quinta-feira, fevereiro 28, 2013

Filhos



O filho de uma amiga vai estudar fora e o coração da mãe tá apertado.
Precisa ter coragem de deixá-los voar sozinhos pelo mundo.
Mas não tem outro jeito, não...

Boa ocasião para compartilhar com ela esse lindo, famoso e antigo texto aqui:


Vossos filhos não são vossos filhos.
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vêm através de vós, mas não de vós.
E embora vivam convosco, não vos pertencem.
Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,
Porque eles têm seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;
Pois suas almas moram na mansão do amanhã,
Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós,
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.
O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força
Para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria:
Pois assim como ele ama a flecha que voa,
Ama também o arco que permanece estável.
( Gibran Khalil Gibran )

quarta-feira, fevereiro 27, 2013

Desistir, resistir e insistir


Desistir é tão fácil.... em geral, não acontece nada quando a gente desiste de alguma coisa. Ontem tive insônia e resolvi dormir mais. Desisti de ir à aula de hidro. Por um lado, fiquei feliz por dormir mais, mas por outro, me senti mal por não ter cumprido um compromisso que estabeleci comigo mesma.
Depois, teve a chuva de fim de tarde e tive que terminar um relatório. Foi fácil desistir de ir à segunda aula do meu lindo e maravilhoso curso de Filosofia. Também não aconteceu nada (além de ter ficado com falta).
Mas certamente deixei de acrescentar à minha bagagem a mesma dose de conhecimento que meus colegas de classe estão cultivando também.
Depois de desistir uma vez, é fácil desistir pela segunda vez e desistir "para sempre".
Mas é melhor resistir. E insistir.
Dependendo do caso, dependendo do que você quer conquistar lá na frente.
Insistir é levar um tombo, levantar e continuar a andar, ou a correr.
É não deixar que as coisas lá fora te atrapalhem, que atrapalhem seus planos, seus sonhos e seus desejos.
Insistir é o que leva ao sucesso.

Desistir não leva a nada.
Insistir vai trazer uma resposta.
Desistir não vai trazer nada.
Insistir pode fazer com que você continue aquele relacionamento que te traz tanta alegria.
Desistir não vai trazer nada, mas pode trazer um vazio.
Então, meu conselho para hoje: insista.
Não desista.
Resista, não desista.

segunda-feira, fevereiro 25, 2013

Amizades e amizades


Há amizades. E amizades.

Alguns "amigos", principalmente no Facebook, não são amigos mas sim apenas conhecidos. Gente com quem a gente cruzou na vida e mal trocamos umas palavras.

Outros amigos são aqueles de infância, com quem raramente nos encontramos, mas que estão pra sempre no nosso coração.E é uma delícia continuar em contato com eles, ainda que seja virtualmente.
(Hoje, por exemplo, é aniversário de uma das minhas melhores amigas do colégio, a Márcia).

Tem amigos-família, que são de outra categoria, ainda. Alguns deles, a gente vê sempre e sabe de muito mais coisas do que as postagens no Face.

E tem amigos que a gente conserva por questões profissionais, o famoso networking.

Eu tenho amigas de blog, algumas muito queridas, com quem tenho tanto ou mais contato do que com certas amigas da vida "real".

Agora, tenho amigas/os do Coral do clube.

Sem falar em amigos do caminho espiritual que escolhi pra mim, tenho um monte deles. Adoro.

Não tem nada de errado em manter todos esses amigos conectados no nosso perfil.

Eu acho que não. E também não vejo um "perigo" tão grande,desde que a gente escolha bem as nossas configurações, quem vê o quê, etc.

Pensei em tudo isso porque hoje eu removi um "amigo". Foi uma pessoa que passou tão superficialmente na minha vida (a profissional), que pouco sentido fazia chamá-la de "amigo". O engraçado foi o que apareceu na tela do Face: "amigo removido". Me lembrou aquele filme "Brilho Eterno de uma Mente sem Lembrança" - sabe?? Engraçado isso de "remover" um amigo da sua vida.

