domingo, dezembro 28, 2003

Cupido
Ninguém tem mais a ver com o amor do que o Cupido, aquela famosa figura mitológica que dispensa apresentação. O Cupido da minha história de amor foi uma moça chamada Carlinha, com quem nunca mais falamos. Ela nos apresentou quando estávamos no ônibus chamado Largo São Francisco, a caminho do Equipe, onde eu fazia cursinho e o Guilherme, supletivo do segundo grau.
Agora, Cupido virou série da Sony.

sexta-feira, dezembro 26, 2003

Tudo gira em torno do amor
Voltando ao tema do blog: tem que assistir Simplesmente Amor. Certo, certo. Sei que o título é boboca. Mas o amor também é. Sendo assim, o filme é altamente recomendável porque aborda várias formas de amor, as histórias se cruzam sutilmente, o canastrão do Hugh Grant está muito interessante no papel de primeiro ministro. O primeiro ministro também tem sentimentos. E o objeto do amor pode estar acima do peso. A candidata a amante não dá trégua e o alvo finalmente cede. E a "matriz" é inteligente, bonita e encontra uma saída não-egoísta embora dolorida. O amor não precisa ser sexual - pode ser até o do cantor decadente e amalucado pelo seu produtor gorducho. O amor não tem idade. O amor inclui sofrimento - quando o amigo fica apaixonado pela mulher do melhor amigo. Tudo isso. E mais um pouco. E um pouco de lágrimas, para temperar, o que eu adoro.
2004 chegando
Pronto. Foi-se o Natal. Agora vem o Ano Novo e assim vai a vida.
A Patrícia não apareceu na nossa festinha de Natal. Em compensação, veio o Marcelo, o namorado da Érica. O Tom foi p/ a Ilha do Mel. A Marjorie ganhou um blog novo (fiz p/ ela e espero que ela goste).
E ninguém mais agüenta ver a cara do peru de Natal... Que deprimente... Três dias comendo a mesma comida! Claaaro que fiz comida demais... Isso porque tentei ser comedida ao máximo. Fiz um panelão de arroz com passas. Ficou uma papa só e ninguém comeu. Eu já disse que cozinhar tem a ver com "arte culinária" e arte não é para qualquer um que se arvora na cozinha, entre colheres de pau e panelas de teflon. Eu, por exemplo, deveria desistir definitivamente desses arroubos, que só me trazem problemas.
E a válvula que pula quando o peru tá pronto que não queria pular de jeito nenhum?? Quase fui lá e arranquei a tal da válvula. Que alegria quando ela pulou! Sozinha!
Bom, foi assim o Natal.
E eu que esqueci de dar um dos presentes da Marjorie? Lembrei hoje, agora há pouco. A camisola cor-de-rosa, que eu comprei antes de todos os outros presentes. Ela adorou!

terça-feira, dezembro 23, 2003

Natal chegando
A ceia vai ser aqui em casa. Preparativos: supermercado, presentinhos, casa limpa, mais do que o habitual. O problema é o micro: impressora que não imprime, e-mails que não vão sozinhos do hotmail p/ o outlook... etc.
A família toda se resume a dez pessoas: D. Florência, Duda, Andréa, Patrícia, Érica, Gláucia, Guilherme, Tomás, Marjorie e eu. Feliz Natal!

sábado, dezembro 20, 2003

Férias!
Estou OOO até o dia 12 de janeiro de 2004. A Biba foi com a Delly para Itu hoje, mas volta amanhã. Estava tão feliz que não conseguia parar de sorrir. Sábado ensolarado. Até parece que a vida~é boa!

quarta-feira, dezembro 17, 2003

São Paulo + trânsito + Natal + carros com placas de fora = caos urbano
Morar em São Paulo significa encontrar maneiras de enfrentar o trânsito nosso de cada dia. Só se vê carros com aqueles odiosos vidros "filmados" e/ou carros com aqueles horripilantes ganchos que não servem para puxar nada. Só pra machucar canelas desavisadas. Odeio.
Mas procuro me distrair cantando e dançando e nem aí pra quem passa do lado. Minhas coreografias automobilísticas mantêm minha sanidade mental nessa cidade louca.

