sexta-feira, novembro 15, 2019

Dia 24 – Meu caminho é simples e claro: método certo + treino certo + mentores certos



A fórmula mágica para atrair a riqueza para a nossa vida não é nenhuma magia e sim encontrar um método que seja certo para você, caprichar no treinamento e escolher um mentor em quem você confie, com quem se identifique. Estudar a história inspiradora de pessoas que prosperaram, que passaram pelas mesmas dificuldades que você também é uma boa coisa a ser feita.

O que é o certo e o errado? Primeiro, aquilo que as pessoas falam precisa ressoar em você. Tem um monte de gente na Internet “vendendo” esses métodos e treinos. Cabe a você escolher. A escolha é individual e intransferível. Faça a sua! Uma vez escolhido o método, o treino e o mentor, persista. 

Lembre-se de que não é uma atitude isolada que vai trazer a prosperidade para a sua vida. E preste muita atenção aos sinais. Eles vão começar a aparecer com força na sua vida. Se você ficar duvidando, não vai funcionar. Tenha fé e siga em frente. Dia após dia.

Método e treino implicam envolvimento da sua parte. Ficar esperando que as coisas caiam do céu não vai funcionar.

Hoje eu escolho o meu método para desenvolvimento da riqueza na minha vida, dedico alguns momentos do meu dia para esse treino e escolho meus mentores. Tudo acontece na hora certa. E a hora certa é agora.

Namastê!

quinta-feira, novembro 14, 2019

Dia 23 – Eu mantenho uma gestão financeira sensata, respeitando as quatro forças do dinheiro (ganhar, gastar, poupar e investir) e a lei da economia



Você deseja a riqueza na sua vida, mas não sabe lidar com o dinheiro? Hummm, temos aí um problema. Ouvi hoje no rádio que a poupança já está rendendo menos do que a inflação. Ou seja, você precisa urgentemente entender que se o dinheiro vier a jorrar na sua vida, assim como uma cornucópia jorra frutas, você vai ter que saber o que fazer com o fluxo, né?

É muito legal pensar nessas quatro FORÇAS do dinheiro: ganhar, gastar, poupar e investir.

Por exemplo, uma pessoa que ganha 10 mil e gasta 10.500 pode se considerar pobre. Mas uma que ganha 2 mil e gasta 1.500 pode se considerar rica. É muito relativo. Ser rico ou ser pobre não depende tanto de quanto você ganha, mas sim de quanto você gasta. Tem que ter clareza nisso, senão não rola.

Perceba bem que existem ainda dois conceitos diferentes: poupar e investir. Poupar é uma coisa, investir é outra. Tem muito conhecimento gratuito na internet (e até no próprio site do banco onde você tem conta) sobre investimentos. Poupar é não comprar tanto, é economizar. Mas investir é um passo além. Por exemplo, você sabe qual é o seu perfil de investidor? Tem teste gratuito para fazer. Faça! Seu inconsciente vai começar a entender que você quer e pode ter mais dinheiro fluindo na sua vida. Não tenha vergonha de falar sobre dinheiro, não tenha vergonha de cobrar, de pechinchar. Eu falo por mim, sempre tive vergonha disso, e às vezes ouço as pessoas falando baixinho sobre dinheiro.

Não.... Nada disso! Comece agora a falar que você é rica, que o dinheiro está fluindo na sua vida, até que a sua mente absorva essas novas ideias com naturalidade. Comece a imaginar um saldo maior na sua conta, imprima o extrato e acrescente uns zeros a mais. Sinta a sensação de já ter aquele dinheiro à sua disposição. O dinheiro às vezes é meio abstrato. O que você faria se tivesse bastante dinheiro? Ia conversar com o gerente do seu banco, para encontrar uma boa aplicação financeira? Então faça isso. 

Você vai se surpreender com alguns investimentos que não exigem que você tenha 1 milhão para aplicar. Aí você já vai se sentir um investidor, e não um devedor. Quando essa chavinha vira, tudo muda e sua vida será muito mais próspera. Mas não economize para a doença. Economize para uma viagem, um presente especial para você ou alguém que você ama. Não deixe também o dinheiro lá parado e esquecido, para usar algum dia, indefinido no futuro. Faça planos, trace metas. Um bom ditado próspero para relembrarmos hoje é: "de grão em grão a galinha enche o papo"! 

Afirmação para hoje:
Aprendi a lidar com as quatro forças do dinheiro (ganhar, gastar, poupar e investir) e o dinheiro flui com toda essa força na minha vida. Gratidão!

Namastê.

quarta-feira, novembro 13, 2019

Dia 22 – Eu honro e consagro cada pessoa que passa pela minha vida. Eu tomo o CHA (consideração, honra e amor) todos os dias



Pensei naquela enfermeira que me acordou de madrugada, cheirando a cigarro, não conseguiu furar a minha veia e ainda reclamou que minha pele era rígida (não é)... Ela é que estava puxando a minha pele no momento de enfiar a agulha. Fez três furos inúteis, que não serviram para colocar os remédios na hora da cirurgia. As médicas tiveram que fazer outro furo, o quarto! – Desafio master blaster: perdoar, ter consideração, honrar e mandar amor pra ela. Mas faço isso agora, mesmo assim. É difícil, mas não impossível. Como já fiz no mesmo instante em que ela reclamava da minha pele. No entanto, 99,99% das pessoas que estavam ao meu redor no hospital eram todas elas adoráveis. Sou ou não sou abençoada? Hoje será minha consulta de retorno. Ontem completou uma semana d cirurgia. E eu sigo de repouso. 

Pensando bem, eu estava dormindo, ela, trabalhando. Consideração. Ela tentou fazer o melhor que pode. Honra. Senti dor quando ela me furou três vezes, mas (depois que parei de sentir um pouco de raiva) procurei enviar vibrações de amor para ela.

É fácil mandar vibrações de amor para as pessoas gentis, simpáticas, que nos são agradáveis. Mas e para aquelas pessoas que o santo não bate, sabe?? Aí é que está o desafio.

"Procure me amar quando eu menos merecer, pois é quando eu mais preciso", diz um provérbio sueco. Quando li esta frase pela primeira vez, até chorei. Sabe quando nem você mesma se aguenta, de tanta chatice acumulada?? Nas épocas de TPM e tal... 


Frase para repetir hoje:

Envio hoje vibrações de consideração, honra e amor a todas as pessoas que passarem pela minha vida (meus próximos, como ensinou Jesus) e isso faz com que eu me sinta cada vez melhor.  

Namastê!

terça-feira, novembro 12, 2019

Dia 21 – Eu estou um passo à frente da RPR; a minha motivação inabalável é meu escudo para prosperar




Essa sigla RPR é uma criação do Bruno Gimenes e da Patrícia Cândido. Vou tentar explicar com as minhas palavras. Diz o padre (ou o rabino, ou o médium, ou o pastor):

- Não se preocupe, nós temos a solução de todos os seus problemas. Você não precisa fazer nada.

Ou então diz assim:

- Você sofre por consequência de erros do passado, tem que se conformar.

Mas se con-formar é se deixar conter dentro de uma forma apertada, sem possibilidade de expansão. 

No entanto, fomos criados para a expansão, para a evolução e não para ficarmos apertados dentro de dogmas e crenças limitantes. Esta é a primeira conspiração contra nós mesmos: a religião.

Entenda bem, não que a religião não seja algo bom e que podemos cultivar valores religiosos na nossa vida. O erro é depositar TODAS as nossas esperanças de salvação em uma religião determinada e nos deixarmos conduzir como boas ovelhas, sem nenhuma ação concreta para obter a nossa riqueza, a nossa prosperidade. A religião, em geral, nos promete a felicidade, mas não nesta vida. É preciso um movimento consciente e uma fé em nós mesmos (autorresponsabilidade) a fim de progredirmos. 

É isso que muitas vezes nos falta.

Ou então, podemos depositar todas as nossas esperanças nos políticos, acreditando que são eles os nossos salvadores. Por outro lado, podemos também culpá-los de todos os nossos males. Se não prosperamos, é por causa do político X, Y ou Z que nos rouba, ou é por causa da política econômica do governo que nos obriga a pagar impostos altos.

Eis aí outra conspiração bem forte, que tende a nos convencer da não-responsabilidade que temos pela nossa situação financeira. Vamos quebrar este paradigma também. Tomara que possamos pagar muitos impostos, isso indica que ganhamos muito dinheiro e que a prosperidade está presente na nossa vida.

E, finalmente, os remédios. A indústria farmacêutica pode se revestir de um poder absurdo de ser ela a responsável pelo nosso bem-estar, pela manutenção da saúde perfeita do nosso corpo físico. Mas quem dá este poder a ela somos nós mesmos. Nenhuma pílula é capaz de nos prover a felicidade, o bem-estar, a alegria de viver, e é disso que precisamos para conquistar a nossa saúde, em primeiro lugar e, em seguida, a nossa prosperidade e abundância.

Vamos parar de transferir o nosso poder para a religião, os políticos ou à indústria farmacêutica. Para isso, a motivação inabalável é a nossa arma. Essa motivação precisa ser alimentada todos os dias.

Afirmação para hoje:

Hoje, eu me mantenho firme na minha motivação de conquistar a minha riqueza. E para me defender dos enganos da religião, da política e dos remédios uso como escudo minha motivação inabalável. Eu me mantenho com foco e com energia de sobra para prosperar.

Namastê!

segunda-feira, novembro 11, 2019

Dia 20 – Eu sou responsável por todas as crenças que carrego; e sou responsável por remodelar o meu paradigma



Tem muito conteúdo gratuito na internet que promete, com alguns exercícios específicos, limpar as crenças limitantes que impedem você de chegar a atingir a máxima prosperidade e abundância.
Mas andei refletindo sobre isso. Concordo que nós, seres humanos e falíveis que somos, temos a tendência de nos apegar a gestuais, a simbolismos, e a confiar em determinados métodos espirituais repetidos como que automaticamente ao longo dos anos, para nos garantir proteção espiritual e a resolução dos nossos problemas.