Por outro lado, "apareceu" outro amigo, com quem a gente já tomou café da manhã na padaria algumas vezes e tal, com quem o meu marido jogou inúmeras partidas de tênis... Esse sim posso considerar "amigo".

Daí "acrescentei" esse amigo.

Muito engraçado isso. Remover e acrescentar amigos. Na verdade, acho até que é algo saudável de se fazer. Escolher aquelas pessoas com quem vc quer se relacionar, ou não. E aí não serve só p/ amizade, mas sobretudo para relacionamentos amorosos. É preciso escolher o que deve permanecer, o que deve sair. É um exercício diário. Importante. E você, já "removeu" algum amigo? Comente...

quarta-feira, fevereiro 20, 2013

Auto-estima

Cópia do texto publicado hj no Vigilantes do Peso. Mas que vale pra todo mundo!!!!


Você: o seu melhor amigo

De: Megan Gressor Tradução: Marcelly Ferrari
Você não acha que merece uma dose da sua própria adoração? Deixe-nos dar a dica de como dedicar a você o amor que você merece.
Como se gostar mais? Da mesma forma que você gosta de outra pessoa. Dedique algum tempo para se conhecer melhor, apoie seus esforços e pare de se julgar. Acima de tudo, procure o que há de melhor em você. E experimente as nossas dicas de amor-próprio.
1. Liste suas muitas qualidades.
E leia essa lista com frequência! Ela pode incluir qualquer coisa, desde cantar bem a seu um bom pai/mãe. E daí se você não é um gênio nem uma top model? Poucas pessoas são. Ainda assim, você ainda é uma pessoa importante, de quem todo mundo pode gostar.
2. Elogie-se sempre.
Concentre-se em diferentes atributos — sua aparência, sua voz, seu bom gosto para se vestir — e diga em voz alta: “Eu amo meu/minha _____.” Pode parecer forçado no início, mas é uma boa estratégia contra a insegurança.
3. Faça o que for preciso para se sentir bem com você mesmo.
Corte o cabelo, perca 5 kg... Tudo é válido. Faça o que for mais fácil primeiro, para se sentir mais confiante no que ainda vai fazer.
4. Permita-se desfrutar de prazeres regularmente.
Pode ser qualquer coisa, de flores a passeios. Surpreenda-se da mesma forma que você surpreenderia alguém que ama. Você faz essas coisas para que os outros se sintam bem. VOCÊ não merece a mesma consideração?
5. Passe mais tempo com quem se importa com você.
Em pouco tempo você vai compartilhar a opinião positiva que eles têm de você. Se no seu círculo de amizades não há tantas pessoas que o apoiem quantas você gostaria, experimente expandir esse círculo para aumentar as suas chances de receber feedback positivo. Pergunte a si mesmo: “Quem vai me ajudar a me sentir bem comigo mesmo?” E considere não só as pessoas mais próximas.
6. Evite situações que reforcem a sua insegurança.
Pode ser que você precise reavaliar relacionamentos de longa data — um parente crítico, um colega de trabalho que está sempre reforçando uma autoimagem prejudicial. Você está sempre esperando pela aprovação dos outros e nunca consegue? Em vez de simplesmente aceitar a crítica, você pode:
• Afastar-se dessa pessoa.
• Parar de esperar pela aprovação dela..
• Responder a comentários desagradáveis de maneira mais assertiva (por exemplo: "Eu me sinto mal quando você faz isso. Gostaria que me tratasse com mais respeito.")
7. Seja mais gentil.
Em vez de se depreciar toda vez que faz alguma besteira, seja benevolente, como seria com outra pessoa. Concentre-se nas suas realizações, e não nos seus erros. Você vai se surpreender quando descobrir que elas são mais numerosas do que você imaginava!

