quarta-feira, dezembro 22, 2010

Deus

Recebi esta mensagem agora e ela reflete bem a minha concepção de Deus.
Tudo a ver com essa época natalina!
Vou dividir aqui com você:

Deus átomo repousa nas rochas
cresce nas plantas
anda nos animais
pensa nos homens e ama nos anjos
por isso respeite
as rochas como se fossem plantas
as plantas como se fossem animais
os animais como se fossem homens
os homens como se fossem anjos

sábado, dezembro 18, 2010

Rayana Kallyne

Sabe o "Pequeno Príncipe"? Acho que quase todo mundo já leu. Uma das lições que o livro traz é que somos responsáveis por aquilo que cativamos.
E a minha amiga virtual Rayana me deixou um comentário que me entristeceu, porque as últimas semanas foram muito corridas e eu meio que "abandonei" não só ela, mas todos os amigos e amigas bloguísticos.
Pois é, mas eu me sinto responsável pelas pessoas que chegam aqui. Não quero que ninguém se sinta abandonado ou esquecido.
Ainda mais nessa época!
Bom, espero que ela me perdoe o "sumiço"!!! rsrsrs
Bjs a todos e Feliz Natal!

quinta-feira, dezembro 16, 2010

Não comprem notebook da HP!

Quem lembra deste post aqui:
http://consultasentimental.blogspot.com/2008/12/problemas-com-hp-e-fast-shop.html
???

Pois é, depois de dois anos, ele mórreu!

Não tem conserto e está indo para o ferro-velho. Triste fim de uma história que começou mal....

Meu amigo acabou de comprar um desktop da Dell, pagou caro e se deu mal também. Da Lenovo não quero, por motivos pessoais. Quem tem alguma dica de notebook que dure mais de dois anos, please???

Obrigada e bjs,

quarta-feira, dezembro 08, 2010

Filminho que vale nota pela quantidade de acessos!

Veja que fofo o vídeo!

Olha o e-mail que a Catarina (a mãe da videomaker) mandou:
Oie amigos !!!

Minha filha fez o vídeo sobre insônia. Por favor assistam, pois um dos fatores que contam para formar a nota de avaliação será a quantidade de acessos.

TEMOS ATÉ DIA 10 DE DEZEMBRO PARA DERROTAR ALGUNS QUE ESTÃO NA SALA DE AULA DELA E JÁ TEM 10.000 MIL ACESSOS !!!!!

Peixe urbano

Me cadastrei lá.
Alguém aí já usa? Tão gostando??
Reza a lenda que se alguém clicar no link acima e comprar alguma coisa lá, eu ganho 10 reais. Será??? rsrsrs

segunda-feira, dezembro 06, 2010

A última da Helena

A gente estava no shopping Paulista e uma das escadas rolantes não estava funcionando.
Ela:
- Aquela ali acabou a pilha, vovó.

terça-feira, novembro 23, 2010

Sobre as coincidências (ou sincronicidade?)

Minha querida amiga jornalista e escritora Yami escreve em um parágrafo do seu livro sobre as coincidências. Eu também sempre achei que quando elas acontecem indicam que estamos "no caminho certo". Fui pesquisar agora e achei um texto bacana de uma psicóloga sobre o assunto:


Quem faz o azar......
O fenômeno da sincronicidade, segundo Jung 

As relações de causa e efeito apenas produzem o que poderíamos chamar de fenômenos normais. Como quando alguém diz: eu estava falando da alta do dólar e de repente o preço dos importados tinha aumentado. Ora, num tempo de alta flutuação cambial, é perfeitamente lógico que um dos efeitos seja o aumento dos importados.
Escrever para um amigo e receber a resposta é muito diferente de apenas acordar pensando muito nele e à tarde receber outra carta. A sincronicidade é sempre uma coincidência acausal.

Ela é o encontro de duas cadeias paralelas de causa e efeito. O acontecimento exterior vem sempre reforçar, ilustrar. ampliar uma busca interna marcante. No caso da paciente de Jung, o escaravelho na janela veio reforçar o desejo que aquela mulher tinha de entender o significado lógico e racional da presença do inseto em seu sonho.

Jung viu neste caso um fenômeno de sincronicidade - fato interior gerando um fato exterior.

Tanto que abriu a janela, pegou o inseto e disse: eis o seu escaravelho. Ele era o símbolo vivo de que aquela mulher devia despertar para vivências de dimensões da realidade que estão fora da lógica, do tempo e do espaço. Longe de ser uma pura relação de causa e efeito, tipo aumento do dólar aumento dos importados, a sincronicidade significa uma vivência ilógica, muda, secreta, pessoal.

Muitas vezes decisiva, mas difícil de ser percebida em sua totalidade no momento que acontece. Só de um outro ponto de vista pode ser integralmente compreendida, assimilada, contada. As vezes é
preciso até viver muitos anos para, olhando o passado, dizer: como aquele fato, aquele dia foi importante, a vida inteira parece que só me preparei para ele.

Como aprender a ter sorte?

Preparar-se para sincronicidades felizes. Aprender a ter sorte. Será isso possível? Como mobilizar energia para que a grande rede da vida se teça a nosso favor, para que o mundo à nossa volta não se torne uma ameaçadora teia de azares? Aqui não há receitas. Mas eu diria que certa sincronicidade interna, certo "estar bem consigo mesmo" tende a produzir coincidências felizes.

Pessoa sincrônica é aquela que tem suas necessidades internas alimentadas pela realidade exterior. Ela se conhece bem, sabe o que quer, caminha na direção do que precisa e assim cedo ou tarde, a vida se move a seu favor. Quem pelo contrário é infiel às suas verdades internas, finge em relação a si próprio, não sabe o que quer, se arrisca a entrar neste campo de energias contraditórias, negativas, a que costumamos chamar de azar. Veja só a figura do azarado:

O sujeito que bate o carro, briga com a namorada, com o amigo, chega em casa encontra duas multas e um aviso do cartório de protestos. Tudo o leva a concluir: é, o mundo está contra mim.
Ou a má fase não estará refletindo sua dissincronicidade, uma desarmonia interna, um não saber o que se quer.

Ouvir bem seus desejos é fundamental para uma fiel relação de energias com a vida.

O que a gente de fato quer, nem sempre corresponde àquilo que a gente pensa que quer.


*Doucy Douek é Psicóloga clínica, há mais de 25 anos, com especialização em Psicoterapia pela PUC-SP. Facilitadora Certificada em Respiração Holotrópica pelo Grof Transpersonal Training. Pioneira na introdução desta abordagem no Brasil.

terça-feira, novembro 16, 2010

Nana

Minha fiel leitora sempre merece um post especial como resposta.
Pois é, Nana, mas os casos em que o corpo não "aceita" a maternidade são diferentes... A minha segunda filha também só decidiu sair lá do Céu quando eu já tinha 35 anos... Mas aí o caso é diferente.
Não gosto de generalizações simplistas, cada caso é um caso. O problema é que muitas mulheres hoje em dia adiam a maternidade porque querem primeiro se dar bem profissionalmente e financeiramente, e nem sempre acho que essa é a melhor opção.
Uma vez li em um livro a história de uma família que decidia ter mais um filho e o que acontecia era que o pai recebia uma promoção extra ou acontecia alguma coisa que sempre dava um fôlego financeiro maior à família para que aquele filho "a mais" pudesse ser bem recebido, em um lar em harmonia (inclusive financeira), sem maiores problemas. Acredito mesmo nisso, que sempre se dá um jeito e que o resultado - depois que um casal tem a coragem de ter um filho - é sempre positivo, em todos os sentidos. Mas essa a minha posição muito particular, respeito também quem opta por não ter filhos, Só acho que pra mim, a vida seria vazia sem meus filhos (e agora a neta).

sexta-feira, novembro 12, 2010

Pesquisa do IBGE

Vi esta notícia no iG e fiquei pensando - que erro! Não o fato de as mulheres quererem homens mais novos, mas de terem filhos cada vez mais tarde. Acho que quando elas resolvem ter filho já é tão tarde que acabam cometendo mais erros na sua educação. Acabam virando crianças malcriadas, no mau sentido do termo (mimadas, sem limites, etc.)

Acho que hoje estou a fim de dar início a uma bela polêmica. Vamos lá!

domingo, novembro 07, 2010

Sobre a Sakineh


A Nana perguntou e eu descobri uma notícia interessante sobre o caso dela neste link.
E a foto que ilustra este post eu tirei em Roma, na sede da Unicef.

sexta-feira, novembro 05, 2010

Tadinho do brog...

Tão abandonadinho.... fez aniversário (29/10 - 7 anos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!) e a data passou em branco. Ô que peninha dele....

quarta-feira, novembro 03, 2010

12 horas para salvar Sakineh

(recebi por e-mail e decidi colocar aqui. Na minha viagem à Europa vi vários protestos contra a atitude do governo do Irã. Que coisa! Em pleno 2010 acontecer uma coisa dessas?? É inacreditável...

Você já soube que Sakineh Ashtiani poderá ser morta pelo governo do Irã hoje?

Acabo de enviar uma mensagem de emergência aos aliados do Irã e às principais autoridades da ONU pedindo para que eles intervenham e ajudem a salvar a vida de Sakineh. Leia o e-mail abaixo e junte-se a mim ao enviar a mensagem agora mesmo:
http://www.avaaz.org/po/24h_to_save_sakineh/98.php?CLICKTF
----
Caros amigos,
Hoje, Sakineh Ashtiani poderá ser executada pelo Irã.
Nosso protesto mundial impediu que Sakineh fosse apedrejada injustamente em julho. Agora, temos 12 horas para salvar a vida dela.
Os aliados do Irã e as principais autoridades da ONU são nossa maior esperança: eles podem convencer o Irã do sério custo político desse assassinato de uma figura com alta exposição na mídia. Clique no link abaixo para enviar a eles um pedido urgente de mobilização e encaminhar este e-mail a todos o mundo. Você só gastará três minutos. A última esperança de Sakineh somos nós:

http://www.avaaz.org/po/24h_to_save_sakineh/98.php?CLICKTF

O caso de adultério de Sakineh é um trágico embuste cheio de violações de direitos humanos. Primeiro, ela foi condenada à morte por apedrejamento. Porém, o governo iraniano teve de anular a sentença depois que os filhos dela conseguiram gerar um enorme protesto contra aquele julgamento ridículo; Sakineh não domina a linguagem usada nos tribunais e os alegados incidentes de adultério teriam aconteceram após a morte do marido dela.