Sobre os carros com placa de fora: longe de mim ter preconceito de qualquer espécie, mesmo porque eu queria ter a chance de sair de SP um dia. Mas se você vê um motorista dirigindo a 15 por hora, na pista da esquerda, e vendo vitrines ao mesmo tempo, ou procurando uma improvável vaga de estacionamento, pode crer que o cara tá passeando e não é de São Paulo. Paulistano que se preze, tá sempre correndo e com pressa e estressado.

terça-feira, dezembro 16, 2003

História de amor emprestada
Hoje, ninguém precisa escrever mais nada em nenhum blog.
A Adriana M. já escreveu tudo. Tudo a ver com este blog aqui. O texto se chama Minha cama virou um deserto. O resto é literatura barata.

segunda-feira, dezembro 15, 2003

Feliz aniversário, Marjorie!


Pára tudo! Hoje é aniversário da minha querida filha do coração, a Marjorie, que um dia já quis mudar de nome, já que estava cansada de ter que repetir pelo menos duas vezes o seu nome, quando alguém perguntava:

- Que menina linda! Como é o seu nome?
- marjorie
- Como?
- MARJORIE!!

Pouquíssimas pessoas entendiam de primeira. Isso porque eu queria um nome lindo e original. Marjorie tem origem escocesa e quer dizer "pérola".

Mais tarde, na escola, a crueldade infantil encontrou o odioso apelido "mármore" para ela. Futuros pais, pensem nisso! Pensem com as cabeças perversas da infância - que apelido podem querer colocar no meu filho / filha - antes de escolherem o nome do pimpolho / pimpolha.

Marjorie, querida, te desejo a felicidade mais brilhante, o carinho mais especial da sua família, o futuro mais doce, os amigos mais fiéis, os professores mais camaradas, as notas mais próximas possível das notas máximas, mas baixas o suficiente para que você não seja chamada de "CDF", os brinquedos e brincadeiras mais divertidos, e muita, mas muita saúde mesmo, pra aproveitar tudo isso, sempre com o seu bom-humor de sempre, temperado com a sua alegria de viver, com a sua sede de saber de todos os detalhes do que acontece no mundo à sua volta.

Um beijo super-mega-ultra especial no dia de hoje! da sua mãe que te ama mais que a lua e as estrelas todas juntas no céu.




Sol e chuva, casamento de viúva. Chuva e sol, casamento de espanhol
Não entendo como a maoria das pessoas prefere o calor ao frio.

Pelo menos sei que a Josélia Pegorin, a "mulher do tempo" que fala da rádio Eldorado, não acha que "tempo bom" é "com sol". Isso de tempo bom é muito relativo. Eu, por exemplo, nunca vi neve na minha vida e não posso imaginar nada mais emocionante do que fazer um boneco de neve, uma guerra de bolas de neve... ver a neve caindo, coisas assim.
Nem digo esquiar, porque não chego a sonhar tão alto.

Isso tudo piorou depois da minha primeira viagem internacional. Comecei em grande estilo: fui passar a virada de 2000 para 2001 em Paris! Tinha uma microcozinha no quarto, coisa bastante prática e econômica.

Bonne anné! - era o que mais se ouvia nas ruas. Chovia e fazia muito frio. Ficamos em uma fila quilométrica no meio da calçada da Champs Elisées para conseguir entrar em um restaurante com uns amigos que moram em Portugal. A chuva começou a se solidificar e fiquei animadíssima esperando a neve (que nunca chegou). Mas enfim, estávamos todos felizes. E fazia um frio danado! Conclusão: toda vez que faz um dia nublado, frio, molhado, eu me lembro de Paris e fico feliz.

A coisa toda piorou ainda mais depois que fomos passar o carnaval em... Londres no ano passado. As reportagens de turismo diziam que se a pessoa não levar um guarda-chuva na bagagem vai acabar tendo que comprar um lá. Ficamos molhados uns dois dias, andando sob a chuva londrina. Quando finalmente cedemos e resolvemos comprar o tal guarda-chuva, depois de um passeio molhado ao parque St. James, a chuva repentinamente parou. E não choveu mais no resto da temporada londrina, que só durou alguns dias...

Chuva? Frio? Quem se importa, estando em Paris ou em Londres?
Morrer de calor em São Paulo - no meio do asfalto derretido - é mil vezes pior.

sexta-feira, dezembro 12, 2003

Cores e dias da semana
Li em uma revista que a cada dia da semana corresponde um anjo e uma cor.
Acabei decorando (saber de cor - saber de coração, explicaram um dia).