sexta-feira, fevereiro 15, 2013

Reflexões sobre o entardecer da vida


Você já imaginou como será a sua vida dos 70 aos 90? Ou dos 60 aos 80? Estamos falando em um período de 20 anos. É muito tempo. É toda a vida da minha filha, por exemplo. 
Com o avanço da medicina e a gente se tratando bem, fazendo exercícios, tendo uma alimentação saudável, e treinando a mente, é bem possível chegarmos aos 80, 90 ou até mais. 
Já pensou? 
Provavelmente você estará aposentada/o, filhos criados, netos lutando pela sobrevivência em alguma "selva de pedras" qualquer...
E você, com tempo livre, grana curta, saúde curta... O que vc vai fazer com toda a sua sabedoria e experiência? Suas manias... 
Será que você vai olhar p/ trás e sentir-se uma pessoa realizada? Ou ainda terá sonhos e planos a realizar? Terá encontrado o sentido desta vida ou estará contando os minutos para morrer? Terá medo da morte, ou estará pronta/o para encará-la frente a frente? 
Saberá lidar com a perda dos amigos, entes queridos ou estará triste, amargurada/o com as contrariedades da vida e a aparente arbitrariedade de Deus ao chamar de volta uns ao invés de outros? Todos nós estaremos trilhando os caminhos de uma velhice mais ou menos feliz, mais ou menos equilibrada, ou saudável, ou nem tanto... Nem tudo dependerá da nossa vontade ou das nossas escolhas. Ninguém quer ser dependente, mas quem garante se nós seremos, ou não? Talvez, sejamos do time daqueles que são chamados de volta mais cedo. Ou talvez, estejamos condenados a viver mais dias aqui nesse planeta de expiação e provas. Seja lá como for o nosso futuro, ele nos aguarda, pacientemente.
Meu desejo é que saibamos viver da melhor maneira possível os nossos dias presentes, que saibamos nos preparar para o que der e vier e que saibamos o que fazer com nosso tempo, nossos pensamentos e sentimentos. Que estejamos conscientes, e que quando “ela” chegar, que estejamos prontos para trilhar mais uma etapa (ainda que desconhecida, estranha e misteriosa) do nosso processo evolutivo, rumo à Eternidade ou seja lá o que for. 

quarta-feira, fevereiro 13, 2013

Ser pai


Ser pai é uma coisa bacana. Mas, em geral, o bebê precisa também da mãe. E, de preferência, dos dois juntos. Senão "para sempre", que a gente já sabe que é muito difícil, pelo menos por algum tempo.
Claro que há outras fórmulas e todas podem dar certo.

Estou falando isso em função da mais recente consulta sentimental que recebi. Vejam:

Minha esposa não engravida de jeito nenhum,pois ela não tem útero.Eu tenho 32 anos e agora com essa idade me bateu uma vontade enorme de ser pai.Resolvi enfrentar todos os problemas e corri o risco de perde-la, pois engravidei uma mulher para realizar meu sonho.Agora está super difícil de ela confiar em mim novamente,o que faço agora? Estou confuso dos meus sentimentos, pois estou feliz porque vou ser pai e triste porque corro o risco de perdê-la. 


Não entendo muito de Medicina, mas pode ser que a mulher não tenha útero. Achei um pouco estranho, mas acho que pode ser que algumas mulheres não tenham útero. Mas isso não quer dizer que ela não tenha vontade de ser mãe. Isso o "Anônimo" não explicou.

Qual mulher que por acaso lê este blog e que aceitaria que seu marido engravidasse outra mulher, movido apenas pela grande vontade de ser pai?? "Para realizar seu sonho" - como ele diz. Deixando sua mulher totalmente à parte nesse processo e buscando uma "outra"?

Me parece que o nosso amigo quis, na verdade, fecundar uma pessoa. Ser pai é outra coisa, é um papel de outra natureza.

Não sei se eles algum dia o casal conversou sobre o assunto, se comentaram que poderia ter uma solução ligada à inseminação artificial, até a tal barriga de aluguel, sei lá, existem mil possibilidades. Adoção... Isso sim é ser pai (ou mãe). O instante da fecundação pouca importância tem diante da grandiosa tarefa de ser pai  (ou mãe).