Em seguida, o advogado dela foi forçado a se exilar e a acusação conseguiu inventar uma nova queixa falsa que justificaria a morte de Sakineh: o assassinato do marido dela. Apesar de isso configurar um caso de “non bis in idem” (dois julgamentos pelo mesmo crime), pois ela já está cumprindo pena por suposta cumplicidade nesse crime, Sakineh foi torturada e exibida em rede de televisão nacional para “confessar” e acabou sendo julgada culpada. O regime já prendeu dois jornalistas alemães, o advogado e o filho de Sakineh, que tem corajosamente liderado a campanha internacional para salvar a mãe. Todos continuam na prisão. O filho e advogado de Sakineh também têm sido torturados e estão sem acesso a advogados.

Agora, ativistas de direitos humanos iranianos afirmam que acaba de ser emitido um mandado de Teerã para executar Sakineh imediatamente, ela está na lista e hoje é o dia da execução.

Campanhas persistentes fizeram o Irã anular a sentença de apedrejamento de Sakineh e atraíram a atenção de dirigentes de países que exercem influência sobre o Irã, como a Turquia e o Brasil. Agora, vamos todos erguer nossas vozes com urgência para impedir que Sakineh seja executada e sofra tratamento desumano e para libertar ela própria, seu filho e advogado e os jornalistas alemães.

http://www.avaaz.org/po/24h_to_save_sakineh/98.php?CLICKTF

Um grande protesto público tem a autoridade moral para impedir crimes atrozes. Vamos usar as 12 horas que temos para enviar uma mensagem clara: o mundo está de olho no Irã e todos estamos unidos para salvar a vida de Sakineh e contra a injustiça em qualquer lugar do mundo.

Com esperança e determinação,

Alice, Stephanie, Pascal, Giulia, Benjamin e toda a equipe da Avaaz

Fntes:

Organizações temem execução de Sakineh Ashtiani nesta quarta-feira, AFP:

http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5hKeUcofAZUuU7jumgbIj6xIIgarA?docId=CNG.b4d828da13a9ab0acfb00f889198ac56.211

Itamaraty aguarda confirmação de notícia sobre execução da iraniana Sakineh Ashtiani, O Globo:

http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2010/11/02/itamaraty-aguarda-confirmacao-de-noticia-sobre-execucao-da-iraniana-sakineh-ashtiani-922928036.asp

The Islamic regime of Iran plans to execute Sakineh Mohammadi Ashtiani immediately http://stopstonningnow.com/wpress/4194

Sakineh Mohammadi Ashtiani: A life in the Balance (Amnesty International)
http://www.amnesty.org/en/library/asset/MDE13/089/2010/en/589bd56b-49ac-4028-8dc6-abd903ac9bac/mde130892010en.pdf

segunda-feira, outubro 25, 2010

Google Maps

Pois é, o furor em torno do Google Maps foi quando eu estava viajando. Só hoje vi minha casa lá. E o Google pegou meu jardim da frente em um momento especialmente descuidado. Que pena!

Outra coisa que merece registro é que hoje comecei minhas caminhadas com o personal trainner do clube, o Fabinho. Então, minha agenda tá assim: segunda e quarta: caminhada, terça e quinta: hidro, e sexta natação. Tá bom, né?? Dessa vez eu elimino, trucido, acabo com a raça dos meus quilos extras..... Sentiu firmeza?? rsrsrs

domingo, outubro 24, 2010

Para Nana

Nana, querida, obrigada por perguntar.
A visita do meu pai foi ótima!!
Adoro quando ele e a Aparecida vêm me visitar.
Mas, como sempre, foi rápida demais.
Na sexta, de manhã cedo, eles já voltaram pra Caraguá.
Mas quer dizer então que a baby vai se chamar Lara!
Lindo nome!
Curta bastante a visita da sua mãe!
Bjs,
Sil

quarta-feira, outubro 20, 2010

Meu pai

Hoje meu pai vai vir aqui em casa e estou ansiosa para que ele chegue logo. Mas me ligou há pouco dizendo que um acidente com uma carreta na estrada vai atrasar sua chegada em mais de 3 horas. É mole??

segunda-feira, outubro 18, 2010

Pensamento para a segunda

Recebi da minha mãe por e-mail e achei bem útil:

Sábio ensinamento

Um ocidental em visita à China ficou surpreso ao notar a quantidade de velhos saudáveis. Curioso sobre os aspectos da milenar medicina chinesa, indagou a um experiente médico qual o segredo para se viver mais e melhor.

Ouviu a sábia resposta:

- É muito simples. É só:

Comer a metade.
Andar o dobro.
E rir o triplo.


quarta-feira, outubro 13, 2010

Quarta com sabor de segunda

Esta quarta-feira tem cara de segunda, né?

Depois do feriado e da viagem, o ritmo de retomada naturalmente é mais lento, mas o tempo é inexorável e avança sobre quem quer que seja que se interponha entre ele e o futuro. Ele avança, passos largos, firmes e resolutos e o futuro vai virando rapidamente presente e passado em frações de segundos.


terça-feira, outubro 12, 2010

Metade da vida


Não sei quando foi, é ou será a metade da minha vida. Mas ela pode ser dividida entre antes e depois da Viagem. Uma Viagem, assim com "vê" maiúsculo, como a minha, tem esse poder de dividir ao meio a vida de uma pessoa, de mudar a perspectiva, de inverter valores e definir prioridades.

Não que não tenha havido problemas, é claro que os houve. Mas aqui de volta ao meu "spot" vejo como eles foram pequenos e insignificantes, perante toda a grandeza da experiência que tivemos juntos, o Guilherme e eu.

Segunda lua de mel é pouco, muito pouco para definir a emoção de todos os dias encontrar um hotel para ficar, no Booking.com e conseguir as melhores tarifas de última hora.

A emoção de colocar os pés e a alma na terra do meu bisavô, que eu não sabia que tinha Maria no segundo nome, e que teve a coragem e a ousadia de sair daquele povoado com a mulher e a filha pequena e vir para o Brasil "fazer a América" como se dizia, provavelmente, então.

A emoção de se perder e de se achar todos os dias, de experimentar sabores e sons nunca antes vistos ou ouvidos.

A emoção de ver de perto os ícones que a gente só tinha visto antes por foto ou filme, como o Coliseu e a Torre de Pisa.

A emoção de comparar a "nossa" pizza com a deles, a textura, a cor e o sabor. O ambiente, as palavras parecidas e as completamente diferentes. O italiano, o português de Portugal (que é totalmente outra língua), o espanhol. Bagunçar tudo e misturar com o inglês, sempre ela, a língua universal.

Bom, não vou ficar aqui repetindo tudo aquilo que vi e vivi. Decidi que vou escrever um livro para contar a minha experiência. Na minha vida agora é assim: tudo vira livro.

Mas o texto é apenas para explicar rapidamente o motivo da minha ausência para a Rayana e para a Mirella, que notaram o meu sumiço.

Nem um blog inteirinho seria capaz de conter toda a emoção dessa viagem..... Agora precisa ver quanto tempo eu vou levar pra elaborar tudo e pra soltar esse livro.... Preciso de muita torcida positiva.

quarta-feira, setembro 15, 2010

Como ter um ataque cardíaco

Confesso que no mês de agosto, eu estava no caminho certo.... indicado abaixo. Mas ainda bem que as situações se modificam, né?? Segue o texto que acabei de receber por e-mail.

DOZE CONSELHOS PARA TER UM INFARTO FELIZ !!!

Dr. Ernesto Artur - Cardiologista

Quando publiquei esses conselhos 'amigos-da-onça' em meu site, recebi uma enxurrada de e-mails, até mesmo do exterior, dizendo que isso lhes serviu de alerta, pois muitos estavam adotando esse tipo de vida inconscientemente.

1. Cuide de seu trabalho antes de tudo. As necessidades pessoais e familiares são secundárias.

2 Trabalhe aos sábados o dia inteiro e, se puder, também aos domingos.

3. Se não puder permanecer no escritório à noite, leve trabalho para casa e trabalhe até tarde.

4. Ao invés de dizer não, diga sempre sim a tudo que lhe solicitarem.

5. Procure fazer parte de todas as comissões, comitês, diretorias, conselhos e aceite todos os convites para conferências, seminários, encontros, reuniões, simpósios etc.

6. Não se dê ao luxo de um café da manhã ou uma refeição tranquila. Ao contrário, não perca tempo e aproveite o horário das refeições para fechar negócios ou fazer reuniões importantes...

7. Não perca tempo fazendo ginástica, nadando, pescando, jogando bola ou tênis. Afinal, tempo é dinheiro.

8. Nunca tire férias, você não precisa disso. Lembre-se que você é de ferro (e ferro enferruja!!... rs)

9. Centralize todo o trabalho em você, controle e examine tudo para ver se nada está errado... Delegar é pura bobagem; é tudo com você mesmo.

10. Se você sentir que está perdendo o ritmo, o fôlego e pintar aquela dor de estômago, tome logo estimulantes, energéticos e anti-ácidos. Eles vão te deixar tinindo.

11. Se tiver dificuldades em dormir não perca tempo: tome calmantes e sedativos de todos os tipos. Agem rápido e são baratos.

12. E por último, o mais importante: não se permita ter momentos de oração, meditação, audição de uma boa música e reflexão sobre sua vida. Isto é para crédulos e tolos sensíveis.

Repita para si: Eu não perco tempo com bobagens.

Duvido que voce não tenha um belo infarto ao seguir os conselhos acima!!!

OS ATAQUES DE CORAÇÃO

Uma nota importante sobre os ataques cardíacos. Há outros sintomas de ataques cardíacos, além da dor no braço esquerdo (direito). Há também, como sintomas vulgares, uma dor intensa no queixo, assim como náuseas e suores abundantes. Pode-se não sentir nunca uma primeira dor no peito, durante um ataque cardíaco. 60% das pessoas que tiveram um ataque cardíaco enquanto dormiam não se levantaram... Mas a dor no peito, pode acordá-lo de um sono profundo.