Segunda - branco
Terça - verde
Quarta - amarelo (o dia da prosperidade)
Quinta - vermelho
Sexta - rosa
Sábado - roxo, lilás
Domingo - azul

Vou ficar devendo o nome de cada anjo. Como toda boa geminiana eu sei de tudo um pouco, mas nem sempre tenho a informação completa. Só a parte que me interessa, né, Alê?

quinta-feira, dezembro 11, 2003

Tristeza doce
Nem sempre a tristeza é uma coisa negativa. Continuei pensando na palavra melancolia e descobri que ela quer dizer uma tristeza doce. Agora, estou mesmo é numa fase de nostalgia (o sufixo "algia" deve ter a ver com dor - uma dor do passado, de algo que já foi, que nem água por entre os dedos da mão). Acabei de descobrir que o meu diploma de jornalista completou 20 anos. E isso é um fato e tanto. Fiquei pensando se fiz a escolha certa. Imagine... depois de tanto tempo... Mas é que antes de jornalismo, fiz dois anos e meio de psicologia na PUC. Tinha que ser na PUC. Eu admirava a professora de psicologia do colegial - Clarinha - e queria ser que nem ela. Por isso, entrei em Psicologia. Mas quando começaram a falar em pacientes e coisa e tal, vi que não ia dar certo. Muita responsabilidade!! Então resolvi que em vez de psicologia - carreira onde eu poderia "ajudar" uma pessoa de cada vez - eu poderia fazer jornalismo, para "ajudar" um monte de gente de uma vez só. Juro que pensei isso! Quanto idealismo! Quanta ilusão!! Mas é verdade. O tombo (cair na real) foi duro, confesso. Vi que o mundo não pode ser consertado. Daí a melancolia.
Mas isso tudo é porque amanhã vai ter um encontro da minha turma da ECA e eu estou superanimada. Embora ache que não vou lembrar de ninguém. Ando tão gagá ultimamente...

quarta-feira, dezembro 10, 2003

Melancolia
A palavra é tão bonita, tem até outra palavra embutida - "mel". Mas o significado é triste. Essa época de Natal com todo mundo esquecendo porque é Natal me deixa assim meio melancólica. "Melancólica" já tem outra palavra embutida - cólica, que lembra cólica menstrual, coisa mais chata. Coitados dos homens que têm que agüentar as mulheres. Ora elas estão na TPM, ora com cólicas, ora ligam nas horas mais impróprias exigindo que eles declarem o seu amor em público...

terça-feira, dezembro 09, 2003

O que fazer hoje à noite?
Acabou o Joe, Millionaire. Agora fiquei órfã. Não sei o que ver na TV nas terças-feiras à noite. Aceito sugestões, mas o babado tem que começar depois das 21 horas.

segunda-feira, dezembro 08, 2003

sexta-feira, dezembro 05, 2003

Mudanças
2004 tá chegando. Um ano novo sempre inspira mudanças. Algumas dão certo, outras não. Meu cabelo foi uma coisa que não deu certo esse ano. Quem sabe no ano que vem. Mas eu não tenho medo de arriscar. Cabelos crescem, por exemplo (ainda bem). Por isso, gosto de programas como Changing rooms e What not to wear. Uma boa mudança pode até atrair o amor. Pronto, aí está a relação da mudança com o blog. Done!

quinta-feira, dezembro 04, 2003

Cinderela
Ontem fiquei até tarde vendo a Cinderela da Drew Barrymore.
Nada a ver com Walt Disney. Não tem abóbora que vira carruagem e nem o sapatinho é de cristal. Mas estão lá a madrasta má, o príncipe, o indefectível happy end.

quarta-feira, dezembro 03, 2003

Joe, o milionário
Ontem, a FOX transmitiu o último capítulo desse conto de fadas moderno . Ele (Evan) escolheu a Zora e ela o perdoou por ter "mentido". Então, entra o Paul, com uma bandeja de prata, daquelas com tampa... misteriosa... com um "cheque" de um milhão de dólares como presente para o feliz casalzinho. Como é bom sonhar. Já não acredito muito que tenha sido verdade, mas não deixa de ser uma linda história de amor com final feliz, como eu gosto.
Fala sério! Só aquele castelo no interior da França.... já vale o tempo perdido vendo o programa bobinho. Qualquer dia escrevo como e porque acho que o amor é bobinho.

segunda-feira, dezembro 01, 2003

Foi tudo um sonho. Acordei
Ontem vi "A Bela Adormecida", pela enésima vez, no canal Disney. Tinha esquecido de um detalhe. Ela sonha com o príncipe Felipe mesmo antes de conhecê-lo. Ai, que romântico!

sexta-feira, novembro 28, 2003

Você já chorou em público?
Anteontem fomos ao Shopping Eldorado comprar o presente da amiga secreta da Biba, que era pra dar no dia seguinte. Era umas 21h30 já e as lojas estavam quase fechando. Corremos, brigamos por coisas bobas, mas deu tempo. Depois do "vale presente" pouco criativo, mas funcional, fomos naquela loja Imaginarium comprar um presente de aniversário atrasado pra outra amiguinha da Biba. Compramos um castiçal interativo muito legal. Você escreve o que quiser no copinho coberto por "branquinho" e depois acende a vela que vem dentro, pra iluminar a frase. Foi quando vi um cartão com uns dizeres que eu já conhecia: "Procure me amar quando eu menos merecer pois é quando eu mais preciso". Não é que fiquei tão comovida que comecei a chorar em plena escada rolante do shopping? Deve ser TPM.

