segunda-feira, junho 27, 2005

Bullets
- Tô melhorando de saúde, obrigada!
- O chuveiro misteriosamente voltou a jorrar água lá em casa, depois de umas duas semanas de banhos no banheiro do Tom.
- A Biba foi ao neurologista hoje (dores de cabeça diárias) e demos risadas dos exames que ele fez.
- Comecei a trabalhar às 10 horas hoje e gostei
- Continuo meio surda, mas bem que às vezes é melhor pra não ouvir certas besteiras...
- Amanhã é aniversário da Alê.
- LuK, comprei um porta-lápis diferentão (com tampa) p/ fazer mosaico p/ vc. Vc precisa me dizer quais cores prefere.
- Comecei o mosaico com o número da casa, em tons de laranja e amarelo, minhas cores favoritas.
- Comemos pizza no vizinho (forno de barro) no sábado à noite.
- Na quinta (ou na sexta) ladrões roubaram o carro da vizinha - a japonesa Eri - e a agrediram (por isso que teve a pizza, pra conversarmos sobre segurança - droga!)
- E vamo que vamo. Que lá em casa tá cheio de conta pra pagar.

sexta-feira, junho 24, 2005

Tô no Rio
Meu ouvido esquerdo já dava sinais de desconforto. Com o vôo, ele se recusa a ouvir qualquer coisa que seja. Muito chato isso. Parece que tem uma rolha tampando.
Rio de Janeiro + surdez são duas coisas que não combinam. Definitivamente.
Se vc quer saber, aqui tá calor, apesar deles acharem que tá frio...
Até!

quinta-feira, junho 23, 2005

Tô gribada
Não quero conversar.
Também descobri que meu sangue tá mal.
Tô com anemia.
Hoje não.
Amanhã, talvez.

terça-feira, junho 21, 2005

Jack Johnson na veia
Eu já passei um pouquinho da idade de ficar curtindo músicas, etc e taal, porque tenho tantas coisas pra fazer... Mas ganhei um CD do Jack Johnson de aniversário do Edu e da Alicinha (meu querido casal de psicólogos) e eu, que já vinha curtindo esse som, virei fã-totalmente-apaixonada-pelo-moço. Tem uma música em especial que tem absolutamente TUDO a ver com o meu momento atual. Ela se chama Sitting, Waiting Wishing. Claro que no meu caso, não se trata de um caso de amor... Mas de uma coisa que pode acontecer, que eu quero MUITO, mas só posso sentar, esperar e desejar.

Sitting, Waiting, Wishing

I was sitting, waiting, wishing
You believed in superstitions
Then maybe you would see the signs
But lord knows that this world is cruel
And I ain’t the lord no I’m just a fool
Learning loving somebody
Don’t make them love you
Must I always be waiting, waiting on you?
Must I always be playing, playing your fool?

I sang your songs I danced your dance
I gave your friends all a chance
But putting up with them
Wasn’t worth never having you
Maybe you’ve been through this before
But it’s my first time so please ignore
The next few lines because they’re directed at you
I can’t always be waiting, waiting on you
I can’t always be playing, playing your fool

I keep playing your part
But it’s not my scene
Want this plot to twist
I’ve had enough mystery
You keep building it up
But then you’re shooting me down
But I’m already down
Just wait a minute
Just sitting, waiting
Just wait a minute
Just sitting, waiting

Well if I was in your position
I’d put down all my ammunition
I’d wonder why it had taken me so long
But lord knows that I’m not you
And if I was I wouldn’t be so cruel
Because waiting on love
Ain’t so easy to do
Must I always be waiting, waiting on you?
Must I always be playing, playing your fool?

segunda-feira, junho 20, 2005

Mais sonhos
Aquele sonho com tsunamis foi tão forte, que entrei numa fase de prestar muito atenção aos sonhos. Coloquei uma caneta e um bloquinho na mesinha do lado da cama e nem bem acordo, escrevo o que sonhei.
Tá uma curtição. Porque a vida real anda bem cheia de percalços. Então, me refugio no meu universo onírico, que é totalmente louco, sem sentido, sem pé nem cabeça, sonhos que mudam, se transformam, vão e vêm.
Até tô dormindo melhor ultimamente, só pra "ver" o que vou sonhar.
Pra tentar entender um pouco os seus sonhos, tem esse link aqui.
Bons sonhos!

domingo, junho 19, 2005

No turning point
Tem certas horas na vida de uma pessoa em que é impossível voltar atrás. E isso é bom.

quinta-feira, junho 16, 2005

Sonho ou pesadelo?
Um tsunami chegava e ia me alcançar. A onda estava muito longe e até daria tempo de fugir... se não fosse outra onda vindo do outro lado. Eu soube que ia morrer, que minha hora havia chegado. Então, levantei os braços p/ mergulhar na água, sem medo. Mas o sonho mudou para uma estrada e não morri (acho que não).
Hoje mesmo a interpretação do sonho ficou clara p/ mim.
Não sei gerenciar nada, não sirvo pra ser chefe de ninguém.
E então todos os meus e-mails do gmail sumiram. Do nada.
(duas ondas, sacou?)
Alguém aí tá a fim de encomendar um mosaico?

quarta-feira, junho 15, 2005

Com a palavra, o meu pai:
Porque nem todo mundo lê os comments...