Se assim for, dissolva imediatamente duas Aspirinas na boca e engula-as com um bocadinho de água. Ligue para Emergência (193 ou 190) e diga ''ataque cardíaco'' e que tomou 2 Aspirinas. Sente-se numa cadeira ou sofá e force uma tosse, sim forçar a tosse pois ela fará o coração pegar no tranco; tussa de dois em dois segundos, até chegar o socorro.. NÃO SE DEITE !!!!

Um cardiologista disse que, se cada pessoa que receber este e-mail, o enviar a 10 pessoas, pode ter a certeza de que se salvará pelo menos uma vida !

(fiz melhor: publiquei no blog!) Cuidem-se, queridos leitores!!

sexta-feira, setembro 10, 2010

Helena


Este fim de semana promete! É aniversário de 50 anos do clube, vou participar da prova de natação no domingo de manhã nas olimpíadas (a abertura foi hoje, emocionante, como toda olimpíada, com tocha olímpica e tudo!!!) e teve também festa na escola da Helena, mas a gente não pode ir. Então a Rafa gentilmente mandou a foto da nossa fofíssima princesa.

A última da Helena:

O Tom falou, chegando em casa, na garagem do prédio, cheio de sacolas e mochilas, etc...:
- Lelê, me ajuda que eu tenho um monte de coisa pra carregar lá pra cima Tenho isso, e isso, e isso, e isso.... e isso (o último isso se referia a ela, quando ela a pegou no colo).
Ela virou pra ele, pensativa, e disse:
- Papai, eu não sou coisa.

Eleições

Esta é para quem vai votar em SP.
Eu peço, por favor, não vote no Netinho!

quarta-feira, setembro 08, 2010

Poesia

A primeira coisa que eu comecei a escrever, lá pelos 13 anos, foi poesia. A gente precisa de poesia na vida... e às vezes, ela fica tão esquecida, tão deixada de lado.... Hoje, a poesia, em São Paulo, está nas lindas e fartas flores amarelas de tantos e tantos ipês que espalham a cor amarela - minha preferida -pelas calçadas acinzentadas da metrópole triste. E aproveitando esse clima poético, apresento a vocês uma nova poetisa: a Chris, que trabalha aqui comigo, esses dias. Apesar de o blog dela levar "pimenta" no nome, sua poesia é doce. Experimente, quando tiver um tempinho.... Por que todos nós sempre estamos sem tempo para a poesia, né??

terça-feira, agosto 31, 2010

Turning point

Tem um momento, na vida da gente, em que as coisas mudam. Quer a gente queira, quer não. Nessas horas, não adianta chorar sobre o leite derramado... Se a vida dá mesmo as guinadas dela, o jeito é a gente se adaptar da melhor maneira a esses movimentos, ainda que bruscos.

O jeito é se segurar no barco e confiar no novo caminho.

Comigo, é exatamente isso que anda acontecendo. Hoje é o último dia de um ciclo profissional e o começo de uma nova fase. Saber exatamente aonde o destino me levará eu não sei. Mas quem sabe? De que adianta a gente planejar cada milímetro do caminho, se essas guinadas sempre acontecerão?

Já cansei de comentar aqui sobre O Segredo (principalmente o livro). Pois bem tem um trecho lá em que se comenta que quando você está no caminho certo, a sensação não é a de nadar contra a corrente e sim a se nadar a favor da corrente. Ou seja, as coisas vão naturalmente se encaixando de uma forma extraordinária.

Por isso, estou hoje aqui para registrar o meu depoimento, bem nesse momento da virada da minha vida. Se toda mudança traz embutida certa melancolia, traz também aquela ansiedade "do bem", de que o melhor ainda está por vir.

Minha intenção é que esse texto sirva de inspiração para quem (como eu estive também no passado) estiver atravessando um monento de turbulência na vida. A partir do momento em que a gente "se abre" e passa a nadar a favor da corrente, a partir do momento em que a gente começa a agradecer por tudo de maravilhoso que existe na nossa vida (começando pela saúde) as coisas também vão mudando, vão se ajeitando, até que entram nos eixos. Não que a gente consiga atingir aquela Felicidade suprema, com letra maiúscula, mas que a gente se aproxima da Paz, isso se aproxima, viu....

Essa certeza não tem nem a ver com religiosidade ou espiritualidade. Tem a ver com acreditar em você mesmo. Mesmo porque acreditando em você, você estará necessariamente acreditando também em Deus (ainda que afirme o contrário), porque nós todos temos dentro de nós a "centelha divina" - também conhecida por "consciência" ou até mesmo "Grilo Falante", ou ainda "Anjo da Guarda", ou então "Universo", do qual fazemos parte. O nome pouco importa. O que importa, de verdade, é deixarmos de nos preocupar com a meia desfiada ou com a batida do carro ou com a secura do tempo - vamos olhar mais alto. Ou melhor, vamos olhar para dentro de nós mesmos e encontrarmos a nossa verdadeira vocação. O que eu vim fazer aqui nesse Planeta, afinal?

Eu estou muito feliz, porque aos 52 anos de vida finalmente encontrei essa resposta. E agradeço.

segunda-feira, agosto 30, 2010

A Origem

Tem uns fins de semana em que nada acontece. Não este último. Não tenho do que reclamar.

Além do musical, tema do post anterior, vi também o filme "A Origem". E amei, recomendo totalmente. E depois que você tiver visto, tenho uma pergunta a fazer.

Resolvi recorrer ao crítico Luiz Carlos Merten, que diz tudo o que eu queria ser capaz de dizer aqui nesta crítica. A cotação dele: excelente.

Como não gostar de um filme que faz referência ao Escher, o autor da figura que escolhi para ilustrar o meu blog??

sábado, agosto 28, 2010

Gypsy


Fomos ontem à noite quase em "caravana" ao teatro Alfa: Biba, Isa, minha mãe, Gui e eu. O espetáculo Gypsy é bem diferente de tudo que já vi. A diferença entre os dois atos é bem marcante. Começa inocente, em clima de comédia, e termina em striptease, em drama, com lágrimas e sem happy end. Ou seja: bem parecido com a vida real. Aliás, o espetáculo musical é baseado na vida real da stripper burlesca Gypsy Rose Lee (1911-1969), o que explica a dinâmica da história, o desaparecimento súbito de personagens e até mesmo o final.

O que foi chato foi cair da escadaria na saída. Eu simplesmente me estatelei no chão. Ainda bem que, apesar da pancada nas duas pernas (na canela), hoje amanheci muito bem, obrigada.

Gypsy - Teatro Alfa (Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722). Tel. (011) 5693-4000. Qui, 21h. Sex., 21h30. Sáb, 20h. Dom., 17h. Até 17/10. Preços: R$ 60 a R$ 120 (quinta e sexta) e de R$ 80 a R$ 140 (sábado e domingo).


quarta-feira, agosto 25, 2010

O que aconteceu com este blog?

Se você está estranhando a ausência de posts por aqui, o motivo é que minhas energias estão voltadas para a Reality Books, no momento. Geminiana é assim mesmo, tem sempre duas (ou mais) facetas! rsrsrs


terça-feira, agosto 10, 2010

9 coisas que você não sabe sobre @sangerami

Minha vida é praticamente um livro aberto, desde 2003, quando abri este blog aqui.

Mas como uma das principais tarefas que temos aqui no Planeta Terra é seguir o conselho sábio que manda "Conheça-te a ti mesmo", um exercício como o que a Rayana me propôs sempre é bom.

Então vamos lá, tentar descobrir coisas novas sobre mim:

1) tenho preguiça de ir ao cabeleireiro
2) ainda tenho duas ilusões: ajudar o mundo a se tornar um lugar melhor e ficar rica (rsrsrs)
3) tenho vontade de passar um tempo em uma casa à beira-mar (mas no inverno), escrevendo um livro
4) aprendi a agradecer por tudo (absolutamente tudo, inclusive as coisas "más") que me acontece, porque eu sei que tudo (absolutamente tudo) é p/ o meu bem
5) consigo lidar bem com até umas dez janelas abertas no windows, coisa que acho bem bacana para alguém da minha geração....
6) gosto de dias nublados
7) tem uma coisa no sangue da gente que diz quanto a gente tem de alergia. A média comum das pessoas é, vamos dizer, 100. No meu sangue, de tão alérgica que sou, é uns 700.
8) meu sonho é morar em uma casa com sótão
9) até gosto de pets, mas não na minha casa

Será que tem alguma coisa nessa lista que você ainda não sabia a meu respeito? E você? Quer contar 9 coisas sobre vc?

A dimensão

Só agora tive a dimensão exata do que foi que eu ganhei, de verdade. A notícia saiu no jornal O Globo: http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2010/08/09/concurso-elege-melhor-conto-de-suspense-em-140-caracteres-917352825.asp

Estou muito feliz!!!!!!!!!!!!!!!!!!! :-)

domingo, agosto 08, 2010

Explicação

Eu tenho mesmo essa mania de não explicar bem as coisas....

Rayana perguntou:

*-----------------* Que legal Silvia... Peraê, sou um pouco dificil de entender as coisas, quem escreveu isso foi você? No livro dela?

O livro é uma homenagem póstuma que estou escrevendo para a minha amiga/comadre/quase irmã Vilma, que foi embora para o Plano Espiritual no dia 9 de abril deste ano. Será o primeiro livro da minha editora, a Reality Books.

E antes mesmo de terminar de escrever o livro, escrevi a "orelha"!

P/ explicar "que livro é esse?" para quem estiver em dúvida sobre se deve comprá-lo ou não

Expliquei melhor, agora, né, Rayana?? rsrsrs

sexta-feira, agosto 06, 2010

Orelha

É engraçado esse nome: orelha - não orelha de ouvir, mas a orelha do livro.