Só que, pensando bem, se formos capazes de analisar essas crenças limitantes com um novo olhar, de consciência desperta, instantaneamente elas deixarão de fazer sentido para nós, independentemente de qualquer gesto ou “mandinga”!

Decida você em que você deseja acreditar ou não. Tome em suas mãos uma varinha mágica imaginária e faça com que ela tenha o poder de te ajudar a ficar desperto e livre de todas as amarras que te impedem de progredir. A vida é evolução e progresso, naturalmente. Entre no fluxo dessa energia positiva, abandonando todas aquelas crenças que te puxam pra baixo.

Para isso, o ato de escrever é um dos mais poderosos assistentes. Eu, aqui, escrevendo sozinha no meu notebook, vou empilhando palavras e conceitos que me ajudam a entender o funcionamento da mente, do inconsciente, do consciente, juntando tudo o que li e ouvi até agora e filtrando tudo por intermédio das palavras e criando uma nova realidade, onde impera o meu próprio poder de escolher o que é bom, útil e belo.

Os paradigmas são como camisas de força que você pode arrancar de si mesmo e vestir novas e perfumadas túnicas leves e sutis que vão te acompanhar na jornada rumo à abundância, à prosperidade, à riqueza.

Uma querida amiga minha que está enfrentando uma das maiores lutas da vida dela, usa o stories do Instagram para se comunicar com as pessoas e ela disse que não precisa mais do que suas duas calças jeans, camisetas brancas e seus tênis all star para ser feliz. Mas ela quer viajar quando estiver curada. Portanto, a riqueza é algo bem pessoal. Para uns, podem ser as roupas caras e elegantes. Para outros, pode ser viajar pelo mundo. Somos nós que temos que criar os nossos paradigmas. Não podemos nos deixar levar por eles e sim fazer as nossas escolhas de forma consciente e adulta, madura e responsável.  

Afirmação para hoje:
Hoje eu escolho conscientemente remodelar as minhas crenças e paradigmas. Sou uma esponja que absorve tudo, mas escolhe o que deseja reter. E escolho a alegria, a felicidade, a saúde, a riqueza. Sei que tudo isso está a caminho da minha vida neste exato momento e agradeço desde já.  


Namastê! 

domingo, novembro 10, 2019

Dia 19 – Eu sou uma vendedora constante de coisas e ideias, e ofereço muito valor utilitário em cada ato meu




Vendas... houve uma época da minha vida em que, por mais que eu estivesse com vontade de comer pipoca, eu tinha uma coisa dentro de mim que me impedia de ir até o pipoqueiro e comprar um saquinho de pipocas. Minha mãe conta essa história até hoje.

Mais tarde, ao trabalhar em assessoria de imprensa, eu precisava “vender” as pautas para os jornalistas publicarem as matérias dos meus clientes. Eu preferia mil vezes fazer isso por escrito do que pelo telefone. Mas tive que treinar meu poder de convencimento na marra, pois era obrigada a fazer “follow up” das sugestões de pauta que enviávamos aos jornalistas.

Embora meu sonho fosse trabalhar em uma revista da Abril (coisa que consegui, mas que também não foi bem do jeito que eu imaginava), a vida me levou a trabalhar muito mais tempo com assessoria de imprensa, não por uma escolha minha, mas porque “não tinha nada melhor para eu fazer e eu precisava do salário”. Sabe como se chama isso? Prostituição. Por mais que seja uma verdade indigesta, eu precisava “escutar” isso agora.

No entanto, sou extremamente grata à minha profissão. Viajei a trabalho para lugares incríveis, conheci muita gente, destravei aquela timidez absurda que eu tinha e que me prejudicava, tive que me reinventar e que descobrir algum encanto naquilo que eu fazia. Por coincidência, ontem o Facebook me trouxe a lembrança da minha mesa de trabalho em 2012.

Foi como se eu fizesse uma viagem pelo túnel do tempo para aqueles tempos em que eu vivia estressada... sem enxergar muita saída para mim. Mas a nossa vida é feita de fases, e aqui estou eu com 61 anos, aposentada, me sentindo com 30 novamente, cheia de gás e de energia para começar novos projetos. Quem disse que não posso?

Inclusive, é por isso que estou nessa jornada aqui no blog... destrinchar os 27 mandamentos da riqueza, pronunciar a palavra riqueza sem medo e com a confiança de quem acredita que ela está presente na minha vida desde já.

Assim, depois de voltas e voltas, cheguei ao dia 19. Neste dia, o que eu preciso aprender? Preciso aprender que se eu quero ter sucesso material na minha vida, inevitavelmente eu preciso ser “uma vendedora constante de coisas e ideias, e ofereço muito valor utilitário em cada ato meu”.

Troque o eu pelo você na frase anterior: se você quer ter sucesso material na sua vida, inevitavelmente você precisa ser “uma vendedora constante de coisas e ideias, e oferecer muito valor utilitário em cada ato seu”.

Vem comigo.

O que você pode vender? Sei lá... você que tem que saber. Mas pode ser desde brigadeiros, até os seus serviços de consultoria especializada em x, y, z. O ideal é que aquilo que você for vender esteja em alinhamento com o seu propósito nesta vida. Se, por um lado, não é assim tão simples, por outro, não precisa ser uma coisa só, olha que libertador!  

Sempre invejei (sim, senti inveja, confesso) das pessoas que sabiam desde o berço a profissão que seguiriam: médico, dentista, advogado, professor. Eu até hoje tenho dificuldade com isso, com o que eu quero ser na vida.

Só que hoje, por conta desse profundo processo de reinvenção pelo qual eu estou passando, tenho um pouco mais de clareza. Quero ser uma solucionadora de problemas! Tenho pelo menos três ideias bem fortes de negócios que podem me deixar bem feliz, inclusive financeiramente. Não tenho mais medo de sociedade. Sociedade é casamento. E como todo casamento, pode dar problema. Pode, e daí? Tudo pode dar problema na vida. O segredo é não ficar pensando nos problemas e sim nas soluções.

Devo essas ideias ao meu envolvimento diário com a egrégora (na falta de palavra melhor) da prosperidade e da abundância, que começou no início deste ano, quando me convidaram a entrar em um grupo de meditação do Deepak Chopra.  

Meu negócio principal são os livros. Sei como possibilitar às pessoas a realização do sonho de ter um livro seu publicado. Só isso já tem um baita valor utilitário. De uma média de um livro por ano, passei a 8 livros, neste ano. E 8 é o infinito. Estou muito animada.

Além dos livros, tenho mais 3 ou 4 ideias de negócios e pretendo desenvolver todos eles desde já, para que em 2020 esteja tudo funcionando às mil maravilhas. Dá trabalho? Claro que dá! Ainda bem que dá. Não sou do tipo de pessoa que gosta de ficar em casa vendo TV. Então, tenho que buscar meus caminhos, arregaçar as mangas e fazer acontecer.

Energia e pensamento positivo não me faltam. Bora derreter paradigmas e estraçalhar as crenças limitantes.

Namastê!

sábado, novembro 09, 2019

Dia 18 – Eu sou 100% autorresponsável e tudo o que acontece em minha vida tem relação com a positividade (ou negatividade) que há em mim



Nosso inconsciente não registra o NÃO. Este conhecimento é utilíssimo, para que as nossas orações e vibrações comecem a dar certo, de uma vez por todas. Quer ver?

Se eu disser a você:

- NÃO pense em um elefante cor de rosa!

O que acontece? Sua mente imediatamente cria a imagem de um lindo elefante cor-de-rosa bem gordinho e simpático. Ou seja, se eu peço a Deus (ou às forças superiores do Universo, o que é a mesma coisa, mas podemos deixar este assunto para outro dia), para me proteger dos acidentes, dos assaltos, das doenças, dos perigos da cidade grande, das dívidas, dos desentendimentos, etc... etc... etc.... o que acontece?? Sim, exatamente isso que você está pensando... Essas energias acabam sendo atraídas para a minha psicosfera, ou aura, ou campo magnético.

Exatamente por isso que o exercício de vibrar no positivo, na abundância, na saúde, na riqueza, na harmonia, na paz e no amor é tão importante e precisa ser cotidiano, ou seja, HAD (hoje, amanhã e depois).

Assim, dê uma pausa agora e pense na sua vida. Em como ela está hoje, nas pessoas com quem você convive hoje, nas coisas que você faz hoje. Tudo o que existe na sua vida hoje é de sua inteira responsabilidade (e merecimento, como os espíritas gostam de dizer). Tanto para o bem, quanto para o mal. Nossa primeira tarefa é agradecer. De novo, tanto pelo bem, quanto pelo mal, pois o mal não está ali por acaso, qualquer que seja ele. Ele está ali para nos dar alguma lição, ainda que seja difícil de compreender, à primeira vista. Nossa segunda tarefa é começar a atrair para a nossa vida apenas aquilo que desejamos ardentemente, como um poderoso ímã. 

Sair da escassez e entrar na prosperidade é um caminho que você trilha passo a passo, dia a dia. Nossos caminhos são feitos das nossas escolhas. Escolha a palavra que você vai falar. Não saia por aí falando qualquer bobagem, sem pensar. Escolha a palavra que vai vibrar no seu coração no dia de hoje. A palavra sugerida para hoje é um palavrão! A AUTORRESPONSABILIDADE. Pegue as rédeas da sua vida nas mãos e assuma a sua responsabilidade. Chega de culpar o governo, o vizinho, a política, a religião, as forças ocultas. Sinta e respire o PODER que você tem de transmutar a sua realidade. 

Acredite, tenha fé, vibre na alegria de já ter conseguido realizar o seu sonho. Como dia a física quântica, está tudo aqui e agora ao seu dispor. Hoje é o seu presente divino, use com sabedoria, com responsabilidade, com discernimento. Conquiste tudo o que você nasceu para conquistar. Seja quem você nasceu para ser. Só depende de uma pessoa: VOCÊ! Que brilhe a sua LUZ!  

