sexta-feira, maio 28, 2010

Aprenda isso e não esqueça nunca mais

A lição não é minha, não. Recebi hoje por e-mail (Obrigada, Diomede) e confesso que eu achei que já houvesso aprendido, mas esqueço toda hora. Então, é melhor colocar aqui.

O Mestre de sua vida

"Qualquer pessoa capaz de enfurecer você se torna seu mestre, mas ela só pode fazer isso com sua permissão." Epiteto, ex-escravo e filósofo grego.

Pode parecer estranho, mas a verdade é que ninguém pode forçar você a ficar triste, chateado, bravo, nervoso ou o que quer que seja - até mesmo enfurecido. Não sem sua participação ativa neste processo, permitindo que as ações dessa pessoa causem emoções tão negativas em você.

Sei que não é o que parece, quando somos atingidos por palavras de pessoas que consideramos importantes. Mas percepção não é realidade. Ainda que pareça que nossas emoções são controladas por outras pessoas, a verdade é que ninguém as controla. Exceto você.

Somos nós quem damos poder para que outras pessoas acabem controlando o que sentimos. Isso é um erro. Quando você notar que está se enervando com alguém, lembre-se de que é você mesmo quem está gerando isso. A pessoa pode até ser um catalisador do processo, mas é você quem está autorizando este poder. Não ela.

Epiteto, autor da frase dessa semana, sabe bem o que é isso. Foi escravo de um dos mais cruéis secretários de Nero. E, com este pensamento, tornou-se filósofo e escapou da escravidão.

Se você tem um "secretário de Nero" perto de você, talvez seja o momento de repensar seu grupo de pessoas importantes. Você é a média das pessoas com as quais mais convive. Muito do nosso sucesso e felicidade na vida são derivados das pessoas que nos cercam e da nossa capacidade em não darmos poder para as pessoas erradas.

Lembre-se de que "qualquer pessoa capaz de enfurecer você se torna seu mestre, mas ela só pode fazer isso com sua permissão."

Agora pense e responda: Quem será o mestre de sua vida hoje?

Aldo Novak

PS.: Tem link novo no "Saia por aqui": Mulheres de Arenas, da minha amiga Andréa. Visitem, comentem! E Andréa, seja bem vinda à "blogsfera" (ainda que eu ache esse nome meio brega).

quarta-feira, maio 26, 2010

Parabéns, papai!!!!!


Não é todo dia que o pai da gente completa 80 anos. E o dia do meu pai completar 80 anos é HOJE!!!

O meu pai é muito especial, sabe? Agora, passou a integrar o Rotary e está todo entusiasmado.

Ele tem um cuidado quase religioso com a alimentação. Come só arroz integral e comidas saudáveis, anda no calçadão... Como chove muito em Caraguá, onde ele mora, ele e a Aparecida compraram um "andador" muito legal. Ele dá aulas e palestras em um centro espírita em Caraguá e parece dez anos mais jovem (pelo menos) do que tem de verdade.

Meu pai sempre falava em ensinar a pescar, ao invés de dar o peixe. Eu, na condição de filha, teria preferido receber o peixe, mas hoje dou razão a ele. Rsrsrs

Sou filha única - já falei aqui - então uma das coisas boas nisso é que não preciso dividir a atenção do meu pai com nenhum irmão ou irmâ (bem egoisticamente falando... rsrsrs). Ele é uma das únicas pessoas que me chama de Silvinha (afinal, eu estou beirando os 52...)

Mas ele é mesmo um pai a quem eu tenho muito que agradecer por tudo o que me ensinou, pelo seu exemplo de vida, principalmente na sua busca por uma vida equilibrada e feliz.

Um dos seus maiores sonhos é ganhar na loteria, mas eu já acho que ele é muito sortudo, por chegar aos 80 com tanta saúde, energia e disposição.

Neste fim de semana fui sozinha dirigindo para Caraguá, visitá-lo. Para mim, que estou acostumada há uns 30 anos a ser a passageira, foi uma vitória ir para lá dirigindo sozinha. Coloquei um CD bacana e fui enfrentando a estrada, palmo a palmo. Deu tudo certo.