Olha como ficou a orelha do livro da Vilma:

Este é um livro sobre a morte. Mas não é um livro triste. Ao contrário, é um livro que celebra a vida, ou as vidas de quem teve a sorte e o privilégio de conviver com a Vilma. Uma alma iluminada que trouxe luz à vida de todos nós. Assim como ela, muitas outras almas iluminadas algumas vezes partem bem mais cedo da Terra do que nós, no nosso egoísmo tolo, gostaríamos. Mas o que precisamos entender - e esse livro busca justamente nos ajudar nessa tarefa – é que "os anjos vão embora mais cedo". Esse nosso planeta Terra ainda precisa evoluir muito, até que chegue o dia em que nós, meros mortais, nos juntemos aos nossos entes mais queridos que partiram tão cedo para o Plano Espiritual, para o Céu, para a Luz, como você queira chamar esse lugar infinito, onde reina a paz, a bondade e onde todos somos irmãos, filhos de um mesmo e amoroso Pai.

domingo, agosto 01, 2010

Casa

Hoje floriu o nosso ipê amarelo. É um final feliz pra uma história triste, que relato nas fotos. Esse ipê também é uma homenagem para a Vilma, querida.





Olha o que aconteceu na nossa calçada, há algum tempo, também em um domingo:
(um crime, chamei até a polícia)





Felicidade

Gente,

Fiz um miniconto de suspense e ganhei o concurso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Estou tão FELIZ!!!!!!!!!!

sexta-feira, julho 30, 2010

amizade x profissionalismo

Aquela vez, ela me falou:

- Ele não é seu amigo.

E aquilo me chocou. Eu simplesmente não consigo não ter amizade com as pessoas com quem trabalho. Não sei diferenciar as coisas, não sei ser fria, falsa, não sei manter distância e não sei deixar de ser transparente. Não gosto de me esconder atrás de nada. Não gosto de me preservar.

Certamente, devo estar errada. Não é uma atitude "corporativamente correta" - rsrsrs. Mas sou assim desse jeito, fazer o quê??

Daí, recebi um release sobre esse assunto no iG e vamos fazer uma matéria falando sobre isso. Aposto que os tais "consultores" vão aconselhar as pessoas a se preservarem, a manterem distância, etc e tal.

Eu não consigo, não. E se não tem amizade - na minha opinião - não dá nem pra trabalhar. Não digo amizade-amizade íntima, nada disso, mas um astral positivo, uma simpatia, uma empatia. Sem isso, sinto muito, pra mim não dá!!!!

Outro dia vi um teste no blog de uma amiga querida e distante, que conheci - adivinha!! - no trabalho!! E era um teste sobre um tal de um cubo, etc.... O meu era de vidro transparente, que nem a loja da Apple em NYC. Igualzinho. E a escada era do mesmo jeito, pra dentro e pra baixo.

Veja o release que eu recebi sobre esse assunto e tire suas próprias conclusões:

Fazer do colega de trabalho seu melhor amigo ajuda ou prejudica o trabalho?

Se o seu leitor é do tipo que após o expediente não quer nem ouvir falar de ninguém da empresa, é bom ele estar atendo à pauta que sugerimos abaixo. A pessoa que está agora ao seu lado é seu colega amigo ou apenas mais um empregado da firma? Pois saiba que a falta de amigos pode ser um fator de risco para a sua carreira.

O isolamento social é ruim para a saúde humana. Essa é a conclusão de um estudo americano publicado na revista PLoS Medicine.

A falta de relações sociais é um fator de risco para a saúde, compáravel ao tabagismo, o consumo de álcool e pode superar a influência de outros fatores de risco como sedentarismo e obesidade. A pesquisa divulga que pessoas com poucos relacionamentos sociais morrem mais cedo em média, do que aqueles com mais relações sociais.

E nas empresas como isso funciona? Fazer aquela cara de 'poucos amigos' pode matar uma promoção? A habilidade de ser articulado entre os colegas de trabalho facilita a sobrevivência no escritório? Ajuda a crescer profissionalmente?

A falta de diplomacia, amizades, ser agradável e se relacinar bem com as pessoas do seu ambiente de trabalho afeta muito a imagem que as pessoas têm de você.

Em outras palavras estamos aqui falando de algo antigo: networking.

Vendo esse artigo, questões me vem à mente, como: podemos ser amigos do chefe?

Fazer dos colegas de trabalho nossos amigos ajuda na produtividade? O que seria considerado intimidade demais na empresa?

Por outro lado, nada pior do que fama de mal-humorado.

Venho aqui conversar com sua audiência sobre até onde a etiqueta e os interesses da empresa permitem que tenhamos intimidade com o corpo de profissionais de um local.

Claro que não podemos ser antipáticos, e nem ‘soltos’ em demasia.

E pensando nesse jogo de cintura e etiqueta corporativa que convido seu veículo para conversar com a consultora de Recursos Humanos Stefânia Giannoni, coacher do Hospital Israelita Albert Eintein e Hospital do Coração.

Networking e etiqueta são temas cabíveis em empresas, profissionais e audiência de todos os níveis, da pequeno empresário às grandes corporações.

"É muito importante estabelecer vínculos com a equipe. A hierarquia sempre vai existir, mas um local onde o chefe é bem relacionado com equipe tende a produzir de modo mais eficaz", comenta a psicóloga Stefânia Giannoni, especialista em liderança.

Stefânia promove cursos em todo país sobre marketing pessoal, sendo altamente experimentada nas questões levantadas acima. Ela treina líderes em dificuldade de se comunicar com suas equipes, por isso pode nos elucidar sobre até onde podemos ser íntimos dos colegas na companhia.

Ter amigos salva emprego?

Stefania Giannoni trabalha dentro das empresas orientando o corpo operacional e líderes no desenvolvimento de habilidades e programas de estímulo para a equipe. Os cursos que ela ministra abordam temas como: Programa de desenvolvimento de líderes; Comunicação e feedback para líderes; A arte de se apresentar em público; Relacionamento com o cliente; Negociação; Marketing Pessoal; Profissional e Etiqueta empresarial; Excelência no atendimento ao cliente; Desenvolvimento de equipes de trabalho.

segunda-feira, julho 26, 2010

Fama

O filho na TV (propaganda do Santander/Real) e a filha na Viagem e Turismo. Fama, a gente já tem. Agora só falta ficarmos ricos!!! rsrsrs

Tom no YouTube:

Aqui está o link da revista em que a Biba aparece:

Obrigada, Mirella!!!!!! (recomendo fortemente, p/ quem pensa em intercâmbio no Canadá)

sexta-feira, julho 16, 2010

Fogueira


Escrevi em um papelzinho oito coisas que estavam me incomodando e queimei. Nossa, deu um alívio! Parece meio uma bruxaria... mas tomara que dê certo. Também existem bruxas "do bem"!! (eu gostava pra caramba daquele seriado Charmed)

Tive a ideia enquanto conversava com a Rafa no MSN. Aliás, do nada falei pra ela fazer isso com os problemas dela. Quem sabe, né? Vai saber como funcionam essas coisas... rsrsrs

Bom fim de semana!

quinta-feira, julho 15, 2010

Por que gosto tanto do inverno?

Pra mim, só falta mesmo a neve...

1) As pessoas ficam mais elegantes
2) Os insetos (formigas, pernilongos, principalmente) somem
3) Dá pra comer coisas gostosas como sopas e fondues
4) Dá pra ficar aconchegado pertinho de uma lareira
5) É mais gostoso namorar, porque o namorado não estará grudento de suor
6) Dá mais disposição pra trabalhar (não fica aquele dia bonito lá fora “distraindo” a gente)
7) É muito gostoso dormir mais 10 minutinhos debaixo do cobertor
8) A gente se agasalha e não passa frio. Já no calor, você pode até tirar a roupa, que continua suando. Ou senão tem que enfrentar aquele ar condicionado no útlimo furo...
9) E você? Também gosta do inverno? Tem uma razão diferente?

quarta-feira, julho 14, 2010

Eu hoje joguei tanta coisa fora....

Joguei fora todos os meus e-mails do Gmail de 2004 e 2005. Me sinto bem mais leve. Tanto, que lembrei dessa música que tive a felicidade de ver ao vivo (foi o show de lançamento do IT Web, será que alguém lembra disso??). Nesse show eles cantavam e tocavam sentados. Fiquei pensando... será que foi um show meio premonitório?? Depois veio aquele acidente horroroso com o Herbert e agora ele fica sentado em todos os seus shows, necessariamente... E isso me leva a pensar que temos que ter muito cuidado com os nossos desejos. Muitas vezes eles são realizados, mas não bem do jeito que a gente idealizou. Só pra gente ver como ainda somos tão pouco sábios na nossa vidinha limitada.

quarta-feira, julho 07, 2010

Chocante?


De novo, falando de aborto..... Já comentei sobre esse assunto em outros dois posts no meu outro blog, meio abandonadinho, o Efeito Pimenta.

Já recebi por e-mail duas vezes esse texto que você vai ler. Então, achei que era um "sinal" pra eu publicar aqui para os meus queridos/as leitores/as:

*O MÉDICO E O MONSTRO*

Preocupada, uma mulher procurou seu ginecologista:
- Doutor, eu estou com um problema muito sério e preciso da sua ajuda desesperadamente! Meu bebê não tem um ano e eu estou grávida novamente. Eu não quero outro filho.

Então o médico disse:
- Em que exatamente você quer que eu a ajude?
- Eu quero fazer um aborto!

Depois de pensar por alguns instantes, o médico falou:
- Olha, eu tive uma idéia que me parece melhor e também é menos arriscada.

A mulher sorriu satisfeita. Então o médico continuou:
- Veja bem, para que você não tenha que tomar conta de dois bebês, vamos matar esse que está nos seus braços. Assim, você poderá descansar até que o outro nasça. Já que vamos matar um dos seus filhos, não importa qual deles. Dizem que os filhos são todos iguais para as mães. Não é mesmo? E, além do mais, sua vida não correrá risco com procedimentos cirúrgicos, se você escolher esse aí para matarmos.

A mulher ficou horrorizada com as palavras do médico e disse-lhe:
- Que monstruosidade o senhor está me propondo. Matar uma criança é um crime!

O médico respondeu-lhe:
- Eu concordo. Mas eu pensei que isso não fosse problema para você. Eu só estou sugerindo que você troque o filho que será morto.