Namastê! 

sexta-feira, novembro 08, 2019

Dia 17 – Eu crio e alimento a minha autoimagem com cuidado, atenção e disciplina. Antes de conquistar no mundo material, eu já conquistei no filme da minha mente



Uma das minhas maiores metas é conseguir vender a minha casa. Tudo bem que a economia não vai bem etc e tal. Mas negócios de compra e venda são fechados diariamente e, portanto, minha casa tem a possibilidade de vir a ser vendida, o que resolveria quase todos os nossos problemas, instantaneamente.

Assim, imagino que ela já foi vendida, me vejo assinando o contrato e, se Deus quiser e os anjinhos disserem amém, esta será a minha realidade em muito breve. A casa ia ser alugada, mas hoje a imobiliária informou que o inquilino desistiu do negócio. Ao invés de me lamentar, resolvi ficar feliz, pois este fato nos aproxima mais do nosso objetivo maior. 

Minha autoimagem é a seguinte: moro em um estúdio lindo e estiloso em Pinheiros e o Lufe Gomes vem fazer um vídeo da minha casa nova! Tenho uma linda vista para o por do sol, e tenho apenas o necessário, como o Balu no filme Mogli. Escrevo todos os dias no horário que eu bem entender e todos os meus projetos vão se concretizando um a um. Pronto. Simples assim. 

Guardo este post com carinho para mostrar como a coisa toda funciona: primeiro no filme mental e depois no mundo material. Assim é. Assim está decretado. E o Universo me escuta e encontra as formas de tornar real este desejo autêntico e sincero da minha alma, segundo o meu merecimento. 

Elabore o seu desejo, você também. Sinta a emoção do seu desejo já realizado. Marque na folhinha, no calendário, no celular, este dia. E volte aqui "no passado" para agradecer, quando tudo tiver acontecido. Experimente. Tenha fé. 

As palavras-chave são: criar, alimentar, cuidado, atenção e disciplina. 

Namastê. 

quinta-feira, novembro 07, 2019

Dia 16 – Eu não sou responsável pela felicidade de ninguém; tampouco ninguém é responsável pela minha felicidade


Esta frase diz respeito à AUTORRESPONSABILIDADE. Este é um valor que precisamos cultivar em nossas vidas. Quando você toma para si a responsabilidade pela sua vida, você está se apropriando do PODER que tem de cocriar a sua realidade.

Imagine como seria o seu dia ideal, vivendo da forma como você sonha viver, com as pessoas com quem deseja conviver, fazendo todas as coisas que gostaria de fazer, sem se preocupar com quanto custa ou se você pode pagar por aquilo. O diário da vida ideal, em forma de pensamentos – e sinta! e agradeça como se já estivesse aqui e agora! 

Como você se sentiria se fosse tudo verdade? Seu inconsciente é incapaz de diferenciar a realidade do pensamento. A partir do momento em que você tem a real sensação de viver aquele dia, o Universo fará com que a sua vida realmente lhe proporcione aquela realidade sonhada. Essa é a poderosa técnica da visualização, que deve ser praticada todos os dias. Pode ser pela manhã ao acordar, ou à noite, antes de dormir. E isso tem que acontecer várias vezes, HAD (hoje, amanhã e depois). Fique firme no seu propósito. Porque não tem ninguém fazendo um plano mirabolante para mudar a sua vida. VOCÊ é o único responsável por cocriar essa sua vida perfeita. Mãos à obra!

Namastê!

quarta-feira, novembro 06, 2019

Dia 15 – Eu suporto as críticas, inclusive as das pessoas que mais amo, entendo que jamais serei aprovado por todos




Isso de suportar críticas é mesmo só para os fortes, aqueles com alta taxa de resiliência. Resiliência é uma capacidade física dos objetos de, ao sofrerem algum tipo de golpe, retornarem ao formato original. Alguns materiais têm mais resiliência, outros menos. É uma qualidade que devemos desenvolver em nós. Em geral, são as pessoas que mais nos amam que falam tudo aquilo que lhes vem à cabeça, achando que não vão nos ferir. Porém, nós somos feitos de carne e osso e emoções. 

Então, é natural que às vezes nos sintamos entristecidos com palavras e atos que nos machucam e nos ferem. Mas muitas vezes a pessoa faz aquilo sem consciência, sem intenção de nos ferir, apenas querendo o nosso bem. Cabe a cada um de nós desenvolver essa resiliência, tornando-nos mais fortes, sem tanto mimimi e autopiedade.

Quanto a ser aprovado por todos, nem o nosso mestre Jesus Cristo o foi, portanto, a vida é assim mesmo. Impossível agradar a gregos e troianos. O mais importante é a sinceridade com a nossa verdade, com a nossa essência. Uma vez que estejamos conectados a esta nossa essência, também o estaremos ao nosso criador e, desta forma, somos ainda mais fortes e mais resilientes. Este é o segredo.  

Namastê!

terça-feira, novembro 05, 2019

Dia 14 – Eu respeito as pessoas da minha convivência; entendo o tempo de cada um, e sei que cada ser tem o seu jeito e momento



Hoje eu farei uma cirurgia. Estou escrevendo este texto com antecedência, em respeito aos leitores que porventura estejam a acompanhar esse meu percurso rumo à prosperidade e à abundância.

Quando uma pessoa se submete a uma cirurgia, ela precisa confiar em desconhecidos, respeitar todos aqueles que estão ali à sua volta. Imagine... você se entrega nas mãos de pessoas que não sabem nada de você, da sua história de vida, dos seus sentimentos e emoções. Elas só sabem da sua ficha médica e do que está ali escrito. E ainda assim, você acredita que cada uma dessas pessoas fará o melhor para que dê tudo certo com a cirurgia, que você se recupere bem e volte à sua vida com saúde e boa disposição.

Portanto, nesses últimos dias, estou a conviver com completos desconhecidos. Cada um com seu tempo, seu jeito e seu momento. Não é porque a pessoa trabalha na área da saúde que também ela não tem lá seus medos e dúvidas. Estamos TODOS no mesmo barco. Então, hoje o que eu peço ao Universo e aos meus prováveis leitores é que vibrem positivamente por mim. Conhecidos e desconhecidos, estou a aceitar todas as vibrações que venham do coração.

Mas o difícil mesmo nem é tanto conviver com pessoas desconhecidas. Nesses casos, o respeito mútuo é até mais fácil. O duro é conviver dia a dia com as pessoas que a gente mais ama e que nos amam, e respeitar o tempo, o momento, o jeito de cada uma dessas pessoas. A palavra aqui é RESPEITO. Quando a gente aprende a respeitar, não só os mais velhos, mas também os mais novos, o vizinho, o porteiro, ou seja, todas as pessoas que cruzam o nosso caminho, nossa prosperidade fica mais livre para brilhar na nossa vida. Prosperidade é fluxo. 

Namastê! 

segunda-feira, novembro 04, 2019

Dia 13 – Eu tenho metas claras, escritas e definidas, basta pensar que, em menos de 15 segundos, elas se formam na minha tela mental, com clareza

Confesso que não tinha, não... até ver que tinha que escrever sobre isso. Como eu poderia mentir para os meus leitores?? Então fui lá e fiz a lição de casa. Tracei 6 lindíssimas metas que me trarão enorme alegria QUANDO forem atingidas. Tenho que decorá-las e repeti-las sempre para fixá-las em minha mente e no meu coração. Fiz vários cursos sobre empreendedorismo e sei que uma meta tem que ser SMART (inteligente em inglês), ou seja, uma boa meta tem que ter 5 atributos:

S (Específico), M (Mensurável), A (Atingível), R (Relevante) e T (Temporal).

Por exemplo: Quero vender minha casa pelo preço X até junho de 2020.
(esta é uma das minhas 6 metas).

Porém, confesso que elas ainda não se formam claramente em apenas 15 segundos. Conclusão: preciso trabalhar mais nessas minhas metas. E você? Já traçou as suas?

Aqui é quando me lembro da maravilhosa música “Aquele abraço” de outro dos meus ídolos, o adorável Gilberto Gil: “Meu caminho pelo mundo eu mesmo traço, a Bahia já me deu régua e compasso”. Trace você também o seu caminho pelo mundo, por intermédio das suas metas. Namastê!

Aquele Abraço, Gilberto Gil


domingo, novembro 03, 2019

Dia 12 – Eu vou em busca dos meus sonhos: sou o único responsável por eles



Se você deixa o seu sonho abandonadinho em algum lugar empoeirado e escuro, como deseja que ele se realize?

Eu sou um exemplo vivo de uma série de sonhos realizados, desde que me conheço por gente:
- ter um namorado (quando eu tinha os meus 14/15 anos)
- ter uma casa
- ter filhos
- ter carteira de motorista e carro
- ter, ter, ter....

Calma, tem o “ser” também: ser jornalista, ser mãe, ser profissional e dona de casa, ser namorada de alguém, depois esposa, ser motorista, ser escritora, ser dona de uma editora de livros, ser estrangeira em um país novo, ser facilitadora de workshop... etc.

Depois, à beira dos 60, meu aprendizado caminhou no sentido contrário: o desapego. Me desapeguei de quase todos os itens relacionados acima. Até dos livros, que tenho pouquíssimos hoje em dia. Eu radicalizei. O símbolo desse desapego é um vídeo que fiz no Facebook literalmente vendendo minha casa inteira, quando me mudei para Portugal. Foi a melhor coisa que fiz, foi libertador! Mas, pensando aqui comigo, talvez eu tenha dado um sinal contraditório ao Universo. Radicalizar nunca foi uma boa alternativa.

Então, agora, estou em busca do caminho do meio: meu sonho é ter conforto material para me dedicar de corpo e alma ao desenvolvimento espiritual não apenas meu, mas de quem estiver ao meu lado.