Fui muito bem recebida por ele e pela Aparecida, Eles são tão carinhosos e receptivos! E ainda pude esticar minha visita, pois o compromisso da segunda de manhã foi adiado. Ele disse que a minha presença era o presente. Mas eu queria mesmo era fazer uma festa de arromba p/ ele. Pena que não deu...

Agradeço a Deus por ter um pai tão bacana assim e espero que ele seja imensamente abençoado hoje, no seu dia, e sempre. Parabéns, papai!

da sua filha que te ama muitoooo!!!

domingo, maio 23, 2010

Resposta

Olá, querida Luciene,

Entendo sua ansiedade juvenil com relação à situação que você está vivendo e primeiro peço desculpas pela demora na resposta.
Segundo, espero sinceramente que você já tenha dito sim ao seu amigo. Simplesmente por isso: por que não?
Terceiro, vamos agora ponto por ponto, falar sobre o seu desabafo.
1) Você diz que passou por várias experiências que sempre te fizeram sofrer. Bem, minha querida, bem-vinda ao mundo real!! Não tem como não sofrer com o amor. Ilude-se quem pensa que o amor é um mar de rosas. Não é. E o casal que não sobrevive à primeira briga está fadado ao fracasso, de qualquer maneira. Então, se for pra acabar, que acabe logo. Isso é normal, comum e acontece com todo mundo, de todas as faixas de idade.
2) Não vou entrar na sua onda e dizer que o problema são os caras mais velhos. Isso realmente não tem nada a ver. Os namoros podem dar certo o errado, independentemente da idade dos parceiros. Com isso eu não concordo. Mesmo.
3) Auto-estima baixa: isso sim é um problema sério. Não tem fórmula para reconquistar a auto-estima, mas ao focar no seu caso, se um menino "do nada" te pede em namoro, eis aí um bom motivo pra vc recuperar a sua auto-estima, concorda??
4) Sozinha pela centésima vez - ah!!! como os jovens adoram os exageros, as hipérboles. Não diga isso, minha querida, ficar sozinha nem é tão ruim assim, a gente pode fazer um monte de coisas bacanas na nossa própria companhia. E fala sério, centésima vez é um baita exagero, ainda mais na sua idade.... Para com isso!!
5) Dedo podre para relacionamento amoroso: como assim, cara pálida?? Uma pessoa que já tem tantos casos para contar, que tomou a decisão de acertar, de fazer as coisas com mais coerência não tem o dedo podre. Nada disso, Não se subestime. Vc sabe que as palavras têm poder e que você não deve se referir dessa forma a você mesma. É preciso que a pessoa se ame, em primeiro lugar, para que outros também venham a amá-la.
6) Homens imauros: se vc já se relacionou com homens mais velhos, sabe que eles, por natureza, são e sempre serão mais imaturos que nós, mulheres. Desconfio que é algo que está no DNA deles. De novo: não é questão de idade.
7) Espero, sinceramente, que você tenha dito sim e que dê uma chance ao garoto de ser um namorado bacana.
8) Sempre o vi como amigo: isso é ótimo!!!!!!!!! Namoros fundados com base em amizade tem muito mais chance de durar do que os baseados em atração física. Com o tempo, todos nós "despencamos", querida. Só sobra o conteúdo interno, e este é que tem que valer a pena.
Espero ter te ajudado a ver a situação de um ângulo novo. Seja feliz! bjs


PARABÉNS, NANA!!!!!!!!!!!!!!!!!! ADOREI A NOTÍCIAAAA!!!!! QUE DEUS TE ABENÇOE.

quinta-feira, maio 20, 2010

Para refletir

Hoje, recebi uma Consulta Sentimental, aqui nos comentários.