Pelo semblante da mulher, o médico viu que tinha conseguido esclarecer seu ponto de vista. E ele a convenceu que não há diferença entre matar uma criança que está nos braços ou uma que está no ventre. O crime é o mesmo.

terça-feira, julho 06, 2010

Meus cabelos brancos, update

(de cabelo molhado, cheguei há pouco da hidroginástica)

Muita gente chega até o "Consulta" por causa deste post aqui. Ou deste aqui. Engraçado... eu me achava um ponto fora da curva por ter decidido não me render a indústria dos tonalizantes e afins (gente, que coisa mais antinatural...) Mas pelo jeito, não sou só eu.... tem muitas pessoas dispostas a passar essa imagem de autenticidade.

A Alaide, por exemplo (nome lindo e original, o mesmo nome da minha madrinha de quem eu tanto gostava!!!), veio aqui dizer que:

Silvia...
Você disse tudo!
Obrigada por expor meu pensamento!
Como vc fez para deixá-los ao naturelle!!?
Os meus estão curtos e com luzes já me preparando para o próximo "capítulo"
Grata

E vou responder:

Então, Alaide, nunca cheguei a pintar os meus cabelos de verdade, só usava tonalizantes, que iam desbotando aos poucos, então não tive que conviver com aquela faixa de cabelo de uma cor em cima e outra embaixo, graças ao Bom Deus. Meu plano era cortar o cabelo pelo menos uma vez por mês, mas confesso que não tenho conseguido fazer isso. E acho que tenho relativamente pouco cabelo branco ainda.

Agora, eu acho que quem decide deixar os cabelos brancos não pode, por exemplo, querer uma carreira tradicional, em uma multinacional. Sinto que há grande preconceito com meus cabelos em certos ambientes. A maioria das pessoas pode pensar que sou "desleixada" e esse é um risco que eu corro.

Não sei se você viu um post aqui dizendo que perdi um projeto profissional que deveria ter durado um ano (pelo menos), mas durou apenas 6 meses. No meu íntimo (obviamente ninguém tocou no assunto), acho que o cliente não quis mais conviver com os meus cabelos grisalhos, dos quais eu tanto me orgulho. Entre outros motivos, óbvio. Algo me diz que meus cabelos têm algo a ver com o que aconteceu.

Mas essa é uma conquista da qual não abro mão, ainda que tenha que pagar um preço (alto) por isso, ainda que tenha que "lutar" silenciosamente contra os preconceitos da sociedade.

Querida Alaide, você está preparada para essa batalha? Se estiver, acho bacana assumir a "grisalhice" natural da idade. Mas vou te confessar: não é fácil, não.... E algumas vezes me peguei pensando em aguentar a coceira, passar no salão mais próximo e desistir desse meu plano. Mas, felizmente, ainda acredito que a autenticidade merece o sacrifício.

Ou seja, há sacrifício em pintar os cabelos, assim como há sacrifício em mantê-los ao natural. Nós, mulheres, sempre somos as sacrificadas.... ai, ai....

Mas quero agradecer a sua visita, Alaide! Muito obrigada pela audiência. Bjs

O que você quer ser quando morrer?

Entender bem a morte é a melhor maneira de desfrutar a vida

Ciclo de debates gratuito para reflexões sobre a vida e a morte

A palavra morte tem a conotação de tristeza, perda, dor e pensar ou falar sobre ela é um tabu em nossa sociedade. Porque é tão difícil tratar do único fato inevitável para todos os seres vivos quando na realidade falar sobre a morte é fazer um tributo à vida?

Para refletir sobre esta questão o educador Antonio Diomede propõe uma série de encontros que promovem a troca de idéias e pensamentos sobre temas como: de onde viemos? o que somos? para onde vamos?

Não são aulas, mas sim um ciclo de debates dirigido a todos que se interessam pelo estudo dos aspectos multifacetados da vida e por consequência, da morte. A análise da ocupação do planeta pelo homem, sua forma de desfrutar a vida, suas escolhas e seu despreparo para a única certeza que tem: morrerá um dia e deve estar preparado para isso são avaliados. Aspectos que envolvem os cuidados com os doentes com diagnóstico de morte próxima anunciada, as perdas súbitas e as formas de amenizar os problemas familiares quando do falecimento de um ente querido, bem como as perspectivas do que pode nos acontecer após morrermos também são temas dos debates que não são permeados pela religião, portanto aberto a todas as crenças, embora produzidos dentro da filosofia da reencarnação.

Os encontros gratuitos serão realizados em São Paulo sempre às segundas feiras de 02 de agosto a 27 de setembro das 19h30 às 21h30. Inscrições pelo email antonio.diomede@gmail.com

Sobre Antonio Benjamin Diomede

O educador e empresário Antonio Diomede tem se dedicado à pesquisa e temas ligados à percepção da vida e à religião durante toda a sua vida. O profissional foi coordenador pedagógico do Colégio XII de Outubro, tendo exercido também o cargo de Diretor de Ensino e Presidente do Conselho da Seara Bendita – Instituição Espírita por 12 anos. Criador do curso “Como estudar e gostar”; atualmente é editor da revista Seareiro e é certificado pelo curso de Tanatologia da disciplina de Emergências Médicas da USP.

Ficha Técnica

Ciclo de debates: O que você quer ser quando morrer? Reflexões sobre a Vida e a Morte
Local: CCDPE - Al. dos Guaiases, 16 – Planalto Paulista – São Paulo – SP
(travessa da Av. Indianópolis, altura do número 2.000)
Data: de 02/08 à 27/09/2010 às segundas-feiras
Horário: 19h30 às 21h30
Duração: 8 encontros
Investimento: gratuito
Vagas: 30
Mediador: Antonio Benjamin Diomede
Inscrições por email: antonio.diomede@gmail.com

segunda-feira, julho 05, 2010

Sob o impacto de "A Alma Imoral"


Começo a semana sob o forte impacto da fantástica peça teatral interpretada pela magnífica Clarice Niskier, "A Alma Imoral". Baseada no livro homônimo do rabino Nilton Bonder, a peça - no mínimo - faz pensar. O que é o certo e o errado? O bom, o correto? A gente muitas vezes vive a vida mergulhados que estamos em ilusões reconfortantes, que nos mantém seguros na nossa zona de conforto.

Mas será que agindo assim estamos sendo honestos com o nosso íntimo? Se a alma é imoral, no entanto, é bom e correto seguirmos os impulsos dessa nossa "alma"? O lado negro que tentamos esconder com todas as nossas forças muitas vezes vem à tona e nos assusta a nós mesmos, que não "sabíamos" que ele estava lá, escondido, procurando uma brecha para sair... Sair do lugar estreito (o útero materno). Adentrar o espaço mais amplo (o mundo). Quantas vezes esse movimento não é necesário para que sejamos honestos não com a sociedade mas com o nosso interior?...

Religião, Adão e Eva, o povo judeu atravessando o Mar Vermelho, tantas simbologias que podem ser aplicadas aqui e agora, na nossa vidinha de cada dia. Tradição x traição - o jogo de palavras também pode dar margem à reflexões igualmente importantes. Como sermos honestos se podemos estar traindo a nossa alma? Nossa, as reflexões são inúmeras, eu diria mesmo infinitas. Pois a vida de cada um de nós é infinita em possibilidades, em erros, acertos, enganos, desenganos.

Clarice é intensa, verdadeira, inteira e honesta na peça (tão bom poder usar tantos adjetivos quantos eu quiser aqui na minha praia!). Budismo, judaísmo, crenças, fé, vergonha: ela mistura tudo em um caldeirão cenográfico que surpreende e cutuca a platéia. O riso nervoso da audiência pontua algumas das suas colocações filosóficas. Algumas precisam ser ditas, reditas, para que sejam minimamente compreendidas. Mas há tantas interpretações que não tem como resumir em palavras aqui nesse meu blog.

"Na natureza não há nudez" - diz ela, nua, sentada em uma cadeira. Desnudar o corpo é também desnudar a alma. Quem de nós teria tanta coragem assim?

Mamãe foi comigo e gostou mais ou menos da peça. Mas eu não. Eu amei. Em certos momentos, umas lágrimas emocionadas até saltaram dos meus olhos, com o paralelo inevitável com a minha vida, tão banal e no entanto tão desafiante, ao mesmo tempo. Vencer idades sucessivas não nos leva necessariamente a uma sabedoria mais profunda, mas nos faz olhar para o caminho com certa complascência: afinal, fizemos o que podíamos. Tentamos sempre fazer o melhor, de acordo com o que nos parece o melhor naquele preciso momento. Não tem (mesmo) nenhum Deus barbudo nos cobrando isso ou aquilo e não devemos direcionar a nossa via com base em o que vão pensar, o que vão dizer. Precisamos ser honestos o bastante para orientarmos a nossa vida e os nossos atos de forma consciente. Afinal, é a consicência de nós mesmos que nos define como "seres humanos". E não como um cavalo ou uma serpente.

A peça é muito legal. Merece ser vista. E que cada um tire as suas próprias conclusões e aplique (ou não) na sua própria vida.

terça-feira, junho 29, 2010

Hidro

Esta não é a piscina do clube, tá aqui só pra ilustrar, OK?

Meu professor de hidroginástica me pediu o link do blog e então decidi fazer uma surpresinha pra ele. Quem acompanha o blog sabe que eu faço hidro (como já contei aqui) e que adoro as aulas do Renato. É o melhor professor de hidro do mundo.

Eu sempre fui uma pessoa sedentária e ainda sou. Prefiro uma leitura qualquer a uma atividade física. Mas decidi fazer hidroginástica por necessidade absoluta. E sabe que gostei?? Obviamente atribuo esse meu gosto ao meu professor, é claro.

Apresentei a ele a música "Lição de Baião" da Adriana Partimpim, que ela fez pra ele. rsrsrs
(coloquei o vídeo aqui no blog, mas ele some.... então vai o link p/ o You Tube)

Bom, é isso. Se algum leitor estiver pensando em fazer hidro, pode acreditar que é uma ótima alternativa pra quem (como eu) não gosta de suar na academia.

segunda-feira, junho 28, 2010

Parabéns, Alê!!


Muitas felicidades e vários anos de vida boa!

Você é uma amiga muito especial, que tem me ajudado tantas vezes e de forma tão importante na minha vida que nem nunca vou conseguir agradecer tudo o que você merece de agradecimento.