Abrir o leque, a cabeça, a alma, o coração. Depois de um tempo encarnada aqui na Terra, meu maior sonho não é mais apenas ser feliz, mas ajudar as outras pessoas também a se tornarem mais felizes. Este é o meu maior sonho, meu propósito nesta vida. E o seu? Você está cuidando dele direitinho?? 

Namastê!

sábado, novembro 02, 2019

Dia 11 – Eu multiplico a prosperidade, aprendendo e ensinando continuamente



Quando eu estudava no segundo grau (hoje se chama ensino médio, né?) e via o comportamento das meninas (sim, era um colégio de freiras, só de meninas) com as professoras, chegava a sentir pena delas e nunca senti o desejo de ser professora. 

Até que, por essas voltas que a vida dá, me vejo hoje na posição de professora “ensinando” no meu workshop “Escrever cura!”. Na verdade-verdadeira, sou eu quem mais aprende ali. Mas a troca é fundamental, para que tudo flua energeticamente de forma positiva entre “alunos” e “professores”. Mas deixei as aspas porque prefiro o termo “facilitadora” – alguém que te pega pela mão e te leva a iniciar um percurso.

Só que ensinar, a gente ensina o tempo todo, com o nosso exemplo, as nossas palavras... Eu, por exemplo, aqui no meu blog. Tem gente (meus amados filhos, por exemplo) que não acha bacana ter um blog e ficar contando as nossas ideias “pra todo mundo”. Não eu. É preferível vir aqui escrever, nem que seja para “meia dúzia de gatos pingados”, como se diz, do que escrever nas páginas de um caderno fechado no fundo de uma gaveta qualquer.

Também tenho meus cadernos fechados, muitos deles. Mas esse conhecimento sobre a prosperidade e a abundância devem ser agora repartidos, compartilhados com o maior número de pessoas, para que a gente possa, finalmente, manifestar essa abundância material na nossa vida, e, em seguida, evoluir espiritualmente. Porque uma vez resolvida a questão material, de uma vez por todas, a gente fica livre para crescer nas outras áreas da nossa vida. Como já falei aqui nesta série de textos sobre os mandamentos da prosperidade.

Quando ensino, sou eu quem mais aprende. Custei a entender isso. Mas é assim que funciona.
Tem dinheiro suficiente e abundante pra todo mundo. Não é preciso matar nem roubar para ficar rico, ou rica. Aliás, quem mata e rouba é tão pobre de espírito, que é digno de piedade.

Portanto, sigamos aprendendo e ensinando todos os dias, onde quer que estejamos. Que mais cedo ou mais tarde, a semente da riqueza brotará na nossa vida. Um bocadinho de fé também ajuda. 


Namastê!

sexta-feira, novembro 01, 2019

Dia 10 – Consistência é a minha marca: Hoje, Amanhã e Depois




Se você é daquelas pessoas assim:

— Ah, tá bom, vou visualizar a minha prosperidade aqui rapidinho.

Sinto muito... não vai funcionar. Para que a prosperidade BRILHE na sua vida, você precisa de CONSISTÊNCIA. Gostei dessa palavra: consistência. Na visualização, por exemplo, você tem que ser consistente. Uma vezinha só de visualização não vai resolver nada, nem mudar absolutamente nada na sua vida. Nem pensar. Por isso, é bom criar uma ROTINA. 

Como ouvi de uma mocinha muito sábia, a Fernanda Miranda, a rotina organizada pode ajudar a aplacar um dos males do século: a ansiedade. Foi uma querida amiga que me “apresentou” virtualmente a Fernanda e enviou este link ontem (olha a sincronicidade...). Veja o que ela diz sobre a rotina, neste vídeo aqui.

Portanto, a rotina tem o seu lado bom. Rotina tem a ver com consistência, com perseverança, com resiliência, que são características que devemos cultivar em nós, pois elas nos ajudam a obter os nossos objetivos, HOJE, AMANHÃ e DEPOIS. É tão simples essa ideia e tão poderosa, que o texto de hoje é curtinho, mesmo. Namastê!

(A partir de agora, vou usar esta expressão todos os dias, ao me despedir de você. Caso você ainda não saiba, segue a explicação do seu significado, pela minha nova amiga Sandra: “Quando dizemos namastê, estamos reconhecendo e aceitando o divino que todo ser humano tem. Deus que está em mim, saúda o Deus que está em ti. Parar de procurar defeitos e valorizar as qualidades no próximo é fundamental para nosso crescimento. Todos têm algo a nos ensinar. Nem que seja o que não se deve fazer rsrss. Faço questão de reconhecer e agradecer aqueles que contribuíram de alguma forma na minha caminhada”).

quinta-feira, outubro 31, 2019

Dia 9 – Eu estudo prosperidade, como se toda a humanidade dependesse do meu conhecimento para continuar existindo


OK, pode parecer um pouco exagerada essa afirmação. Mas às vezes é preciso um pouco de exagero, para que você se conscientize de que é preciso ter dedicação ao assunto, para que a lei de atração funcione de verdade. Tem muita coisa para aprender sobre prosperidade. Tem muito conteúdo gratuito na Internet acessível a quem estiver conectado ao propósito de atrair mais dinheiro para a sua vida.

Confesso aqui que eu mesma tinha vergonha de falar isso... Imagine? Atrair dinheiro? Ah, eu não, eu quero me elevar espiritualmente e se Jesus falou que “é mais fácil um camelo passar por uma agulha do que um rico entrar no Reino dos Céus”, como eu vou sair por aí dizendo que quero atrair dinheiro?? É por isso que a gente precisa estudar. Para interpretar corretamente frases como essa.

Ontem, falei aqui de mentores. Considero que o maior de todos os meus mentores é Jesus Cristo. No Evangelho, nas parábolas, está todo um código de conduta moral e espiritual valiosíssimo. O que precisamos nos lembrar, no entanto, é que ele próprio não fundou religião alguma. E a gente precisa aprender a extrair a essência dos seus ensinamentos. Como posso fazer caridade se tenho um monte de dívidas? A caridade pressupõe a prosperidade. Jesus estava falando do rico que acumula tudo para si e que se “esquece” de ser caridoso. É muito simples.

Fazer caridade tem que ser uma parte da sua futura riqueza. Daí, as contas com o Universo ficam equilibradas. Mesmo porque dinheiro é fluxo, é água, é energia. E água parada não é saudável. Ele precisa circular, sem medo, sem crenças limitantes que bloqueiam esse fluxo. E quer saber?? A humanidade precisa de verdade desse fluxo de energia. A humanidade depende de dinheiro. Estamos aqui neste mundo tridimensional, material e outra coisa bacana que Jesus falou foi: “Vós dois deuses e não o sabeis”. Então, bora estudar. Bora descobrir como manifestar esse “Deus” que brilha dentro de nós, essa centelha divina todo-poderosa capaz de nos dar este sentimento e esta emoção” eu sou rico”, “eu sou rica”! Sentir é o grande segredo. Sentir como se já fosse real aqui e agora.

Como bem disse outro dos meus mentores, o Gilberto Gil: “o melhor lugar do mundo é aqui e agora”. Quando a gente sente essa afirmação como verdadeira, tudo fica mais leve, mais claro, mais luminoso. Namastê! 

quarta-feira, outubro 30, 2019

Dia 8 – Eu escolho estar na Aura dos Mestres; e ter mentores que facilitam o meu caminho


Você pensa que mentores são criaturas superiores, almas super evoluídas, sem problemas etc e tal?? Pois repense. Se você acredita em uma Inteligência Superior, qualquer que seja o seu nome, pensa bem: essa Inteligência Superior vai encontrar inúmeras formas de se comunicar com a gente, a galera aqui do andar térreo. Pode ser em uma conversa sem compromisso com um vizinho, ou com algum desconhecido na rua, ou com uma amiga, amigo... alguém que de repente fala uma coisa que faz aquele efeito de “plim” em você.

Eu sei dizer que hoje em dia tenho vários mentores e mentoras na minha vida. É gente que passou pela minha vida e causou uma mudança importante em mim, ainda que pequena, para melhor.
Houve um tempo em que eu não era fã de ninguém. Meu senso crítico hiperdesenvolvido não me deixava admirar as pessoas. Ficava analisando, procurando (e achando) defeitos em tudo e em todos. De uns tempos pra cá, ainda bem que isso mudou. Então, tenho até algumas fotos não com as celebridades mais badaladas, mas com pessoas que me inspiram e que admiro.

Aprendo demais com os meus filhos. Considero os dois meus mentores nesta Vida. Tenho uma Mestra que mora na Alemanha e que foi importantíssima pra mim, uma inspiração luminosa. Tenho outra mentora que mora bem mais pertinho, na Vila Madalena. Vi a Espiral de Mudanças do Lufe Gomes e me apaixonei perdidamente por ele e pelas coisas que ele fala. Pelo entusiasmo com que ele se coloca na vida. Fui conhecê-lo pessoalmente no sábado passado e o abracei bem forte. Assim como fui conhecer pessoalmente o Bruno Gimenes em um evento no sábado anterior. Também fiz questão de me encontrar com a Mirian Goldenberg e com a médica especializada em cuidados paliativos Ana Claudia Quintana. É gente de sucesso, gente com propósito, gente que faz aquilo em que acredita. Gente que brilha. Olha só quanta gente. E tem muita gente mais. Tenho procurado estar próxima dessas pessoas, nem que seja virtualmente. Para mim, toda essa gente me inspira muito. São pessoas que já trilharam esse caminho do sucesso e eu também quero seguir pelo MEU caminho do sucesso. Acho que cada um de nós tem que trilhar o seu percurso individual, mas nada como nos inspirar em histórias que aquecem o nosso coração, né?? 

Caso você não conheça nenhuma dessas pessoas, recomendo que se informe. Mas o mais importante é você fazer as suas próprias escolhas. Minha amiga Ingrid, por exemplo, admira o Nilton Bonder, que fez uma palestra nestasemana na Unibes Cultural, aqui em São Paulo.