Vou reproduzir aqui, para dar a resposta amanhã:

Bem... Tenho 16 anos mas, apesar da pouca idade, já passei por um monte de experiências amorosas sérias, intensas, até... Mas que sempre acabaram por me fazer sofrer.
Sempre preferi homens mais velhos (Cheguei a me envolver com um cara 22 anos mais velho), o que talvez seja o grande problema, reconheço.
Minha auto-estima é uma verdadeira porcaria, sabe? Daí acabo me encantando fácil demais, às vezes...
Depois de terminar um noivado por descobrir que meu ex-noivo (4 anos mais velho) tinha uma namorada com quem já estava antes de me namorar, veja só, estou há alguns meses sozinha, pela centésima vez. Só que decidi fazer as coisas com mais coerência e calma a partir desse episódio triste.
Apesar do meu "dedo podre" pra relacionamento amoroso, hoje fui pedida em namoro do nada por um garoto que estudou na mesma escola que eu há 2 anos, que é um amor de pessoa, mas um tanto imaturo, claro.
TEMOS A MESMA IDADE E SEMPRE O VI COMO AMIGO... O que faço? Devo deixar acontecer? SOCORRO!
:$

quarta-feira, maio 19, 2010

Parênteses

Vou abrir um parênteses aqui no Consulta Sentimental, hoje, para falar sobre um assunto sério: a sibutramina.

Eu tomei esse remédio e estava funcionando tudo muito bem, tudo muito bom. Mas, de repente, minha pressão arterial começou a aumentar e a médica endocrinologista que me atendia, prescreveu remédio para pressão. Falei sobre isso aqui no blog. Fui ao Incor, fiz todos os exames e ficou provado que eu não tinha mesmo que tomar remédio p/ pressão. Parei com a Sibutramina e comecei a fazer hidroginástica.

Eis que hoje recebo um release para o iG Empregos, que não tem a ver com o que publicamos lá. Mas acho importante divulgar. Então, lá vai, aqui mesmo, na íntegra (p/ pensar e refletir). A médica defende o medicamento, mas é sempre bom prestar atenção aos dois lados da questão. E fazer a escolha de forma consciente dos riscos envolvidos.

A manutenção da prescrição da sibutramina no Brasil

A sibutramina não deve ser prescrita a pacientes portadores de doenças cardiovasculares, hipertensos ou para quem já tenha tido arritmia cardíaca

Você gostaria de não ter fome e acha que isso te ajudaria a perder peso? Eu faço essa pergunta porque, todos os dias, recebemos pessoas que buscam um remédio que faça justamente isso: que teoricamente lhe facilite a perda de peso, subtraindo-lhes a fome.

Nos Estados Unidos, há apenas três medicamentos utilizados para tratar a obesidade: o orlistat, a fentermina e a sibutramina. No Brasil, temos o orlistat, a anfepramona, o femproporex, o mazindol e a sibutramina. Com exceção do orlistat, que reduz a absorção das gorduras, os outros todos tentam ajudar na redução da quantidade de alimentos ingeridos, ora aumentando a saciedade, como a sibutramina, ora reduzindo a fome, como os demais.

A obesidade vem crescendo com a força de uma pandemia, no mundo. Não poupa ninguém, independente da idade, classe social ou raça. Este fato vem provando que a idéia de reduzir a fome é uma grande ilusão, pois as pessoas comem, mesmo sem fome. Comem por diversos outros motivos, além da fome, mas principalmente, comem mais por uma falha da saciedade, ou seja, continuam com fome após uma refeição convencional e comem muito mais do que deveriam.

A maioria dos medicamentos para o tratamento da obesidade no Brasil são derivados anfetamínicos. São drogas poderosas em cortar a fome, mas, por outro lado, são difíceis de serem toleradas. Causam grande excitabilidade ao Sistema Nervoso Central, palpitações, insônia e, algumas vezes, até problemas psiquiátricos. Só seriam melhores toleradas se associadas aos calmantes, mas essas associações foram proibidas no Brasil, após a constatação de que criavam outro problema: o abuso de outro tipo de droga potencialmente aditiva ou potencialmente indutora de dependência. Dessa forma, quando usados sozinhos, esses medicamentos dificilmente são tolerados.