É uma mulher incrível, batalhadora, lutadora, inteligente, dedicada à carreira, à família, aos amigos. Você é uma canceriana que equilibra a força e o sentimento de uma maneira muito especial na sua vida. Por isso, às vezes não é compreendida, mas é porque a sua vontade de acertar é enorme. E você segue em frente, descobrindo essa sua nova e maravilhosa (sublime, eu diria) função de ser mãe.

Tenho tantas saudades daquele tempo em que convivíamos juntas, discutíamos, brigávamos tanto... rsrsrs Mas era tudo superficial. Ninguém entendia como a gente brigava, brigava e saíamos depois para almoçar juntas, como se nada tivesse acontecido. É que no fundo, nós sempre nos entendemos muito bem, nos complementamos, vivemos uma fase muito bacana, em que uma fortalecia a outra p/ enfrentar os percalços da vida corporativa. Foi muito bom, aquele tempo (nem acredito que estou falando isso, hahaha - quem diria que poderíamos pensar que aquele tempo foi bom... rsrsrs).

Depois, você foi embora e encontrou um lugar onde foi valorizada e recebeu o reconhecimento tão merecido.

Alê, gosto muito de você, ainda que estejamos em fases distintas da vida, em momentos diferentes, nós criamos um elo de amizade que não se desfaz assim tão facilmente.

Por isso, quero te desejar um caminhão de felicidades no dia de hoje.

Corro o risco de ter errado a data, porque o Elefante (um site que me mandava e-mails falando sobre os anivesários das pessoas) parou do nada de me mandar esses e-mails. E nem entro sempre no Orkut, e então preciso encontrar um outro serviço que me lembre dessas datas importantes. Porque a minha memória é muito traiçoeira.

Mas espero que seja sim, hoje. E o "bolinho virtual" tem a vantagem adicional de não engordar.

Feliz aniversário, querida.

PS.: O seu bolo eu escolhi nessa doceira aqui.

domingo, junho 27, 2010

Amizades, homens, mulheres

Olívia, Lucas e Eli
("roubei" a foto do Orkut do Lucas - sorry!!)

Recebi um texto muito bom da Eli por e-mail e tem tudo a ver com o Consulta, por isso, publico aqui. Falando na Eli, ela veio hoje aqui em casa almoçar com a Olívia, que é amiga da Biba.
Antes do almoço a Biba comentou:
- Mãe, eu acho tão legal você ser amiga da mãe da Olívia.
Sim, somos amigas desde antes de as duas nascerem. Bota amizade nisso!! Ficamos um tempo sem nos encontrarmos, mas a lista de coincidências é tão grande... quer ver??
- A Olívia nasceu no mesmo dia que o Tom (anos diferentes, é claro - 5 de março)
- O Lucas (o filho mais velho da Eli) estudou na mesma escola do Tom (Oswald)
- A Biba e a Olívia estudaram na escola da Vila e depois no Equipe.
- Moramos no mesmo bairro.
São essas coisas, esses fatos, que aproximam as pessoas, as pessoas se identificam, e a amizade vai se firmando.

Vai ver que é por isso que eu gostei do texto que ela mandou:

Diferenças entre homens e mulheres
Texto de Sérgio Gonçalves - redator da Loducca, publicado no jornal da agência

Se uma memória restou das festinhas e reuniões familiares da minha infância foi a divisão sexual entre as pessoas: mulheres de um lado, homens do outro. Não sei se hoje isso ainda ocorre. Sou anti-social a ponto de não frequentar qualquer evento com mais de 4 pessoas, o que não me credencia a emitir juízo. Mas era assim que a coisa rolava naqueles tempos.

Tive uma infância feliz: sempre fui considerado esquisito, estranho e solitário, o que me permitia ficar quieto observando tudo. Bom, rapidinho verifiquei que o apartheid sexual ia muito além das diferenças anatômicas. A fronteira era determinada pelos pontos de vista, atitude e prioridades. Explico: do lado masculino imperava o embate das comparações e disputas. Meu carro é mais potente, minha TV é mais moderna, meu salário é maior, a vista do meu apartamento é melhor, o meu time é mais forte, eu dou 3 por noite e outras cascatas típicas da macheza latina.

Já do lado oposto, respirava-se outro ar. As opiniões eram quase sempre ligadas ao sentir. Falava-se de sentimentos, frustrações e recalques com uma falta de cerimônia que me deliciava.

Os maridos preferiam classificar aquele ti-ti-ti como fofoca. Discordo. Destas reminiscências infantis veio a minha total e irrestrita paixão pelas mulheres. Constatem, é fácil. Enquanto o homem vem ao mundo completamente cru, frequentando e levando bomba no bê-á-bá da vida, as mulheres já chegam na metade do segundo grau.

Qualquer menina de 2 ou 3 anos já tem preocupações de ordem prática. Ela brinca de casinha e aprende a dar um pouco de ordem nas coisas. Ela pede uma bonequinha que chama de filha e da qual cuida, instintivamente, como qualquer mãe veterana. Ela fala em namoro mesmo sem ter uma ideia muito clara do que vem a ser isso. Em outras palavras, ela já chega sabendo. E o que não sabe, intui.

Já com os homens a historia é outra. Você já viu um menino dessa idade brincando de executivo? Já ouviu falar de algum moleque fingindo ir ao banco pagar as contas? Já presenciou um bando de meninos fingindo estar preocupados com a entrega da declaração do Imposto de Renda? Não, nunca viram e nem verão. Porque o homem nasce, vive e morre uma existência juvenil. O que varia ao longo da vida é o preço dos brinquedos.

E aí reside a maior diferença: o que para as meninas é treino para a vida, para os meninos é fantasia, é competição. É fuga. Falo sem o menor pudor. Sou direto. Sou assim. Todo homem é assim. Em relação ao relacionamento homem/mulher, sempre me considerei um privilegiado.

Sempre consegui enxergar a beleza física feminina mesmo onde, segundo os critérios estéticos vigentes ela inexistia. Porque toda mulher é linda. Se não no todo, pelo menos em algum detalhe. É só saber olhar. Todas têm sua graça. E embora contaminado pela irreversível herança genética que me faz idolatrar os ícones de cafajestismo, sempre me apaixonei perdidamente por todas as incautas que se aproximaram de mim. Incautas não por serem ingênuas, mas por acreditarem. PORQUE TODA MULHER ACREDITA FIRMEMENTE NA POSSIBILIDADE DO HOMEM IDEAL. E esse é o seu único defeito.

sexta-feira, junho 25, 2010

"Ele não é seu amigo"


Quando alguém falar isso p/ vc, acredite. Deve ser verdade.

Quando um ciclo chega ao fim, sempre deixa aquele gosto amargo na boca, de cabo-de-guarda-chuva, sabe? Pois é. Toda a minha alquimia não funcionou e o chumbo não se deixou transformar em ouro. Às vezes isso acontece. Nem tudo está sob o nosso controle. Preciso me acostumar a essa ideia.

Resumindo: preciso de frilas.

quinta-feira, junho 24, 2010

Ai que saudades!!

Na Magnólia Bakery, em NYC

A Biba chegou ontem do Canadá.
Colocou o pé no aeroporto e falou: ai, que saudades do Canadá!
rsrsrs

sábado, junho 19, 2010

Enfermeira nas horas vagas

Vovô e netinha

Hoje fui convocada a passar a tarde com o filho e a neta, doetinhos.
Eu acho que é culpa da água lá da casa deles, então levei duas garrafas de água mineral.
Também fiz algumas massagens "mágicas" na barriguinha da Helena.
Isso, enquanto a Rafa trabalhava. Ô vida dura.

Eu sempre dizia p/ os meus filhos, quando eles estavam doentes, que eu era uma ótima enfermeira. As palavras têm poder, não é mesmo? Mas só eu sabia, por dentro, o quão "patife" eu me sentia. Sempre fui pouco corajosa com doenças e coisas assim. Mas ser mãe (acho que pai também) cria na gente uma coragem extra, é uma coisa incrível. Instintivamente a gente sabe como agir, o que fazer. Isso é muito bom!

E almocei com a Mónica na padaria defronte à Seara, foi muito bom! Acho que amizades precisam ser cultivadas, a gente tem que abrir um espaço na agenda p/ os amigos/as e só temos a ganhar com isso. Com todas as dificuldades, falta de tempo, cobranças familiares, etc. a gente precisa desse tempo pra cultivar as amizades.

Estou encantada com o novo layout do blog, embora tenha perdido todos os meus comentários. Então, vou tentar atualizar mais esse espaço aqui, vamos ver se consigo. Mesmo porque eu tenho uma torrente de palavras a serem registradas, de pensamentos a serem compartilhados. Fico pensando como as pessoas se cansam de seus blogs e eu aqui, firmona, tantos anos.... Mas é tão gostoso "encontrar" um novo comentário, uma nova amizade virtual (ou antiga). A Internet tem esse lado bom. Gosto muito.

De vez em quando "cai" aqui alguém que me faz uma consulta sentimental.... Não sei se elas fazem muito efeito, não, pois poucos voltam p/ me contar. Mas pelo menos, tento colocar alguns pensamentos novos nessas cabecinhas, para ver se eles/elas encontram a solução para os seus problemas.

Também não acabei ainda com esse blog porque ainda acredito na frase "All you need is love", que escolhi como subtítulo. Cada vez mais acredito nessa frase.

Pronto, falei demais. Fui! Bom jogo ao Brasil amanhã! Meu palpite: 3 x 0. E o seu?

sexta-feira, junho 18, 2010

Nova idade, novo layout, itens

Depois de vááários anos, decidi mudar o visual do blog.
Mudei de idade, então é uma boa hora pra mudar o design do blog também.
Gostou?

Novidade: comecei a fazer natação hoje. Adorei a aula! Minha professora é a Paulinha e ela explicou tudo direitinho, Imagine que meu nado de costas tem pouca coisa pra arrumar, sendo que nunca ninguém me ensinou a nadar de costas. Tô me achando uma verdadeira peixinha. Só falta fôlego, é lógico.

E a Copa? Tá gostando? Eu tô. E olha que não gosto nem um tantinho de futebol, mas Copa é Copa, né??