Oi, Silvinha

Ninguém mais que eu gostou tanto de sua festa. Adorei ver pessoas que eu não via há muitos anos. Adorei relembrar fatos e coisas, que minha mente, já meio enferrujada, teima em esquecer e colocar no “arquivo morto.”
Que bom estar num lugar e se sentir de bem com a vida, com as pessoas, estar em paz com nossa mente. Que bom estar num lugar e poder receber e transmitir alegrias e felicidades a todos que estavam lá.
Gostei muito de poder falar e relembrar fatos da vida que tive em comum com sua mãe. Nosso casamento foi se acabando gradativamente até nossa separação, mas nem por isso, o carinho e lembranças de um tempo vivido junto se apagarão.
A dor da separação não foi unilateral, mas atingiu a todos nós e este clima ruim, persistiu por muito mais tempo que deveria.
Graças a Deus que terminou e estou feliz por isso.
Aprendi muito com o espiritismo que nos pede para nos instruirmos constantemente e para nos amarmos cada vez mais.

Muito obrigado, Silvinha querida, por esta ajuda que você me deu.

Abraços, beijos e fique sempre com Deus em seu coração

Papai

Até parece que eu ajudei alguma coisa!

Mas a sensação de alívio é geral!

beijos, papai! Tb fica com Deus!

segunda-feira, junho 13, 2005

Festa
Foi o máximo! Inauguração da casa e aniversário. Ganhei um monte de presentes, mas o melhor de todos não foi algo material: foi o reencontro, depois de tantos anos, do meu pai e da minha mãe, ao vivo e em cores. E a catarse continuou ontem à noitinha, quando minha mãe foi lá em casa e ficamos relembrando alguns detalhes esquecidos no tempo. Lágrimas insistiram em cair dos meus olhos duas vezes (pelo menos). Mas foi como lavar a alma. O espiritismo traz uma outra luz sobre os fatos e algumas coisas eu só compreendo hoje, ao olhar pra trás. O caminho de cada um é mais espiritual do que qualquer outra coisa, acho eu. E as coisas que acontecem na nossa vida não acontecem por acaso. Tudo faz parte do tal do master plan que Deus tem reservado pra gente. Mas, ao mesmo tempo, tudo depende do nosso livre arbítrio, ou seja, de como nós vamos reagir para nos libertarmos daquele círculo vicioso em que os seres humanos se debatem o tempo todo.
OK. Também não acredito em receitas de felicidade, mas tem uma que é ao mesmo tempo ultra-simples e complicadésima, que é aquela do amor ao próximo. E não adianta ser o próximo-próximo. Mas aquele chefe implicante, o vizinho inoportuno, a colega traiçoeira. A gente tem que entender, de uma vez por todas, que a vida tem certas maneiras de nos fazer ver e compreender as coisas, que nem sempre são aquelas mais óbvias, que a gente gostaria que fossem, mas que servem pra gente. One size fits all não funciona, no caso. Cada caso é um caso, conselho não serve pra nada e a gente tem que sentir na carne porque fomos forçados a atravessar determinados obstáculos, para alcançarmos a Luz.
Depois eu volto com uma conversa mais pé-no-chão. Mas hoje tô assim, meio que flutuando em nuvens de pensamentos profundos e em feedbacks necessários para que eu possa seguir o meu caminho, agora na versão 47.
Pra ir me acostumando à passagem do tempo, até já entrei na comunidade chamada "Jovens acima dos 50" no Orkut.
Boa semana!