E você? Quem são os seus mentores?? Deixe aqui nos comentários. 

terça-feira, outubro 29, 2019

Dia 7 – Eu escolho conviver com grupos que me elevam e me desafiam a ser melhor




Um desses grupos é o meu grupo de estudos da Filosofia Espírita, amorosamente conduzido pela professora Rosa. Outro grupo funciona no WhatsApp, por iniciativa de uma querida amiga que mora na Flórida e foi batizado de Pro$peridade. Este grupo tem gente de muitos lugares diferentes, geograficamente falando (mas todos na mesma sintonia) e me estimula demais a pesquisar, a escrever, a estudar...

Nas aulas de filosofia espírita, eu aprendo tanto... Por mais que eu tenha estudado quase tudo o que se refere ao espiritismo, e por mais que eu tenha trabalhado quase dez anos em um trabalho conhecido popularmente como “desobsessão”, agora, aos 61, me dou ao luxo de estudar o espiritismo de um outro ponto de vista, mais leve, mas mais profundo. Por exemplo, na última aula, o tema foi desmistificar a genética. Não consigo explicar em poucas palavras.

Então é isso... quando a gente fala de abundância e prosperidade, a espiritualidade também tem um papel preponderante. Anteontem uma amiga me disse (aquela do encontro no parque) que o Plano Espiritual (ou os dirigentes do planeta) quer que o maior número possível de pessoas esteja vibrando na prosperidade e na abundância, para que possam também se dedicar ao crescimento espiritual sem preocupações com os boletos não pagos. Nosso querido planeta Terra está passando por um momento de profunda transformação, do ponto de vista do espiritismo. Estamos deixando de ser um mundo de expiação e provas, e passando para um mundo de regeneração. Esse processo está mais acelerado do que nunca. Tem gente que diz que estamos saindo do mundo da terceira dimensão – o processo também é conhecido como o “despertar da consciência”. Precisamos descobrir e “destravar” nosso poder pessoal. Lembra que Jesus falou: “vós sois deuses e não o sabeis”? Pois então.

Portanto, tá tudo ligado, somos todos UM. Por isso, precisamos crescer e evoluir todos juntos, unidos, como verdadeiros irmãos, independentemente da crença, da religião, do país, da localização geográfica.

Por isso, é importantíssimo nos cercarmos de pessoas que estão na mesma vibe, na mesma sintonia. E você? Convive com grupos que te elevam e te desafiam a ser melhor? 

PS. Hoje este meu querido diário virtual, meu blog Consulta Sentmental, faz aniversário. São 16 anos de presença na blogsfera. Um recorde! Bacana, né? Escrevo sem me preocupar com audiência, mas é um exercício que simplesmente não consigo abandonar. Antes, eu usava cadernos e escrevia no papel. Permitir que mais pessoas leiam o que eu escrevo é o desafio, aqui no blog. A novidade, relacionada ao ato de escrever, que me acompanha desde que aprendi a escrever sozinha com menos de 6 anos, brincando com letrinhas de plástico, é que o meu workshop de escrita curativa ganhou vida própria e o nome ESCREVER CURA. A ideia é a expansão. Por favor, deixe a sua opinião sobre esse novo movimento na minha vida na caixinha de comentários. Gratidão!!!  

segunda-feira, outubro 28, 2019

Dia 6 - Eu busco constantemente múltiplas formas de renda e abundância



O dinheiro não é amigo dos acomodados, dos preguiçosos, daquelas pessoas adeptas do "sextou". Quem deseja a prosperidade, de verdade, precisa se conscientizar de que não é com o salário mensal que muda bem devagar que conseguirá dar esse salto em direção à abundância.

Todos os gurus (que não gostam de ser chamados assim, inclusive... você já viu aquele filme "Eu Não Sou Seu Guru", do Tim Robbins? Tem no Netflix.) da prosperidade afirmam que é preciso dedicação e envolvimento para enriquecer. Veja bem, isso não significa sofrer. Ao contrário, O trabalho (embora a origem da palavra derive de um objeto de tortura chamado tripalium) deve ser um prazer e uma felicidade. Quase sem que "pareça" ser um trabalho.

Meu caso, por exemplo: desde que comecei com a minha editora de livros, em 2010, com o lançamento do livro "55, uma brasileira em Londres", da minha amiga Yami Trequesser, sempre cuidei das duas coisas em paralelo: a editora e o meu emprego "tradicional". Geralmente eu trabalhava no horário em que todo mundo já tinha ido dormir. Mas o trabalho com os livros sempre me deu tanto prazer que nunca considerei um "trabalho" no sentido torturante do termo.

Há quem possa pensar que você acaba não fazendo nada bem, se não focar em apenas uma coisa. Mas eu vou te contar o segredo: o segredo é focar em uma coisa DE CADA VEZ e fazer tudo com CAPRICHO. O capricho resolve o problema dos perfeccionistas. Os perfeccionistas sofrem e acabam não completando suas tarefas.

Hoje é um dia muito importante para mim, pois terei a primeira reunião com uma querida amiga para iniciarmos um novo negócio. Depois eu conto!

Ontem também foi um dia importantíssimo, porque me reuni com outra querida amiga em um parque (sim, nossa sala de reuniões era embaixo das árvores) para tratarmos de negócios, tudo misturado com a nossa amizade de quase 20 anos. Conto mais pra frente, também.

Portanto, eu, aos 61 anos de idade, sou o exemplo vivo de uma pessoa que pratica o mandamento de hoje, buscar constantemente múltiplas formas de renda e abundância, e tenho FÉ que essa atitude me levará a conseguir alcançar os meus objetivos.

PS.: Escolhi uma cornucópia para ilustrar este texto de hoje. Sabe o significado da cornucópia? É um vaso em formato de chifre, de onde frutas e flores extravasam em profusão, antigo símbolo de fertilidade, riqueza e abundância. 

domingo, outubro 27, 2019

Dia 5 – Eu amo o dinheiro e o dinheiro me ama; somos bons amigos e estamos de bem um com o outro



Sim! Eu amo o dinheiro, digo sim ao dinheiro, porque ele me proporciona a realização dos meus sonhos e desejos. O dinheiro me ama porque ele sabe que eu o trato bem, com respeito e equilíbrio. Ele não manda em mim, não me faz sofrer com a escassez e a pobreza. Não! Ele é meu amigo e quer que eu me sinta feliz, realizada, segura.

Posso sim ter amizade com o dinheiro, por que não? Aprecio o que o dinheiro pode trazer de bênçãos à minha vida. Ao invés de contas a pagar, tenho bênçãos a pagar: é uma bênção ter internet, água, luz, as comodidades de um condomínio, todas as coisas que compro com o meu cartão de crédito. Bênçãos, bênçãos e mais bênçãos que o meu amigo dinheiro proporciona na minha vida. Ser amigo é querer ter aquela energia sempre por perto. Um amigo é alguém que deseja o seu bem-estar, sua felicidade (sim) e sua alegria de viver.

Vivemos aqui mergulhados neste mundo material, onde as coisas possuem um valor de troca. Então, podemos estar de bem com o dinheiro, aceitar que ele flua livremente na nossa vida, sem medo algum, como a água que sempre jorra quando você abre a torneira. Sabe aquele amigo que você fica um tempinho sem ver e quando se encontram tem tanto assunto? Parece que existe uma afinidade inexplicável entre vocês?? Pode ser assim com o dinheiro. E ele gosta de ficar com você, então ele vai fazer de tudo que puder para voltar a te visitar.

Uma dica que aprendi: deixe várias notas de cem espalhadas pela casa (eu deixo sempre pelo menos uma nota de cem presa com ímã na porta da geladeira). Ver o dinheiro sempre ali conforta minha alma. Dá aquela sensação gostosa de abundância. Tenha sempre dinheiro na carteira. Cultive o hábito de tirar dinheiro no caixa eletrônico (em horários e locais seguros) e seja feliz.




sábado, outubro 26, 2019

Dia 4 – Eu sempre tenho tempo, haja o que houver, para me dedicar à minha prosperidade



O Tempo é um Deus que domina as nossas vidas tridimensionais. Estamos todos submetidos às mesmas 24 horas diárias, sem exceção. O tempo é implacável. Dividido em séculos, milênios, decênios, anos, meses, semanas, dias, minutos, segundos... o relógio não para nunca. Ele avança e vai nos engolindo. Precisamos planejar, cumprir horários, prazos, precisamos nos deslocar de um lugar a outro, e tudo, absolutamente tudo, é uma questão de tempo. A gente vive correndo atrás do relógio.... 

Agora mesmo, tenho alguns minutos apenas para escrever este texto. As ideias vão se encadeando, as palavras vão preenchendo o espaço em branco e o tempo vai escoando, escoando.

Atualmente, muitas pessoas estão deixando de ver TV aberta. Isso já é ótimo. Mas tem muita gente consumindo séries, ou perdendo tempo nas redes sociais. Acho que um dos maiores ladrões de tempo hoje em dia é o WhatsApp, que apita o tempo todo e tira a nossa atenção do que estivermos a fazer no momento.

Mas a gente precisa viver com essas coisas e precisamos aprender a lidar com tantos estímulos. Só o que não podemos nos esquecer é que o poder de escolha do que fazer com o nosso tempo é somente nosso.

Se você não priorizar um determinado tempo no seu dia para se dedicar à sua prosperidade, ninguém fará isso por você.

O que você tem feito em prol da sua prosperidade dia após dia? Esta frase se relaciona à de ontem, dos rituais e rotinas. A única coisa que você não pode mesmo fazer é negligenciar a sua prosperidade, procrastinar. Cuidado. O tempo não volta e a vida não tem borracha.

sexta-feira, outubro 25, 2019

Dia 3 - Eu escolho rotinas e rituais para nutrir minha prosperidade

A ideia de prosperar também precisa ser nutrida. E os rituais servem muito bem para esta finalidade. Eu, por exemplo, dou um jeito de todos os dias ver pelo menos um vídeo do Bruno Gimenes. Ontem, por exemplo, ele falou porque e explicou como a lei da atração pode falhar. A culpa não é da lei da atração e sim nossa. Deus não escreve certo por linhas tortas, disse ele. Deus escreve certo por linhas certas. Nossa percepção é que pode às vezes ser torta.