A Biba vai voltar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Chega na próxima quarta. EBAA!!!

A última da Helena:
- Mamãe, tem brinquedo lá no Canadá?
- Tem, filha, acho que tem sim.
- Então eu quero ir pra lá ver a tia Biba.


quarta-feira, junho 16, 2010

Em algum lugar do passado....


Coloquei esta foto no “papel de parede” e todos os dias quando ligo o computador, sou transportada ao passado.
Minhas crianças ainda crianças e com a vida inteira pela frente.
No domingo, mandei esse capuz do Tom para a Helena, na malinha dela. Nem sei se eles viram...
Presente, passado, futuro...
Só tenho mesmo uma coisa a dizer: a vida passa depressa.
Quando a gente é criança, passa devagar, na adolescência começa a acelerar um pouco. Mas quando a gente chega à casa dos 50, posso garantir que tudo não parece mais do que um suspiro do tempo.
Já falei aqui antes sobre essa palavra: nostalgia, que quer dizer a dor do passado. Mas pra mim não dói não. Em cada momento da vida, a gente acredita estar fazendo o nosso melhor. E assim vai... Boa quarta-feira a todos.

Copa: posso falar que acertei o placar do jogo de ontem? Pena que não apostei $$$$....

segunda-feira, junho 14, 2010

Reverter a situação


Daí, quando você menos espera, uma situação que você considerava positiva, até então, se mostra nefasta. O que fazer? Como reverter? Como agir? Como transformar? Até que ponto uma pessoa deve mudar suas atitudes, crenças, ações, pensamentos, para obter um resultado determinado? Agir ao sabor das ondas, dos ventos, das estações? Ou promover uma alquimia, uma transformação verdadeira e honesta para que a situação se reverta de novo de negativa para positiva? Quando desistir? Quando insistir? Eu vivo dando uma aqui de conselheira amorosa, mas também tenho dúvidas, confesso. E hoje, elas me assolam de maneira contundente. Alquimia, essa é a palavra.

Da Wikipédia:
A Alquimia é uma tradição antiga que combina elementos de Química, Física, Astrologia, Arte, Filosofia, Metalurgia, Medicina, Misticismo, Geometria e Religião. Existem três objetivos principais na sua prática. Um deles é a transmutação dos metais inferiores ao ouro, o outro a obtenção do Elixir da Longa Vida, um remédio que curaria todas as doenças e daria vida longa àqueles que o ingerissem. Ambos os objetivos poderiam ser atingidos ao obter a pedra filosofal, uma substância mística. Finalmente, o terceiro objetivo era criar vida humana artificial, os homunculus. É reconhecido que, apesar de não ter caráter científico, a alquimia foi uma fase importante na qual se desenvolveram muitos dos procedimentos e conhecimentos que mais tarde foram utilizados pela química. A alquimia foi praticada na Mesopotâmia, Egito Antigo, mundo islâmico, Pérsia, Índia, Japão, Coreia, China, Grécia Clássica, Roma e Europa.

Alguns estudiosos da alquimia admitem que o Elixir da longa vida e a pedra filosofal são temas simbólicos, que provêm de práticas de purificação espiritual, e dessa forma, não poderiam ser considerados substâncias reais. O próprio alquimista Nicolas Flamel, em seu "O Livro das Figuras Hieroglíficas", deixa claro que os termos "chumbo" e "ouro" são metafóricos, e que as metáforas serviriam para confundir leitores indignos. Há pesquisadores que identificam o elixir da longa vida como um líquido produzido pelo próprio corpo humano, que teria a propriedade de prolongar indefinidamente a vida daqueles que conseguissem realizar a chamada "Grande Obra", tornando-se assim verdadeiros alquimistas. Existem referências dessa substância desconhecida também na tradição da Ioga.

Por outro lado, já vi tanta coisa mudar, nessa minha vida, nessas minhas retinas cansadas... Já vi gente que estava por baixo sair por cima, e com os meus próprios olhos vi pessoas sacudindo a poeira e dando a volta por cima. Agora, não tem jeito. Tenho que enfrentar. Embora meu primeiro impulso seja o de fugir (deve ter uma explicação p/ isso, vidas passadas, sei lá eu). Eu queria ser profunda, metafísica, mas sou irritantemente simples e básica e aberta e transparente. Fazer o quê??

sexta-feira, maio 28, 2010

Aprenda isso e não esqueça nunca mais

A lição não é minha, não. Recebi hoje por e-mail (Obrigada, Diomede) e confesso que eu achei que já houvesso aprendido, mas esqueço toda hora. Então, é melhor colocar aqui.

O Mestre de sua vida

"Qualquer pessoa capaz de enfurecer você se torna seu mestre, mas ela só pode fazer isso com sua permissão." Epiteto, ex-escravo e filósofo grego.

Pode parecer estranho, mas a verdade é que ninguém pode forçar você a ficar triste, chateado, bravo, nervoso ou o que quer que seja - até mesmo enfurecido. Não sem sua participação ativa neste processo, permitindo que as ações dessa pessoa causem emoções tão negativas em você.

Sei que não é o que parece, quando somos atingidos por palavras de pessoas que consideramos importantes. Mas percepção não é realidade. Ainda que pareça que nossas emoções são controladas por outras pessoas, a verdade é que ninguém as controla. Exceto você.

Somos nós quem damos poder para que outras pessoas acabem controlando o que sentimos. Isso é um erro. Quando você notar que está se enervando com alguém, lembre-se de que é você mesmo quem está gerando isso. A pessoa pode até ser um catalisador do processo, mas é você quem está autorizando este poder. Não ela.

Epiteto, autor da frase dessa semana, sabe bem o que é isso. Foi escravo de um dos mais cruéis secretários de Nero. E, com este pensamento, tornou-se filósofo e escapou da escravidão.

Se você tem um "secretário de Nero" perto de você, talvez seja o momento de repensar seu grupo de pessoas importantes. Você é a média das pessoas com as quais mais convive. Muito do nosso sucesso e felicidade na vida são derivados das pessoas que nos cercam e da nossa capacidade em não darmos poder para as pessoas erradas.

Lembre-se de que "qualquer pessoa capaz de enfurecer você se torna seu mestre, mas ela só pode fazer isso com sua permissão."

Agora pense e responda: Quem será o mestre de sua vida hoje?

Aldo Novak

PS.: Tem link novo no "Saia por aqui": Mulheres de Arenas, da minha amiga Andréa. Visitem, comentem! E Andréa, seja bem vinda à "blogsfera" (ainda que eu ache esse nome meio brega).

quarta-feira, maio 26, 2010

Parabéns, papai!!!!!


Não é todo dia que o pai da gente completa 80 anos. E o dia do meu pai completar 80 anos é HOJE!!!

O meu pai é muito especial, sabe? Agora, passou a integrar o Rotary e está todo entusiasmado.

Ele tem um cuidado quase religioso com a alimentação. Come só arroz integral e comidas saudáveis, anda no calçadão... Como chove muito em Caraguá, onde ele mora, ele e a Aparecida compraram um "andador" muito legal. Ele dá aulas e palestras em um centro espírita em Caraguá e parece dez anos mais jovem (pelo menos) do que tem de verdade.

Meu pai sempre falava em ensinar a pescar, ao invés de dar o peixe. Eu, na condição de filha, teria preferido receber o peixe, mas hoje dou razão a ele. Rsrsrs

Sou filha única - já falei aqui - então uma das coisas boas nisso é que não preciso dividir a atenção do meu pai com nenhum irmão ou irmâ (bem egoisticamente falando... rsrsrs). Ele é uma das únicas pessoas que me chama de Silvinha (afinal, eu estou beirando os 52...)

Mas ele é mesmo um pai a quem eu tenho muito que agradecer por tudo o que me ensinou, pelo seu exemplo de vida, principalmente na sua busca por uma vida equilibrada e feliz.

Um dos seus maiores sonhos é ganhar na loteria, mas eu já acho que ele é muito sortudo, por chegar aos 80 com tanta saúde, energia e disposição.

Neste fim de semana fui sozinha dirigindo para Caraguá, visitá-lo. Para mim, que estou acostumada há uns 30 anos a ser a passageira, foi uma vitória ir para lá dirigindo sozinha. Coloquei um CD bacana e fui enfrentando a estrada, palmo a palmo. Deu tudo certo.

Fui muito bem recebida por ele e pela Aparecida, Eles são tão carinhosos e receptivos! E ainda pude esticar minha visita, pois o compromisso da segunda de manhã foi adiado. Ele disse que a minha presença era o presente. Mas eu queria mesmo era fazer uma festa de arromba p/ ele. Pena que não deu...

Agradeço a Deus por ter um pai tão bacana assim e espero que ele seja imensamente abençoado hoje, no seu dia, e sempre. Parabéns, papai!

da sua filha que te ama muitoooo!!!