sexta-feira, junho 10, 2005

Felicidade
Felicidade é... receber a visita do meu pai aqui em casa, depois de vários (muitos) anos. Não é que ele não gosta de mim, mas virou "caiçara" e não gosta muito de sair do cantinho dele lá em Caraguatatuba. Eu entendo. Por isso mesmo fico muito feliz ao recebê-lo aqui em casa hoje, com a Maria Aparecida (sua segunda esposa).
Eu quero que ele se sinta muito bem vindo aqui, e que volte sempre. Meu pai é um exemplo p/ mim, acho que como todos os pais o são para seus filhos. Sempre me disseram que eu sou mais parecida com ele e eu sempre acreditei nisso. Ele tem um enorme talento para construir seus modelos de barcos. Ele também é geminiano, fez aniversário no dia 26 de maio.
Eu não sei se sou uma filha tão legal p/ ele. A gente se afastou muito quando houve a separação. Mas eu acho certo a pessoa ir em busca da felicidade, ainda que com alguns tropeços pelo caminho. Na hora, foi chocante. Ainda mais porque eu nunca vi os dois discutirem. "Meu mundo caiu"... Mas hoje, as feridas estão todas cicatrizadas e acho que foi bom para todo mundo.
Meu pai, que ia à Igreja de vez em quando e ficava lá atrás, nas épocas em que eu era mais "carola", surpreendentemente descobriu o espiritismo e hoje faz palestras no centro espírita lá de Caraguá. Acho que eu tive uma certa influência, pois sempre que eu ia pra Caraguá a gente falava sobre aqueles mistérios inexplicáveis para outras religiões - como criancinhas que morrem bem novinhas ou assassinos que se arrependem do que fizeram bem na hora da morte - e a visão do espiritismo.
Mas o meu pai é o máximo, eu tô feliz e tô de folga do trabalho. Agora, vou arrumar melhor aquele quarto de hóspedes para esperá-lo chegar.

quinta-feira, junho 09, 2005

Festa-surpresa
Ontem, quando cheguei em casa, tinha uma festinha surpresa me esperando. Minha mãe, o Gui e a Biba. Fofos. Adorei. Foi minha primeira festa surpresa de toda a minha vida. Tinha bexigas espalhadas pelo chão... Sanduichinhos, brigadeiros esfihas do Habib's, tudo arrumado na mesa. E um bolo Floresta Negra. Fiquei comovida com tanto carinho.

quarta-feira, junho 08, 2005

Belzonte
Fui pra Belzonte, Ouro Preto, rezei pra Nossa Senhora do Pilar e pra São Francisco de Assis. Perdi a noção do dia da semana em que estamos. Emendar duas semanas de trabalho dá nisso.
Fiquei mais velha, ganhei vários "parabéns" e coisa e tal. Sei que todos tentaram ser simpáticos e e gentis comigo, ganhei um monte de scraps... Mas passar o dia do seu aniversário longe da sua família é esquisito pra caramba... Ainda por cima sem celular. Foi estranho. Mas tudo bem. Bola pra frente, que quem fica parado é poste.

sexta-feira, junho 03, 2005

Mamãe Natureza
Com o tempo, a gente vai aprendendo melhor as coisas.
Por exemplo, lutar contra a Natureza é uma coisa. Aperfeiçoar a Natureza é outra.
Acho que não existe uma mulher no mundo que sempre achou seus próprios cabelos lindos. Quando são crespos, a mulher gostaria que fossem lisos e vice-versa. Isso quando a moda não resolve se impor e definir para você como você deve usá-los.
Meus cabelos sempre foram o que se costuma chamar de "ajeitados", nem lisos, nem crespos, muito ao contrário.
Eu gostaria que eles fossem ou lisos ou crespos, de uma vez.
Mas hoje de manhã, me olhando no espelho, percebi que o melhor a fazer, pelo menos no caso dos cabelos, é tentar ignorar a moda e descobrir como a Mãe Natureza resolveu para você que deve ser a moldura do seu rosto.
Sacudi os cabelos de qualquer jeito e saí. Pronto.
Me sinto linda e maravilhosa.

Mas, como boa geminiana, claro que acho que pode ser tudo ao contrário, também. Gosto muito daquele "Extreme Makover". Em certos casos, até choro!

Tem a ver com família, com herança genética - na maioria das vezes, o "patinho feio" é uma cópia(às vezes malfeita) do pai ou da mãe, geralmente quem mais se emociona ao ver a transformação.

Geminianos adoram mudanças, de todas as espécies.

Mas acho que há mudanças e mudanças. Seguir a ditadura da moda e exagerar não é uma boa.

A gente tem que descobrir em que a Natureza nos favorece ou em que medida podemos aperfeiçoar algumas características que comprometem a nossa auto-estima. No fundo, no fundo, o importante é a gente gostar do que enxerga no espelho, ainda que a Humanidade ache ridículo uma quarentona de meias vermelhas, ou de chapéu roxo.

O importante é ser feliz.

Bom fim de semana!

quinta-feira, junho 02, 2005

Matemática
Quantos sapos você é capaz de engolir em um dia?
Quantos leões é preciso matar por mês para poder pagar todas as suas contas?
Com quantos paus se faz uma canoa?
Quantas vezes a água mole precisa bater na pedra dura antes que ela fure?