Nesse contexto, a sibutramina ainda é a nossa maior ferramenta para aumentar a saciedade. Ela interfere exatamente nesse mecanismo e permite que o paciente tenha fome, mas que comendo menos se sinta saciado. Ela vem sendo utilizada no Brasil há 12 anos. É considerado um medicamento de primeira linha para o tratamento da obesidade. Já se sabe, desde o início de sua comercialização, que a sibutramina pode causar elevação discreta da pressão arterial e aumento da freqüência cardíaca, uma vez que esses importantes sintomas sempre foram informados na bula do medicamento.

Em janeiro, a agência reguladora de medicamentos européia - EMEA (European Medicines Agency) - suspendeu a licença de comercialização da sibutramina, baseada em um estudo chamado SCOUT ( Sibutramine Cardiovascular Outcomes Trial), que envolveu mais de 10.000 pacientes obesos, acima de 55 anos com diabetes, história de cardiopatia ou outros fatores de risco cardiovascular por pelo menos seis anos.

O objetivo da pesquisa era avaliar os efeitos da sibutramina neste perfil de pacientes. A ocorrência de eventos graves como infarto, derrame, parada cardíaca e morte no grupo de pacientes em uso de placebo (cápsulas sem medicamento) foi de 10%, enquanto no grupo que usava sibutramina, foi de 11,4%. Embora pareça uma diferença pequena, ela é considerada estatisticamente significativa.

Esta diferença foi relevante apenas em pacientes com história de doenças cardiovasculares. Mesmo assim, a agência européia entendeu que "os riscos da sibutramina não compensam seus benefícios".

Ao contrário da agência européia, a agência americana (Food and Drug Administration -FDA) e a brasileira (Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa) não entendem o assunto da mesma forma. Estes órgãos reguladores alegam que a pesquisa não trouxe nenhum dado novo, além daqueles já conhecidos e descritos na bula do medicamento. Destacam, entretanto, que a sibutramina não deve ser prescrita a pacientes portadores de doenças cardiovasculares, hipertensos ou para quem já tenha tido arritmia cardíaca.

Nos Estados Unidos, a FDA, baseada no mesmo estudo, apenas determinou que a bula do medicamento alerte a população que o medicamento não deve ser usado por pacientes com história de doença cardiovascular.

No Brasil, por entender a necessidade de maior controle nas prescrições e no uso do medicamento, a determinação atual é de que deve haver maior vigilância, mudando a forma de prescrição para o receituário azul. A Anvisa também divulgou um alerta para os profissionais de saúde sobre o uso da sibutramina e recomendou a contra-indicação da sibutramina para pacientes com perfil semelhante aos incluídos no estudo SCOUT:

•Pacientes que apresentem obesidade associada à existência, ou antecedentes pessoais, de doenças cardio e cerebrovasculares;

•Pacientes que apresentem Diabetes Mellitus tipo 2, com sobrepeso ou obesidade e associada a mais um fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

O posicionamento da Anvisa foi bem recebido pelos endocrinologistas brasileiros, embora pareceu-nos um retrocesso a inclusão do grupo dos diabéticos tipo 2 ou não insulino dependentes, entre as contra-indicações do uso, uma vez que os resultados preliminares do SCOUT não demonstraram maior incidência de adventos graves com o uso da sibutramina por este grupo de pacientes, geralmente, obesos e que poderiam contar com a sibutramina como uma de suas principais estratégias de tratamento.

Diversos estudos já demonstraram a segurança e os benefícios da sibutramina, quando usada conforme as indicações, associada a mudanças de estilo de vida e sob acompanhamento médico.

Além do grande número de estudos, em diferentes perfis de pacientes, a medicação está disponível há mais de uma década no mercado e também tem se mostrado segura na prática clínica. Tendo em vista que a obesidade é um dos maiores riscos para as doenças do coração, a melhor prática é a seleção adequada dos pacientes e a vigilância do uso do medicamento, evitando privar a maioria dos obesos dos efeitos benéficos da droga.