sábado, maio 22, 2010

Resposta

Olá, querida Luciene,

Entendo sua ansiedade juvenil com relação à situação que você está vivendo e primeiro peço desculpas pela demora na resposta.
Segundo, espero sinceramente que você já tenha dito sim ao seu amigo. Simplesmente por isso: por que não?
Terceiro, vamos agora ponto por ponto, falar sobre o seu desabafo.
1) Você diz que passou por várias experiências que sempre te fizeram sofrer. Bem, minha querida, bem-vinda ao mundo real!! Não tem como não sofrer com o amor. Ilude-se quem pensa que o amor é um mar de rosas. Não é. E o casal que não sobrevive à primeira briga está fadado ao fracasso, de qualquer maneira. Então, se for pra acabar, que acabe logo. Isso é normal, comum e acontece com todo mundo, de todas as faixas de idade.
2) Não vou entrar na sua onda e dizer que o problema são os caras mais velhos. Isso realmente não tem nada a ver. Os namoros podem dar certo o errado, independentemente da idade dos parceiros. Com isso eu não concordo. Mesmo.
3) Auto-estima baixa: isso sim é um problema sério. Não tem fórmula para reconquistar a auto-estima, mas ao focar no seu caso, se um menino "do nada" te pede em namoro, eis aí um bom motivo pra vc recuperar a sua auto-estima, concorda??
4) Sozinha pela centésima vez - ah!!! como os jovens adoram os exageros, as hipérboles. Não diga isso, minha querida, ficar sozinha nem é tão ruim assim, a gente pode fazer um monte de coisas bacanas na nossa própria companhia. E fala sério, centésima vez é um baita exagero, ainda mais na sua idade.... Para com isso!!
5) Dedo podre para relacionamento amoroso: como assim, cara pálida?? Uma pessoa que já tem tantos casos para contar, que tomou a decisão de acertar, de fazer as coisas com mais coerência não tem o dedo podre. Nada disso, Não se subestime. Vc sabe que as palavras têm poder e que você não deve se referir dessa forma a você mesma. É preciso que a pessoa se ame, em primeiro lugar, para que outros também venham a amá-la.
6) Homens imauros: se vc já se relacionou com homens mais velhos, sabe que eles, por natureza, são e sempre serão mais imaturos que nós, mulheres. Desconfio que é algo que está no DNA deles. De novo: não é questão de idade.
7) Espero, sinceramente, que você tenha dito sim e que dê uma chance ao garoto de ser um namorado bacana.
8) Sempre o vi como amigo: isso é ótimo!!!!!!!!! Namoros fundados com base em amizade tem muito mais chance de durar do que os baseados em atração física. Com o tempo, todos nós "despencamos", querida. Só sobra o conteúdo interno, e este é que tem que valer a pena.
Espero ter te ajudado a ver a situação de um ângulo novo. Seja feliz! bjs


PARABÉNS, NANA!!!!!!!!!!!!!!!!!! ADOREI A NOTÍCIAAAA!!!!! QUE DEUS TE ABENÇOE.

quarta-feira, maio 19, 2010

Para refletir

Hoje, recebi uma Consulta Sentimental, aqui nos comentários.

Vou reproduzir aqui, para dar a resposta amanhã:

Bem... Tenho 16 anos mas, apesar da pouca idade, já passei por um monte de experiências amorosas sérias, intensas, até... Mas que sempre acabaram por me fazer sofrer.
Sempre preferi homens mais velhos (Cheguei a me envolver com um cara 22 anos mais velho), o que talvez seja o grande problema, reconheço.
Minha auto-estima é uma verdadeira porcaria, sabe? Daí acabo me encantando fácil demais, às vezes...
Depois de terminar um noivado por descobrir que meu ex-noivo (4 anos mais velho) tinha uma namorada com quem já estava antes de me namorar, veja só, estou há alguns meses sozinha, pela centésima vez. Só que decidi fazer as coisas com mais coerência e calma a partir desse episódio triste.
Apesar do meu "dedo podre" pra relacionamento amoroso, hoje fui pedida em namoro do nada por um garoto que estudou na mesma escola que eu há 2 anos, que é um amor de pessoa, mas um tanto imaturo, claro.
TEMOS A MESMA IDADE E SEMPRE O VI COMO AMIGO... O que faço? Devo deixar acontecer? SOCORRO!
:$

Parênteses

Vou abrir um parênteses aqui no Consulta Sentimental, hoje, para falar sobre um assunto sério: a sibutramina.

Eu tomei esse remédio e estava funcionando tudo muito bem, tudo muito bom. Mas, de repente, minha pressão arterial começou a aumentar e a médica endocrinologista que me atendia, prescreveu remédio para pressão. Falei sobre isso aqui no blog. Fui ao Incor, fiz todos os exames e ficou provado que eu não tinha mesmo que tomar remédio p/ pressão. Parei com a Sibutramina e comecei a fazer hidroginástica.

Eis que hoje recebo um release para o iG Empregos, que não tem a ver com o que publicamos lá. Mas acho importante divulgar. Então, lá vai, aqui mesmo, na íntegra (p/ pensar e refletir). A médica defende o medicamento, mas é sempre bom prestar atenção aos dois lados da questão. E fazer a escolha de forma consciente dos riscos envolvidos.

A manutenção da prescrição da sibutramina no Brasil

A sibutramina não deve ser prescrita a pacientes portadores de doenças cardiovasculares, hipertensos ou para quem já tenha tido arritmia cardíaca

Você gostaria de não ter fome e acha que isso te ajudaria a perder peso? Eu faço essa pergunta porque, todos os dias, recebemos pessoas que buscam um remédio que faça justamente isso: que teoricamente lhe facilite a perda de peso, subtraindo-lhes a fome.

Nos Estados Unidos, há apenas três medicamentos utilizados para tratar a obesidade: o orlistat, a fentermina e a sibutramina. No Brasil, temos o orlistat, a anfepramona, o femproporex, o mazindol e a sibutramina. Com exceção do orlistat, que reduz a absorção das gorduras, os outros todos tentam ajudar na redução da quantidade de alimentos ingeridos, ora aumentando a saciedade, como a sibutramina, ora reduzindo a fome, como os demais.

A obesidade vem crescendo com a força de uma pandemia, no mundo. Não poupa ninguém, independente da idade, classe social ou raça. Este fato vem provando que a idéia de reduzir a fome é uma grande ilusão, pois as pessoas comem, mesmo sem fome. Comem por diversos outros motivos, além da fome, mas principalmente, comem mais por uma falha da saciedade, ou seja, continuam com fome após uma refeição convencional e comem muito mais do que deveriam.

A maioria dos medicamentos para o tratamento da obesidade no Brasil são derivados anfetamínicos. São drogas poderosas em cortar a fome, mas, por outro lado, são difíceis de serem toleradas. Causam grande excitabilidade ao Sistema Nervoso Central, palpitações, insônia e, algumas vezes, até problemas psiquiátricos. Só seriam melhores toleradas se associadas aos calmantes, mas essas associações foram proibidas no Brasil, após a constatação de que criavam outro problema: o abuso de outro tipo de droga potencialmente aditiva ou potencialmente indutora de dependência. Dessa forma, quando usados sozinhos, esses medicamentos dificilmente são tolerados.

Nesse contexto, a sibutramina ainda é a nossa maior ferramenta para aumentar a saciedade. Ela interfere exatamente nesse mecanismo e permite que o paciente tenha fome, mas que comendo menos se sinta saciado. Ela vem sendo utilizada no Brasil há 12 anos. É considerado um medicamento de primeira linha para o tratamento da obesidade. Já se sabe, desde o início de sua comercialização, que a sibutramina pode causar elevação discreta da pressão arterial e aumento da freqüência cardíaca, uma vez que esses importantes sintomas sempre foram informados na bula do medicamento.

Em janeiro, a agência reguladora de medicamentos européia - EMEA (European Medicines Agency) - suspendeu a licença de comercialização da sibutramina, baseada em um estudo chamado SCOUT ( Sibutramine Cardiovascular Outcomes Trial), que envolveu mais de 10.000 pacientes obesos, acima de 55 anos com diabetes, história de cardiopatia ou outros fatores de risco cardiovascular por pelo menos seis anos.

O objetivo da pesquisa era avaliar os efeitos da sibutramina neste perfil de pacientes. A ocorrência de eventos graves como infarto, derrame, parada cardíaca e morte no grupo de pacientes em uso de placebo (cápsulas sem medicamento) foi de 10%, enquanto no grupo que usava sibutramina, foi de 11,4%. Embora pareça uma diferença pequena, ela é considerada estatisticamente significativa.

Esta diferença foi relevante apenas em pacientes com história de doenças cardiovasculares. Mesmo assim, a agência européia entendeu que "os riscos da sibutramina não compensam seus benefícios".

Ao contrário da agência européia, a agência americana (Food and Drug Administration -FDA) e a brasileira (Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa) não entendem o assunto da mesma forma. Estes órgãos reguladores alegam que a pesquisa não trouxe nenhum dado novo, além daqueles já conhecidos e descritos na bula do medicamento. Destacam, entretanto, que a sibutramina não deve ser prescrita a pacientes portadores de doenças cardiovasculares, hipertensos ou para quem já tenha tido arritmia cardíaca.

Nos Estados Unidos, a FDA, baseada no mesmo estudo, apenas determinou que a bula do medicamento alerte a população que o medicamento não deve ser usado por pacientes com história de doença cardiovascular.

No Brasil, por entender a necessidade de maior controle nas prescrições e no uso do medicamento, a determinação atual é de que deve haver maior vigilância, mudando a forma de prescrição para o receituário azul. A Anvisa também divulgou um alerta para os profissionais de saúde sobre o uso da sibutramina e recomendou a contra-indicação da sibutramina para pacientes com perfil semelhante aos incluídos no estudo SCOUT:

•Pacientes que apresentem obesidade associada à existência, ou antecedentes pessoais, de doenças cardio e cerebrovasculares;

•Pacientes que apresentem Diabetes Mellitus tipo 2, com sobrepeso ou obesidade e associada a mais um fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

O posicionamento da Anvisa foi bem recebido pelos endocrinologistas brasileiros, embora pareceu-nos um retrocesso a inclusão do grupo dos diabéticos tipo 2 ou não insulino dependentes, entre as contra-indicações do uso, uma vez que os resultados preliminares do SCOUT não demonstraram maior incidência de adventos graves com o uso da sibutramina por este grupo de pacientes, geralmente, obesos e que poderiam contar com a sibutramina como uma de suas principais estratégias de tratamento.

Diversos estudos já demonstraram a segurança e os benefícios da sibutramina, quando usada conforme as indicações, associada a mudanças de estilo de vida e sob acompanhamento médico.

Além do grande número de estudos, em diferentes perfis de pacientes, a medicação está disponível há mais de uma década no mercado e também tem se mostrado segura na prática clínica. Tendo em vista que a obesidade é um dos maiores riscos para as doenças do coração, a melhor prática é a seleção adequada dos pacientes e a vigilância do uso do medicamento, evitando privar a maioria dos obesos dos efeitos benéficos da droga.

Dra. Ellen Simone Paiva é médica especializada em Endocrinologia e Nutrologia. Mestre em medicina na área de Nutrição e Diabetes pela USP. Titular da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, SBEM e da ABRAN, Associação Brasileira de Nutrologia. Diretora clínica do CITEN – Centro Integrado de Terapia Nutricional.

CONTATO:
www.citen.com.br
faleconosco@citen.com.br
http://twitter.com/Citensp