Muito me admira um rapaz de 32 anos que engravida uma mulher ("x" - ele não fala nada sobre essa mulher que está grávida e prestes a ter um filho dele) achar que poderá reconquistar a confiança da sua mulher, que não é capaz biologicamente de ser mãe. O que ele quis provar com essa atitude??

Não sei se ele voltará ao meu blog para ler a resposta e acho que a resposta pouco o ajudará.

Caso exista a possibilidade desse homem ter um relacionamento amoroso com a mãe do seu filho, é isso que ele deve fazer. Assim, deixa livre o espaço para que a sua mulher "infértil" consiga um companheiro adulto, bem resolvido, que a ame e que fique do lado dela e que decida com ela o que é melhor para o casal: buscar um método para conceberem uma criança juntos, ou adotar, ou viver a vida sem filhos, o que também é uma possibilidade para muita gente.

Por outro lado, pode ser que ele veja o tamanho do erro que cometeu e tente equilibrar os pratos, ou seja, ser um pai de verdade para esse filho concebido fora do casamento e ainda consiguir reconquistar sua mulher que nessas alturas deve estar duplamente ferida - não apenas pela traição amorosa, como também pelo fato de uma criança estar chegando ao mundo como fruto dessa "pulada de cerca".

Sinceramente?? Só tem um antídoto para uma situação como essa: o amor. Se essa mulher traída ama o seu marido, ela poderá não só perdoar, como amar também o filho dele. Mas uma coisa é certa: será difícil. Muito difícil.

Por outro lado, pode ser que a mãe do seu filho seja esse seu amor verdadeiro. Então será preciso ter coragem para deixar o caminho livre para a sua primeira esposa ser feliz com outro alguém.

As possibilidades são muitas. Espero que a cabeça desse companheiro seja iluminada para que ele tome a melhor decisão, admitindo que fez uma enorme besteira ao gerar essa criança que, coitada, não tem nada com isso e está chegando ao Planeta agora, sem saber de toda essa confusão.

Boa sorte!


sexta-feira, fevereiro 08, 2013

La musique

Todo mundo em ritmo de samba e eu no ritmo da canção francesa....
Sonhando em morar um tempo por lá. 



J'aime Plus Paris 

Je fais le plein d'essence,

Je pense aux vacances,


Je fais la gueule,
Et je suis pas le seul



le ciel est gris,


les gens aigris


je suis pressé

je suis stressé



j'aime plus paris


on court partout ca m'ennuie


je vois trop de gens,


je me fous de leur vie


j'ai pas le temps,


je suis si bien dan
s mon lit

prépare une arche


delanoë


tu vois bien,


qu'on veut se barrer


même plaqué or, paris est mort


il est 5 hors, paris s'endort

je sens qu'j'étouffe


je manque de souffle


je suis tout pale


sur un petit pouf


j'aime plus paris,


non mais on se prend pour qui,


jveux voir personne,


coupez mon téléphone


vivre comme les nones,


jparle pas de john



j'aime plus paris



passé le périph,


les pauvres r

n'ont pas le bon gout


d'etre millionaire



pour ces parias,


la ville lumière


c'est tout au bout,


du RER


y a plus de titi


mais des minets

paris sous cloche

ca me gavroche


il est finit, le paris d'Audiard


Mais aujourd'hui, voir celui d'édiar



j'aime plus paris,


non mais on se prend pour qui,


je vois trop de gens


je me fous de leur vie


j'ai pas le temps


je suis si bien dans mon lit


j'irais bien, voir la mer


écouter les gens se tairent


j'irais bien boire une bière


faire le tour de la terre



j'aime plus paris,


non mais on se prend pour qui


je vois trop de gens


je me fous de leur vie


j'ai pas le temps


je suis si bien dans mon lit


pourtant paris,


c'est toute ma vie


c'est la plus belle


j'en fais le pari


il n'y a qu'elle


c'est bien l'ennuie


j'aime plus paris...

