento positivo, falou? Prometo que vou fazer várias vibrações pelo seu sonho também. Essa troca de energias positivas é o que dá força para o BEM se expandir pelo mundo, acredito eu.

sábado, outubro 16, 2004

sexta-feira, outubro 15, 2004

Dia de sorte!
Recebi hoje (quinta) minha primeira encomenda de mosaico: uma bandeja em tons de azul, da Lúcia. E aqui estão (finalmente registrados digitalmente) os meu primeiros trabalhos, pela ordem:

Sousplat:


Porta-chaves:


Que tal???
Meu querido filho Tom, estudante de Arquitetura deu a dica do fundo preto. Gostei!

sábado, outubro 09, 2004

Último dia!
Tudo o que é bom dura pouco... Minhas férias chegam ao fim. Hoje foi o último dia "útil" de férias. Acordei às nove e meia, naveguei na internet, só passeando por blogs amigos, orkut, vendo o Oliver Twist na GNT (adoro), e curtindo um CD de tango que meu "primo" argentino me mandou. Nos conhecemos por intermédio do site da cidade de Montemurro (Itália), de onde vêm nossos antepassados em comum. Fiquei ontem até tarde (muito tarde) jogando uns free trials de um joguinho chamado Puzzle Inlay viciante.
É bom fazer coisas inúteis de vez em quando.
Sobre a Seara, é um centro espírita kardecista, Ivis.
Eu era trabalhadora lá. Mas saí pra fazer pós-graduação e demorei mais dois anos pra voltar (o que soma 4 anos). Conclusão: estou de "recuperação". Em 2005 tenho que fazer reciclagem, que é o curso de educação mediúnica de novo, e só vou poder voltar a trabalhar, se tudo der certo, em 2006. Gosto do espiritismo porque ensina que tudo tem o seu tempo, e a gente aprende a relativizar muito os probleminhas cotidianos, sabe, analisar tudo a partir do que os americanos chamam de "big picture". Somos apenas um grão de areia no meio de uma praia infinita. Precisamos aprender a viver, a conviver, a amar o próximo e até os nossos inimigos, que em geral têm alguma lição p/ nos ensinar. Quando compreendemos isso, a vida fica mais leve.

Mosaico
Ontem pendurei meu porta-chaves. Vou tirar uma foto e ponho aqui p/ vc ver.
Bom feriado pra todo mundo!!!!!
DVDs alugados: Doze é Demais e Encantadora de Baleias.

quarta-feira, outubro 06, 2004

Mulhegada
Hoje é o dia da oitava reunião das Mulheres Atuantes. Como ainda estou em férias (inúteis, por sinal, porque continuo estressada...), vou lá. Vou levar minha mãe e a Augusta, minha professora de mosaico. À noite, tem Seara. Terminei meu tratamento espiritual e tenho que passar na orientação pra ver se já posso voltar a trabalhar.

terça-feira, outubro 05, 2004

Duas coisas
1) Mania de limpeza: minha mãe lava o lixo. Pode, isso??
2) Ontem à noite a Biba jogou seu primeiro campeonato de tênis da vida: Pais e Filhos, lá no Anhembi. Olha só como ela jogou com gente grande:


segunda-feira, outubro 04, 2004

Eu odeio as empresas de telefonia celular e as férias sem viagem
Elas são arbitrárias e fazem gato e sapato da gente. Odeio, odeio, odeio.
Também estou frustradíssima com as minhas férias sem viagem. Foi a coisa mais idiota que eu fiz. Tirar férias pra continuar na rotina... Desculpe o desabafo. Nem todos os dias a gente tá bem... OK, já passou.
Boa semana a todos.
Mais tarde eu volto com assuntos mais amenos.