Dra. Ellen Simone Paiva é médica especializada em Endocrinologia e Nutrologia. Mestre em medicina na área de Nutrição e Diabetes pela USP. Titular da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, SBEM e da ABRAN, Associação Brasileira de Nutrologia. Diretora clínica do CITEN – Centro Integrado de Terapia Nutricional.

CONTATO:
www.citen.com.br
faleconosco@citen.com.br
http://twitter.com/Citensp

domingo, maio 09, 2010

sexta-feira, maio 07, 2010

Tudo a ver

... com o Consulta Sentimental!

UNIVERSIDADE OFERECE PSICOTERAPIA GRATUITA

O atendimento é direcionado às pessoas com problemas de relacionamento amoroso

O Centro de Psicologia Aplicada (CPA) da Universidade São Judas está com as inscrições abertas para o atendimento psicológico em grupo às pessoas com problemas de relacionamento amoroso.

O atendimento é gratuito e direcionado aos adultos de 25 a 40 anos. Os encontros acontecerão às sextas-feiras, das 20h às 21h15, na unidade Mooca da Universidade.

Realizado por alunos do curso de psicologia, sob a orientação de professores da Universidade.

Os interessados podem se inscrever por telefone ou pessoalmente no Centro de Psicologia Aplicada (CPA) onde será realizada a triagem para o atendimento. As inscrições serão realizadas até o preenchimento das 40 vagas disponíveis.

Inscrições
Local: Centro de Psicologia Aplicada da Universidade São Judas Tadeu
Rua Marcial, 45 - Mooca – próximo à estação Bresser-Mooca do metrô
Dias: de Segunda a Sexta, das 14h às 16h
Tel.: (11) 2799-1831

Feliz aniversário, Helena!!!

Hoje a Helena completa 3 anos.
Eu liguei pra ela às 7 e meia (e acordei a Rafa - eita sogra chata essa...)

Mas foi tão bacana a nossa conversa!

Tudo ela pergunta por que? Ela tá nessa fase, sabe?

Eu falei:
- Helena, eu te liguei porque hoje é o seu aniversário, você faz três anos!
e ela:
- Por que?

E assim foi a nossa conversa. Eu falava, falava, e ela dizia algumas coisas do lado de lá e nem tudo eu entendia.... Até que eu resolvi cantar o Parabéns a Você pra ela, e ela ria do outro lado....

Linda!

Depois que acabei, ela:
- De novo!

E lá fui eu, cantar tuuuuuudo de novo!!!

Agradeço a Deus esse presente que Ele me deu, de conhecer a minha neta, conviver com ela, com a alegria dela. E peço a Deus que a abençoe grandemente, que ela sempre seja muito, muito, muito feliz.

quinta-feira, maio 06, 2010

Teste bacana

Eu fiz e deu o resultado que eu estou com o pé no altar... mal sabem eles que sou casada desde 1980 (você já tinha nascido??? rsrsrs)


Depois vc me conta o que deu de resultado. Boa sorte!!!

Inferno astral

Eu sempre pensei que fosse 30 dias antes do niver. Agora, li isso:

Inferno Astral
Esse é um período em que todos os geminianos passam pelo chamado "inferno astral", um momento de desequilíbrio e que onde as coisas "param", ou seja, se desejar investir em novos projetos, relacionamentos e afins, é bom que se espereiodo do inferno astral passar, período esse que começa 45 dias antes do aniversário e vai até 24 horas depois da data do aniversário. Algumas pessoas passam sem sofrer grandes baques, outras consideram o pior periodo do ano.

Mas eu tinha lido uma vez que era apenas um período em que as "questões" (fica tão melhor em inglês - issues) emergem para que sejam resolvidas e você entre na sua nova idade novo em folha.

Não sei se é psicológico (acho que é), mas hj rezei mais do que o habitual porque muitas coisas aconteceram.

Bom, mas vamo que vamo, que atrás vem gente. Só que alguns projetos vão ter que esperar. Vou ficar na minha.