Então, não basta pensar. Tem que sentir. E para a gente sentir que a nossa vida já é do jeito que a gente sonha, nada melhor do que tornar o nosso sonho uma rotina. Vamos fechar os olhos e enxergar a nossa vida como se já fosse do jeito que a gente sonha. Peça, acredite e receba... peça, acredite e receba... peça, acredite e receba. E eu adicionaria: e agradeça. O agradecimento tem que ser um ritual diário. Escolha um momento do seu dia para agradecer. Pode ser à noite, de manhã, ou quando você quiser. Crie a sua regra. Agradeça tudo de bom e agradeça tudo de mal. Porque o “mal” é inevitável. 

Ele está nas nossas vidas para nos ensinar uma lição. Deus não colocaria o mal nas nossas vidas para nos castigar. Nenhum pai que ama o seu filho (ou filha) faria isso de propósito. O propósito é outro: nos conduzir ao caminho reto e certo do bem, da fartura, da prosperidade, da alegria, da felicidade, do júbilo. Nós fomos criados para brilhar, para prosperar em todos os setores da nossa vida. E você? Qual é a sua rotina ou ritual para nutrir a sua prosperidade? 

quinta-feira, outubro 24, 2019

Dia 2 - 27 mandamentos


A frase de hoje é:

EU ALIMENTO CRENÇAS DE ABUNDÂNCIA.

Você já observou a natureza? A natureza é a nossa maior lição de abundância. Os grãos de areia na praia, a quantidade de água no mar, ou em um rio. O número de folhas e de frutos em uma árvore. A quantidade de animais, de insetos, de bactérias. Tudo é muito. Um fruto contem sementes para várias árvores. Olha que exemplo para que passemos a acreditar na abundância!

A abundância pode estar presente também nas nossas vidas, no nosso cotidiano.

Uma palavra-chave nessa frase é a CRENÇA. Crença diz respeito a ACREDITAR. Tudo aquilo em que acreditamos firmemente se manifesta na nossa vida. Basta permitirmos.

Hoje, eu acredito que a abundância pode se manifestar na minha vida. Ela pode chegar até mim de maneiras que eu nem sonho. Não se trata de ficar remoendo o COMO isso pode acontecer. Mas se trata de alimentar nosso pensamento com ideias de abundância. O que é abundância para você? Já pensou no nosso organismo? Quantas vezes a gente respira por dia para manter o fluxo da vida em movimento? Quantas vezes o nosso coração bate? Vamos deixar estas ideias se enraizarem em nós. Vamos deixar que essas ideias nos tragam um SENTIMENTO de abundância. Vamos nos sentir felizes e agradecidos por essa abundância na nossa vida.

Este é o nosso desafio para hoje.

quarta-feira, outubro 23, 2019

27 mandamentos da prosperidade


Participei de um evento no sábado com o Bruno Gimenes e decidi trabalhar em cima de um documento que foi distribuído lá a todos os participantes. Preciso, de uma vez por todas, na minha vida, desmontar as minhas crenças limitantes e construir conteúdos que permitam que o DINHEIRO se aproxime de mim, seja meu amigo e fique aqui pertinho de mim, Caso esse também seja um problema para você, vem comigo. Vamos nessa.

Hoje é o dia 1 da minha jornada rumo à prosperidade e à abundância. Para que tudo isso faça sentido para mim, vou usar a "arma" com a qual eu tenho mais familiaridade: a palavra.

O mandamento número 1 é: EU TENHO O PODER DE MUDAR QUALQUER REALIDADE AO MEU REDOR.

Agora, com vocês, as minhas reflexões a respeito:

Como eu faço isso? Eu faço isso mudando aquela situação / realidade de dentro para fora, como aprendi com a minha amiga Juliane Marinho, uma das minhas mestras nesta vida. Posso mudar a INTERPRETAÇÃO daquela situação ou realidade. A realidade sou que que co-crio. Sou eu que escolho a minha re-ação. Pode ser a não-ação (pacifismo). Pode ser o perdão, mesmo que a pessoa não me peça perdão. Pode ainda ser o AMOR - esta é a solução maior para todos os males do mundo, do planeta e, quiçá, do Universo.
O amor é o antídoto maior. A cúpula de luz rosa que você projeta sobre quem quer que seja (o seu "próximo") é um poder que você tem (e eu tenho também).
Hoje, eu enxergo o dinheiro como meu querido amigo, como uma COISA que eu quero ter mais na minha vida, E ele vem, em profusão. O dinheiro é bom pra mim, porque ele me permite realizar meus sonhos e desejos. E assim, eu vou moldando minha nova realidade. Vou plasmando a energia do abençoado dinheiro na minha vida.


quinta-feira, setembro 05, 2019

Nunca se curve a ninguém

Quando trabalhava na Abril tive a oportunidade de fazer RPG para tentar corrigir uma curvatura na coluna, tipo uma corcunda. Sem sucesso. Sempre tive complexo dessa corcunda. Tentava esconder, mas depois desisti e resolvi usar todo tipo de blusa e paciência.

Mas pensando naqueles casos em que pessoas que os médicos diziam que nunca mais poderiam andar e que recuperam esse "poder" (tem um caso desses naquele filme O Segredo) ou pessoas que se curam de tudo quanto é mal, decidi que quero "consertar" a minha coluna.

Para isso, comecei a fazer os 5 ritos tibetanos no dia 10/6, quase todos os dias. No começo, tive muita dificuldade para fazer os 5 exercícios 21 vezes cada um. Mas, com a prática e a disciplina, consigo hoje fazer o ciclo completo.

Notei muitas modificações positivas em mim depois disso. Descobri que tem muita gente que faz isso também. Não é nenhuma novidade. Aprendi com a minha professora de ioga do clube que eu frequentava. Sem querer, ela dividiu comigo um tesouro.

Costumo comentar com muitas pessoas que estou fazendo esses 5 ritos. Algumas se interessam, mas a maioria, não. Tudo bem, é uma escolha individual.

Não sei se é impressão minha, mas acredito que a minha detestável corcunda está sumindo. Se bem que não é apenas por causa dos 5 ritos que isso vem acontecendo e sim porque deixei de me curvar aos desejos e vontades de outras pessoas. Resolvi começar a me respeitar. A prestar mais atenção aos meus desejos e vontades, não no sentido do ego, mas das minhas mas profundas motivações e propósitos nesta vida.

Então, esse sentimento / pensamento é tão poderoso que sinto até meu corpo começou a se transformar. Rejuvenescer, mesmo. E isso é muito bacana.

Os 5 ritos tibetanos são conhecidos como a Fonte da Juventude. Tem um e-book em pdf que pode ser baixado aqui, caso você tenha interesse no assunto.


E tem também um vídeo excelente que demonstra os exercícios.

Espero ter ajudado.

quinta-feira, agosto 22, 2019

Escrever é minha terapia


Acabei de saber que meu ex-marido, que viveu uma vida comigo, 44 anos, para ser bem precisa, DEU todas as minhas coisas que tinham ficado no apartamento onde ele mora sozinho hoje.
Eu estou aqui tentando processar isso.
Primeiro tive esse feeling. Sexto sentido, seja lá o que for.
Senti um aperto no peito e soube imediatamente o que ele tinha feito.
Mas precisava confirmar.
A confirmação chegou há poucas horas, pela generosidade de uma amiga que aceitou a difícil tarefa de ligar pra ele, a meu pedido, já que ele não atende mais minhas ligações. Quando ouvi a mensagem de voz dela, confirmando que ele tinha dado tudo o que era meu e que ameaça dar até a minha cama, meu coração disparou. Eu não podia acreditar.
Fiquei extremamente raivosa e revoltada.
Por um momento, ele conseguiu despertar em mim o meu pior lado, meu lado-sombra.
Depois, chorei.
Depois, fiz planos e mais planos de ações estratégicas que eu poderia tomar.
Mas me recuso a entrar nessa guerra.
Depois, mandei alguns e-mails desesperados.
Depois, fui me acalmando.
Meus filhos me ajudaram muito nesse processo de alquimia.
Sim, alquimia: a alquimia de transformar coisas extremamente negativas em positivas.
Um impulso muito forte vai me levar, de agora em diante, em direção à realização dos meus sonhos mais escondidos.
Eu, conversando comigo mesma:
- Você não dizia sempre que não ligava para as coisas materiais? Então, agora é a hora de provar se é isso mesmo.
Daí outra parte de mim lembra dos objetos muito afetivos que eu ainda conservava comigo, depois de ter me desapegado de quase tudo como consequência da aventura de morar em Portugal.
- Mas e tal coisa, tal coisa e outra tal coisa?
- Deixa ir. Depois que a gente morre não fica tudo aí mesmo? São apenas coisas.
Além disso, os "anjos" colocados na minha vida me deram palavras de consolo e encorajamento:
- Tudo passa.
- Esse tipo de atitude apenas reforça que você estava certa em querer dar outro rumo na sua vida.
Logicamente que os sentimentos são conflitantes.
Mas a certeza de que vou superar tudo isso é muito grande.
A certeza de que posso, não apenas escolher, mas criar uma espiral de atração de coisas boas na minha vida é total e absoluta.
Eu sei. Simplesmente sei que o meu lado é o lado do positivo.
Nunca vou me deixar arrastar para o negativo.
Por piores que sejam as circunstâncias.
Se levo uma porrada dessas, eu me fortaleço ainda mais, passo a ter certeza absoluta de que já sofri o bastante.
Eu passo a ousar ter os sonhos mais altos, e alcançar as conquistas mais promissoras para mim.
Eu tinha certeza de que chegaria esse dia em que a Verdade prevaleceria. E chegou.
Agora é o momento de eu me agarrar no lado positivo da vida, do mundo e das pessoas ao meu redor.
Agora é o momento de erguer a cabeça e de olhar para o que é fundamental.
De deixar toda a lama pra trás.
Um novo dia começa hoje. Sigo mais leve, mais livre e mais solta do que nunca.
Que Deus tenha piedade da alma dele.
Ainda por cima, eu consigo agradecer.
Tenho profunda gratidão por tudo.
Estou no primeiro dia do início de uma nova era, em que só a Verdade, o Bom, o Belo e o Fundamental me interessam.
Tudo o que eu mais desejo é Paz.

sexta-feira, julho 19, 2019

E quando tudo acaba?