quarta-feira, fevereiro 06, 2013

Confiança, erro, arrependimento, castigo


Quem nunca errou neste vida que atire a primeira pedra. Ninguém é infalível.
Mas hoje, não vamos falar de relacionamento entre homens e mulheres, e sim, sobre as responsabilidades, direitos e deveres de filhos e pais. Os pais têm obrigação de educar e de tentar corrigir os filhos. Faz parte da natureza do papel de pais e de mães. Por mais que os filhos reclamem, eles sabem no fundo, que quando os pais castigam é porque eles são amados. Se os pais não se importassem a mínima com os filhos, não iam se dar ao trabalho de castigar, concorda?

Bom, feita a introdução, vamos ao caso da amiga X que me escreveu o seguinte e-mail:

Li o seu blog e vi que você sabe lidar com a questão de confiança então queria pedir a sua ajuda 

meu nome é X e tenho 15 anos , queria a sua ajuda pra saber como reconquistar a confiança da minha mãe , vou lhe explicar o motivo ao qual eu perdi a confiança dela .Bem estava eu e o meu irmão mais novo de 14 anos em casa sozinhos, estávamos de ferias , e ai encontramos com uns amigos e ai tivemos a ideia de beber bebidas alcoólicas la em casa , minha mãe chegou e me pegou bêbada , desde de então ela não confia mais em mim, claro que ela tem motivos mas o que ela não entende é que eu não sou de fazer isso foi a primeira vez e espero que a última até eu completar meu 18 pelo menos , e eu não sei mais oque fazer , ela me deixou 1 ano de castigo , sem redes sociais , sem telefone, e vou ter que trabalhar na empresa dos meus pais até esse 1 ano acabar  e ela ate quer me mudar ate de escola , eu não sei mais o que fazer porque isso foi uma única vez e eu acho que ela esta meio exagerada mas ela tem motivos , bem eu só queria lhe pedir uma pequena ajuda pra saber como eu posso me sentir melhor e como reconquistar a confiança dela. 

Respondi assim:  


Bom, vamos lá... o meu blog é mais voltado para relacionamentos, mas vou tentar responder para você.
O que eu não entendi foi quanto tempo já passou do seu "castigo". Pelo que entendi, o episódio da bebida acabou de acontecer e você precisa dar um tempo para sua mãe entender que você não é disso, que foi a primeira vez, é natural os jovens quererem experimentar algumas coisas, mesmo ilícitas, só o que não pode é se tornar um hábito, e é essa a preocupação da sua mãe.
O melhor que você tem a fazer é provar para a sua mãe com o seu comportamento de hoje em diante que você é sim uma menina responsável, e trabalhar na empresa dos seus pais é a sua grande chance de provar isso.
Aos poucos, a sua mãe vai recuperar a confiança em você, duvido que vá durar um ano esse processo.
Mas no momento, você precisa aceitar o "castigo", não tem outro jeito... e provar com o seu comportamento que vc não é uma menina irresponsável.
Tenho certeza que logo logo ela te perdoará
. Porque as mães amam os filhos incondicionalmente, e a sua mãe não é diferente. 

Você tem que concordar que não foi nada agradável para ela chegar em casa e te ver "bêbada" como vc disse, né??
Bom, espero ter ajudado com as minhas palavras. 

Se quiser, me conte como as coisas se desenrolaram. 
Posso contar a sua história no blog (sem citar o nome, é claro!). Talvez possa ajudar outras pessoas na mesma situação que vc. 
Bjs e bos sorte!! 





E ela me respondeu mais uma vez:

Bem suas palavras me ajudaram sim , meu castigo esta realmente bem recente tem 1 mês só, e é vou seguir suas dicas e ver como ela vai reagir, pode deixar que te darei noticias se funcionaram as dicas , ah e a respeito de publicar no blog pode sim é claro podemos ajudar outros adolescentes como eu a achar uma resposta.