Ainda não aprendi como deixar meus convidados comentarem esse blog... Mas não perdi as esperanças.
Teste para dias enfastiados

Eu sou o Neo
Eu sou o Neo, do "The Matrix." Eu
revelo uma perfeita fusão de heroísmo e
compaixão.


What Matrix Persona Are You?
brought to you by Quizilla

quinta-feira, outubro 30, 2003

Como escolher o homem ideal?


Para saber se um homem é ideal, compare-o também a um automóvel. Fazendo o check-list abaixo, você encontrará a resposta:


1) Verifique o interior. Não se iluda com o design.
2) Verifique o ano. Os muito novos ainda precisam ser amaciados. Os muito rodados, além de pegar os vícios das donas anteriores, costumam dar muito problema mecânico.
3) É estável? Ou balança quando se depara com qualquer curva?
4) Obedece ao comando com facilidade? É ágil ou demora a responder?
5) É muito importante verificar a alavanca de câmbio. Deve ser robusta e de agradável manipulação. Faça o teste: engata com facilidade ou costuma emperrar?
6) Fuja do que é movido a álcool.
7) Evite os muito barulhentos ou que emitam ruídos desagradáveis como roncos e escapamentos desregulados.
8) O motor mantém temperatura constante? Ou esquenta rapidinho, percorre pequena distância e morre logo em seguida?
9) Leve para um test-drive. Se o homem passou em todos esses testes e lhe
agrada, lembre-se:

ANTES DE COMPRÁ-LO, FAÇA UM CONTRATO DE LOCAÇÃO E USE-O POR UM OU DOIS
MESES. NESSE PERÍODO VOCÊ AINDA PODE TER SURPRESAS DESAGRADÁVEIS.

AÍ, É SÓ DEVOLVER.



quarta-feira, outubro 29, 2003

O propósito deste blog

Um belo dia resolvemos nos casar. Nos conhecemos em 75, fomos morar na Vila Brasília em 80. Nosso filho nasceu em 83. Nossa filha, só chegou em 92. No dia 21 de dezembro de 77, entrava eu de braço dado com o meu filho na igreja, de coque, vestido azul bem clarinho, buquet. Minha filha e minha afilhada foram as damas de honra. E tudo dura até hoje! Sirvo ou não para te dar alguns conselhos de amor? Espero que sim.

Prometo manter a privacidade de quem me escrever e prometo responder o mais rápido possível. Páro de fazer o que eu estiver fazendo na hora para responder. Ás vezes, quem está de fora, enxerga melhor a situação. Acredite.
Para inspirar, Rita Lee, a letra da música "Amor e Sexo", de que eu gostei muito(depois descobri que foi inspirada em uma crônica do Arnaldo Jabor.... enfim, ninguém é perfeito, não é mesmo?), do CD "Balacobaco":
"Amor é um livro - Sexo é esporte
Sexo é escolha - Amor é sorte
Amor é pensamento, teorema
Amor é novela - Sexo é cinema
Sexo é imaginação, fantasia
Amor é prosa - Sexo é poesia
O amor nos torna patéticos
Sexo é uma selva de epilépticos

Amor é cristão - Sexo é pagão
Amor é latifúndio - Sexo é invasão
Amor é divino - Sexo é animal
Amor é Bossa Nova - Sexo é Carnaval

Amor é para sempre - Sexo também
Sexo é do bom - Amor é do bem
Amor sem sexo é amizade
Sexo sem amor é vontade
Amor é um - Sexo é dois
Sexo antes - Amor depois

Sexo vem dos outros e vai embora
Amor vem de nós e demora"

Tudo bem, quem está interessado na parte do sexo. Mas eu estou aqui para falar de amor, de preferência, do "amor romântico", daqueles que dão um bom filme "de chorar".

Mande um e-mail pra mim: sangerami@gmail.com.
Bote no assunto "consulta sentimental", pra que eu possa identificar a sua mensagem no meio do lixo eletrônico que costuma chegar por esse endereço, tá?

Até mais!