Pois é, um belo dia pode tudo acabar. Pode tudo ruir. O castelo de cartas pode desmoronar. A VERDADE pode vir à tona, nua e crua. E aí? Como sobreviver? Como continuar a respirar, a acordar de manhã, a ir fazer as suas coisas, carregando um coração dilacerado dentro do seu peito??

Como esquecer a dor, como perdoar, como não fazer coisas horríveis, do tipo entrar com a foto da amante vadia no FaceApp e colocar um fundo de puteiro fake, só de "brincadeira"? Fazer coisas horríveis não vai aplacar a sua dor. Então vamos lá.

Aqui tem 7 coisas que você pode fazer para sentir-se um pouquinho melhor:

1) Mergulhar no trabalho – Trabalhe, encontre algum trabalho pra você. Nem que seja lavar a louça, varrer o quintal, ou fazer o que você tem que fazer. Dedique-se a esse trabalho como se fosse a última coisa que você faz na sua vida. Capriche, sinta-se bem com você mesma por constatar que você é foda. Você pode fazer uma coisa bem feita. Você é demais.

2) NÃO fazer um novo corte de cabelo – Espere passar mais um tempinho, pois corre o risco de você não gostar e não tem como colar o cabelo de novo. Ao invés de um novo corte, compre uma nova roupa, e mude o penteado. Mas não corte o cabelo. Prenda em um rabo de cavalo, faça um coque, sei lá. Faça alguma coisa para que, quando você se olhar no espelho, você se ame.

3) Fazer ioga – O poder da ioga de mudar o seu estado de espírito é miraculoso. Tem aulas grátis em alguns lugares, se informe, corra atrás. Se possível, pratique todos os dias. Procure na Internet os 5 Ritos Tibetanos e faça em casa. Mexa-se. Sair para caminhar pode servir, em último caso.

4) Encontrar aconchego nos seus amigos do passado – Dê risadas. Muitas, até doer a barriga, sabe? Lembra como é? Marque um café, um vinho, um almoço, uma sopa. Saia de casa e veja seus amigos. Não precisa ser gente nova, que dá muito trabalho. Seja você mesma, mas evite falar de você. Ao invés disso, pergunte sobre a vida dos outros. Isso fará com que você seja mais simpática e esqueça o seu draminha particular. Não se faça de vítima, pelamor.

5) Dormir bem – Se for inverno, durma com um pijama bem fofinho. No verão, ponha uma roupitcha bem sensual. Sinta-se gostosa. Em qualquer estação, durma com um travesseiro extra para se sentir bem confortável. Agora tem uns travesseiros compridos que você pode abraçar e se sentir bem aconchegada.

6) Usar roupas abraçáveis – Vi essa dica uma vez naquele programa Queer eye for the straight guy, lembra? Roupas macias, confortáveis, que as pessoas queiram abraçar, porque você está precisando de carinho. Aceite os abraços e os beijos, ou até mesmo, peça. As pessoas gostam de poder ajudar. E às vezes não sabem como. Um abraço cura muitas dores da alma.

7) Saber que vai passar – Na vida tudo passa. Até tem um vídeo que eu amo com esse conteúdo. Se você tem alguma fé, reze para o seu Anjo da Guarda ou faça como eu (e como o meu ídolo, dr. Peter Liu) e dirija-se diretamente a Jesus, também conhecido como Sananda. Se você não tem fé, ouça uns mantras, que já tá de bom tamanho.

Essas dicas servem para quando a gente leva um pé na bunda no relacionamento ou no trabalho, ou quando a gente tá bem de baixo astral. Espero ter ajudado.

sábado, junho 08, 2019

Pensar = escrever


Pra mim, é assim que funciona e sempre foi assim.
Hoje fui, como quem não quer nada, participar no BDG Constelação Familiar e Encontros Terapêuticos da roda de conversa conduzida pela Iana Ferreira sobre um conto do livro Mulheres que Correm com os Lobos. Muito falado e aclamado. Ainda não li, pra falar a verdade.
Só fui nessa atividade depois de decidir cancelar meu workshop de escrita curativa, que era para estar acontecendo agora, neste exato momento.
Mas a vida vem em ondas, vem e vai. E este momento, pertinho do meu aniversário, não era pra eu curar ninguém e sim a mim mesma.
O conto, independente de gostar dele ou não, traz uma série de reflexões muito pertinentes a todas as mulheres (e ouso dizer, homens também).
Não sou adepta nem mesmo desta divisão entre os sexos, sei que isso parece uma opinião meio polêmica, mas eu acho que a evolução dos seres humanos devia caminhar para uma indistinção entre esses papéis sexuais que aprisionam tanto homens, quanto mulheres em estereótipos limitantes.
Enfim, a discussão principal, minha comigo mesma, não é essa, não vamos nos desviar.
A discussão principal é a necessidade de se integrar dentro de si várias - digamos - personalidades ou talvez emoções que precisam estar em equilíbrio dentro da gente. Porque tudo faz parte do SELF (o inconsciente, muito maior do que o EGO).
Um homem raivoso por ter sofrido os horrores da guerra, uma mulher que ama, uma curandeira que tem todas as respostas, uma montanha, pássaros negros, um urso poderoso: todos esses personagens convivem dentro da gente, nem sempre em harmonia.
De repente, um clic, uma luz: se eu não tivesse desistido do meu workshop, não teria desfrutado desses insights, desses momentos tão iluminados da manhã de hoje, na companhia de mulheres tão fantásticas e poderosas.
Em um determinado momento, sorteamos cartas de um jogo que a Iana nos propôs: a primeira carta era a nossa emoção do momento e a segunda, o nosso desafio.
Minha emoção: animada, sim, estou animada mesmo. Anima = alma. Sou uma pessoa que vive com alma, tanto pro bem, quanto pro mal. Não sou café com leite, não sou neutra. Sou intensa, sou inteira, sou corajosa, e, somente agora, depois de completar 61 voltas no Planeta, enfrento mesmo os meus medos e as minhas raivas. Espirro fazendo barulho, Berro quando eu tenho que berrar. Não sou contida, Não sou morna. Não sou transparente. Embora às vezes seja. Saio à francesa. Sou tímida, sou quietinha, falo baixo, falo manso. Engano as pessoas que pensam que eu sou calminha. Sou geminiana. Tenho duas caras. Dois pesos, duas medidas. Sou tudo isso, sou contradição.
Meu desafio: comunicação. Sim, fiz o curso de comunicação social, sou jornalista, fui assessora de imprensa. Me imagino com um megafone na mão gritando as coisas para o mundo ouvir. Mas gosto de ficar sozinha, gosto de ficar quietinha aqui no meu quarto, a escrever, a refletir, a pensar. Mas preciso dizer ao Mundo as coisas que faço, com todo o amor, todo o coração. Toda a alma, todo o propósito. Preciso praticar mais o que vim fazer aqui neste mundo. Preciso mostrar que escrever tem poder terapêutico e curativo, que é uma ferramenta que está ao alcance de todos. Preciso me comunicar. Preciso perseverar, preciso enfrentar todos os obstáculos deste longo caminho que é um constante subir (e descer) de montanhas, que é um abrir picadas na mata, e ao mesmo tempo ir agradecendo cada um desses obstáculos, que são degraus para a minha evolução.
Fico tão feliz com as minhas descobertas tão singelas que tenho vontade de chorar de alegria.
Vejo que estamos todos caminhando neste mesmo caminho e que os espinhos às vezes ferem a nossa alma, e nos cutucam, sem dó nem piedade.
Mas estamos aqui, todos nesta mesma nave. Um ajudando o outro, um estendendo a mão para aquele que tropeça. Quem nunca tropeçou? Quem nunca quis dar meia volta e retroceder? Quem nunca.... Mas quando esta pessoa insiste e vai, ela inspira muitas outras pessoas à sua volta a seguirem também.
Não tem jeito. Até o dia da nossa morte, aqui estamos, aqui aprendemos, aqui crescemos, aqui choramos e rimos. Vamos então escolher a luz, que torna a caminhada menos penosa. Vamos nos dar as mãos e prosseguir, vamos ser resilientes e ousados/as. Vamos ousar escolher a alegria e colecioná-la em potes coloridos.
Vamos perdoar, esquecer, cantar e dançar. Vamos respirar, olhar pra dentro e sentir o nosso coração bater com força e ritmo dentro do nosso peito. E vamos agradecer, agradecer e agradecer. A energia da gratidão preenche a minha alma. Amém.

quarta-feira, junho 05, 2019

Fazer aniversário sempre dá sorte



Amanhã é meu aniversário. Disseram que dá azar comemorar antes. Até o Papa disse isso!!!! Discordo. Também me disseram que sexta-feira 13 dá azar. Que gato preto dá azar. Para mim, são superstições. Uma vez aconteceu alguma coisa má em uma dessas circunstâncias e passaram a achar que então dava azar. E assim passou a ser. Tudo o que a gente acredita, assim é.

O músico Arrigo Barnabé (ou alguém usando o nome dele, vai saber) disse assim, há mais de 10 anos: "Tolice. Ancore-se no REAL, esquece essas besteiras... a vida é feita de fatalidades, ok!? tanto que tem gente que ganha na loteria justamente no dia do aniversário...  Mais comum ainda é o cara falecer no dia do seu aniversário tb. Ou seja, TUDO pode acontecer. Esquece essas besteiras, seja mais feliz."