---
Update:
Prefiro esse ponto de vista aqui:
Apesar de não ser uma força misteriosa desenfreada como muitos imaginam, existem explicações simbólicas consistentes para a crise do último mês de uma idade, mas isto não significa que acontecerão apenas coisas negativas na vida de alguém ou que seja impossível lidar bem com este período de transição. Todos têm livre-arbítrio e podem, ainda mais compreendendo o ciclo no qual estão inseridos, dedicarem este momento à reflexão e avaliação da etapa terminada, preparando-se sem tantos atropelos para a próxima.

quarta-feira, maio 05, 2010

Meus melhores professores

Tem uma coisa meio sentimental em lembrar dos nossos professores do passado, né? Imagine quantos professores a gente tem na vida. Um monte! Mas os bons professores – assim como os bons amigos – são poucos, a gente pode contar nos dedos das mãos (se bobear, uma mão).

Tive aula com a terapeuta Lidia Rosenberg Aratangy na PUC. Foi a única professora, em dois anos e meio de curso de Psicologia, que deixou boas lembranças. Ela dava aulas (perfeitas) de Genética. Lembrei dela ontem porque recebi um release falando de um livro novo que ela escreveu: “O anel que tu me deste – o casamento no divã”, da Primavera Editorial. Se o livro for tão bom quanto eram as aulas dela...

Na minha listinha, estão também dois professores que eram odiados por mim. Mas hoje vejo que aprendi muito com eles: a dona Neide (sim, a gente chamava os professores do Dona e de Seu), professora de Português do primário, e o Manente, de jornalismo, na ECA. Também se aprende dessa forma, tenho que reconhecer.

Depois, no colegial, a Clarinha, professora de Psicologia. Por causa dela que fui estudar a disciplina na PUC. Ela era o máximo! Eu queria muito ser igualzinha a ela.

E tinha a professora Estefânia, que era ótima também. Mas não me lembro mais que matéria ela dava. Espevitada, de cabelo curtinho, ela era muito boa.

E o professor de inglês, o seu Paulo – um verdadeiro lorde inglês, magrinho, alto, só faltava usar o chapéu coco. Outro dia encontrei com ele na Fnac e até fiquei vermelha. Hahaha (o Guilherme foi falar pra ela que eu tinha sido sua aluna).

E a de francês, que chegou à classe no primeiro dia de aula já falando em francês com a gente:

- Bon jour, mademoiselles, patati, patatá…. E uma aluna olhava para a outra, sem entender nada. Como ela se chamava mesmo??

Depois, já na pós-graduação, tive uma única e inesquecível aula com o Clóvis, de Ética.

E só. E você, lembra dos seus professores mais queridos?

segunda-feira, maio 03, 2010

Saudades apertadas

Essa foto foi tirada no dia 21 de fevereiro (aniversário da minha mãe). No dia 12 de março, lá foi a tia Biba pro Canadá. E lá está ela, em sua última semana de aulas em Toronto. Depois, viaja para Montreal. Vai ficar até o dia 22 de junho. Chamou agora há pouco no Nextel.
- Mãe! Aqui tá o maior calor, tô de short e tô morrendo de calor! - reclamou.
Ela, assim como eu, prefere o frio.
As saudades vão apertando, apertando.... com o tempo.
Mas a experiência dela é pra vida inteira. Sei disso, esses tempos fora vão marcar a personalidade dela de forma indelevel. Espero que ela se torne uma pessoa mais consciente de todas as possibilidades que tem pela frente, as escolhas, as decisões.
Nem eu, nem o pai dela, nem o seu irmão tivemos essa oportunidade que ela está tendo. Que ela valorize cada minuto, cada experiência, cada aprendizado.

E as saudades vão apertando.... ai, ai.

E eu devo tudo isso a uma amiga muito querida, a Mirella, que cuidou de toda a viagem, e foi mais carinhosa do que precisava. Obrigada, Mi! Talvez eu já tenha falado dela mas nunca é demais repetir que recomendo fortemente os seus serviços, para quem pensa em mandar os filhos pro Canadá.