sábado, outubro 02, 2004

Como é duro ser pré-adolescente!
A Lila falou sobre uma festa de aniversário da filha dela. Fui comentar lá e o comentário acabou virando um post. Ontem aqui em casa foi a maior choradeira porque a Biba tinha uma festa (aniversário da Giulia, que foi com a gente no consulado da Rússia) e não tinha sapato, não tinha roupa "de festa"..... O sapato dela tava apertado. A meia coçava. Não queria pôr meia-calça. Queria ir de sandália branca, saia branca e blusa vaporosa, sendo que tá o maior frio em Sampa... Eu explicava que ia ficar ridículo, por causa do tempo e tal. Ela chorava. O relógio andava, estava ficando tarde... Ela queria minha ajuda e ao mesmo tempo não aceitava nenhuma das minhas sugestões...
- Não quero pôr meia-calça!
- Essa roupa não é de festa!
- O sapato tá apertado!
- Não tenho roupa!
- Me ajuda, mãe!
Tudo com voz de choro, chorando, berrando, se atirando na cama...
Uma hora me irritei... Paciência tem limite!
- Tudo bem! Também não te levo mais. Pronto. Chega!!!!
- Me leva, por favor!
- Então, pára de chorar.
- Já parei.
Daí, vem o pai, em tom consolador:
-Vamos comprar um sapato.
Fomos. Compramos um sapato lindo na Side Walk (com cheque pré-datado, viu, Lila...).
A festa já tinha começado.
Chegamos lá e várias meninas estavam de sandália... Inclusive a aniversariante.
Mas pra mim, coruja total, ela era a mais bonita da festa!

sexta-feira, outubro 01, 2004

Mosaico
Aprendi a cortar o azulejo em pedacinhos e brinquei de colar os pedacinhos em um porta-chaves. Fiz flores, em homenagem à primavera. Quando der, ponho foto. Ainda falta passar o rejunte. Volto lá amanhã. Sonho em viver em meio àqueles pedacinhos coloridos... quem sabe um dia. Aceito encomendas! (obrigada pela dica, Pri!).

Política etc.
Nem Marta, nem Serra. Vou votar no PV. Não sei porque declarei meu voto, não gosto muito de política.
Hoje à noite tivemos um jantar agradável aqui em casa com a minha mãe e o Nelson (marido dela). Dia 24 foi aniversário dele e dia 26 o do Guilherme. Foi um jantar comemorativo incrivelmente calmo e tranqüilo. Thanks, God! No cardápio: capeletti com molho vermelho e queijo ralado bom, vinho argentino e de sobremesa goiabada cascão com queijo. Prosaico, mas tava bom.
Ando meio sem inspiração. Na verdade, estou tentando "esvaziar" minha cabeça, já que não vou viajar, tenho que encontrar formas alternativas de descansar no meio da rotina doméstica. Amanhã a minha assistente para assuntos domésticos não virá. Então, já viu, né?
Amanhã também vou finalmente começar aquele curso de mosaico que eu falei lááááá atrás, p/ quem se lembra.
Meu sonho de consumo é viver de calça jeans, camiseta, tênis e avental, produzindo minhas peças de mosaico, dando aula, fazendo encomendas, se possível em Portugal. Sonhar é grátis!!!
Nessa férias customizei umas quatro camisetas minhas, com crochê e aplicando fitas coloridas, forrei uma caixinha de madeira com fitas por fora e jeans por dentro, e vi muuuito DVD.
So far, so good.
O que eu mais gostei foi do "Alguém tem que ceder". Tirando as blusas de gola olímpica, que eu não suporto, adorei as roupas da personagem da Diane Keaton. Descobri que azul claro combina com bege, porque são as cores da areia em contraste com o céu. Lindo, não? Tô na fase das cores pastel. (É assim mesmo, o pastel não vai pro plural.)
Não fui na academia do clube, não achei a casa pra me mudar, não andei na USP, não tomei sol.... E já passou da metade das férias... ai, ai.
Outra coisa: estou absolutamente convencida de que preciso dar um jeito de organizar minha vida financeira. Não sou exatamente uma pessoa prática e tenho muita dificuldade nesse setor da vida. Estou pedindo ajuda para uma das Mulheres Atuantes, a Andréa. É sério.
E esse post ficou mesmo parecendo um mosaico, com tantos assuntos nada a ver um com o outro. E pensar que eu mal sabia o que escrever quando abri o blogger.