Eu decidi que sexta-feira 13 é meu dia de sorte e batata! Toda sexta-feira 13 acontece alguma coisa boa na minha vida. Sempre, invariavelmente.

Hoje, fizeram uma festinha no coral, porque somos 3 aniversariantes de junho. A Márcia já fez aniversário e a Sonia faz hoje. O meu é só amanhã. E daí? Quem disse que não posso receber abraços, beijos e felicitações? As pessoas querem o bem umas das outras. E receber esse bem, essas energias positivas, sempre é bom, é gostoso, eleva a alma e o astral.

Portanto, quanto mais festa melhor! Amanhã tem mais festa e domingo também. Adoro festa, adoro fazer aniversário. “Ah, mas a gente fica mais velha...” E daí? Quem disse que ficar velha é ruim? Rugas, celulite e cabelos brancos já não me assustam mais há tempos.... Que venham os 61, 62, 63, 78, 89... estamos aí. Viver é bacana, eu gosto muito. Não sei bem como é o lado de lá, mas acho que deve ser bacana também. Então, tá tudo bem, tá tudo certo.

Tudo começou hoje com a caixa do supermercado me felicitando, pois estamos no mês do meu aniversário e eu sou cliente mais. Deve ser porque sou uma das que mais gasta dinheiro lá. Mesmo assim, eu gostei. Sei que é porque “apareceu no sistema”. Legal que tenha a data do meu aniversário no sistema. Queria também um vale-compras de 100 reais, mas ela só me deu parabéns mesmo. Tudo bem! Tá valendo.

Tô curtindo a vida e sigo aprendendo. Portanto, sigo jovem. No dia em que eu parar de aprender, poderei me considerar velha. Mas por enquanto, não. Me choco com algumas coisas e a minha filha me explica que é assim mesmo. Tento então acertar o passo e o pensamento. As coisas mudam, evoluem, embora a gente tenha a impressão, às vezes, que involuem (sei que a palavra não existe, mas peço uma licença poética para usá-la aqui). Mas acho que estamos errados, enxergando a vida com os nossos óculos velhos e embaçados.

É importante termos a mente e o coração abertos para o novo. É isso que nos mantém jovens e não a cirurgia plástica, a tintura nos cabelos e os tratamentos de beleza milagrosos. É importante não nos fecharmos no nosso mundinho e nas nossas ideias que já estão cheias de teias de aranhas e mofo.

Eu procuro sempre me desafiar e ficar atenta para não ser ranzinza e implicante. Isso não quer dizer que sempre consigo. Por isso usei o verbo “procuro”. Procurar nos mantém ativos e ligados no que acontece à nossa volta. Procurar nos mantém jovens. Mas que obsessão essa nossa de querermos permanecer nesse território tão estreito da juventude, né?

Outro dia nossa filha veio nos visitar e o porteiro anunciou, respeitoso, que a “Dona Biba” estava aqui! Ri muito. Até ela, do alto dos seus 26 anos, já está sendo chamada de Dona! Eu me lembro muito bem de quando começaram a me chamar de “senhora”. Eu tinha só 27 anos. Fiquei chocada. Agora, com 60, beirando o 61 por menos de uma hora, eu gosto que me cedam o lugar no transporte coletivo e aceito satisfeita a gentileza. Adoro pagar meia no cinema. Curto muito ser avó.
Por isso, podem me dar os parabéns todos os dias por estar viva e com saúde, que eu acho que eu mereço mesmo. Gracias a la vida!

quarta-feira, maio 15, 2019

Faxina, eu??



Quando eu era menina, estudante, não queria saber de fazer faxina e nem de arrumação de nenhuma espécie. Meu guarda-roupa era um emaranhado de roupas que eu ia “socando” lá, sem nenhum método. Minha mãe queria o quarto arrumado e eu enfiava e escondia a bagunça toda dentro do armário. Minha avó paterna também morava com a gente e ela me defendia: “Ela vai ter empregada, não precisa aprender a cozinhar nem fazer faxina”. E eu acreditava piamente nisso. Minha mãe respondia: “Ela tem que aprender para saber mandar, pelo menos”. Entrava por um ouvido e saia pelo outro. Eu era boa aluna, era considerada inteligente pelos professores, tirava boas notas, achava que o meu caminho para o sucesso profissional estava pavimentado e que eu naturalmente e sem nenhum esforço teria um ótimo emprego e um excelente trabalho, que nem o meu pai. Meu pai não era engenheiro, mas era tão competente e inteligente que tinha sido contratado como engenheiro na Refinações de Milho Brasil, tinha um ótimo salário e a minha vida infantil foi tranquila e confortável.
Mal sabia eu que a minha vida não seria esse mar de rosas, profissionalmente falando. Metida, eu me achava muito importante já desde o meu primeiro emprego, um estágio no DSV onde eu tinha que me humilhar e fazer chatíssimos relatórios de rádio-escuta. Aquilo era a morte pra mim. Zero de criatividade, zero de inteligência. Apenas um trabalho braçal. Eram 5 cópias desse maledeto relatório, com papel carbono. Cada cópia tinha um destino.... Certo dia, estava eu a distribuir as cópias para os respectivos destinatários, quando a secretária de um deles (por sinal, uma jornalista a quem vou poupar a identidade), jogou o meu relatório na lata de lixo na minha frente, dizendo que o chefe dela não lia aquilo.
Ohhhh!!!! Fui correndo contar ao meu chefe. A partir do dia seguinte, eram só 4 cópias.
Bom, isso foi apenas no primeiro emprego. E a história não foi muito diferente nos demais. Eu sempre ficava na minha plataforma da superioridade, olhando de cima até os meus chefes. Resultado: nunca me dei bem. Nunca soube fazer a política necessária para galgar posições. Desempenhava tarefas que me aborreciam e me sentia menosprezada, diminuída. Foi sempre assim. Fazia tudo sem alegria, sem paixão, sem amor. O salário no fim do mês era correspondente a esse meu comportamento e sentimento.
Hoje, moro em um apartamento pequeno, vivo (eu e meu marido) de aposentadoria. Ou seja, adotamos o estilo minimalista, que tá na moda, é bacana e tem a ver com o nosso rendimento mensal, que – claro – não é lá essas coisas. Mas tá tudo bem. Não temos mais tantas despesas. O clube agora é grátis, não tenho vontade de comprar nada que seja de grife e sim do pequeno, não temos mais o sonho da casa própria (nossa casa está alugada e pagamos o aluguel deste apê com o dinheiro recebido lá). Além disso, passei a ser a pessoa mais organizada do mundo, fã de carteirinha da Marie Kondo e das suas dicas. Aprendi, recentemente, a dobrar as camisetas no seriado dela no Netflix. 


Não tenho empregada e nem faxineira. No começo, eu esbravejava quando fazia a faxina. Imagine, eu, jornalista graduada pela ECA-USP, com curso de especialização também na ECA-USO, tendo que me sujeitar ao aspirador de pó, ao esfregão e aos produtos de limpeza! Revoltadinha, eu fazia a limpeza resmungando. Só que no final, acabava descobrindo um sentimento bom de autossuficiência, de liberdade, de independência, de ninguém ter que limpar a minha sujeira.
Resolvi dedicar as quartas-feiras pela manhã à faxina. Fui descobrindo que não é um bicho-de-sete-cabeças. Fui percebendo, aos poucos, que por mais que não seja uma tarefa criativa, pois é extremamente repetitiva e até um pouco pesada, dá prazer estender o lençol limpinho na cama, depois de tudo limpo e cheiroso.
Fui vendo que, conforme a gente vai limpando o nosso ambiente externo, também as ideias e sentimentos vão sendo limpos, higienizados.
Fui notando que a faxina tem valor, que mexer nos nossos objetos, analisando a cada semana se eles nos trazem felicidade, é uma ação que só nós podemos fazer. Não tem como delegar isso a quem quer que seja. É só pegando objeto por objeto, passando um pano ou lavando, para tirar o pó, é que vamos nos conectando ao nosso espaço onde vivemos e convivemos com as pessoas que escolhemos dividir o teto. Assim, comecei a sentir um enorme prazer nessa atividade, que continuo a desempenhar religiosamente todas as quartas pela manhã. Me sinto leve, me sinto feliz, sinto um prazer muito grande em fazer as atividades que uma casa exige para que possa ser chamada de lar.
E o sentimento que fica, depois de todas essas minhas confissões, é de uma profunda gratidão. Sou grata a Deus pela minha vida, pela minha saúde, que me permite fazer esta faxina cuidadosa, sem depender de ninguém, sou grata à minha mãe que queria me ensinar (e continua até hoje me dando dicas de produtos de limpeza, de técnicas e dicas – como, por exemplo, usar vinagre de arroz para limpar a pia e o fogão), sou grata à minha avó que me defendia, com a melhor das intenções. Sou grata pela minha casa, este apartamento novinho em folha e pequenininho, onde moro há menos de um ano e que tem tudo a ver com a nossa fase atual. E sou extremamente grata ao meu marido que é um maridão e que me ajuda, com aquele jeito dele, todo afobado, sem frescura, repetindo que “não tem tempo ruim”, sei que ele tem um coração enorme e que também quer se sentir bem aqui dentro.
Fico aqui a refletir sobre aquele ditado popular: Deus escreve certo por linhas tortas. Mas acho que nós é que somos os burros de não entendermos que as linhas de Deus nunca são tortas. Nossa visão é que distorce a realidade. E a realidade sempre traz o bem. Nós é que precisamos ter “olhos de ver”. Precisamos ver e enxergar que a vida sempre é boa, sempre nos traz aquilo de que precisamos. E as lições nos chegam o tempo todo. Podem vir até da prosaica faxina semanal. É isso....