quinta-feira, novembro 26, 2009

+ 1 cirurgia

Agora foi o Guilherme, que precisou operar o pé.
Ele fez uma cirurgia no pé no ano passado, mas "zoou" o lugar onde entrou o tal tubinho lá e o médico disse que precisava operar de novo.
Foi ontem no Santa Catarina. Mas viemos pra casa ontem mesmo.
Ando tão estressada.....
Hoje liguei pra um lugar aqui perto, onde eu achava que poderiam alugar muletas.
e a mulher:
- Nós não alugamos.
- Você sabe de algum lugar que aluga (ela é do ramo, oras!!!!)
- Não, mas nós temos muletas a partir de 80 reais.
- MAS EU NÃO QUERO COMPRAR, EU QUERO ALUGAR!!
Eu ando assim, estressada com tudo e com todos.
Mas vou tentar melhorar. As coisas não podem ter controle sobre mim e sim ao contrário.
Acho que duas cirurgias na família NO MESMO MÊS tiram a pessoa do sério. Fala sério!!

quarta-feira, novembro 18, 2009

Guiness

Voltamos ao médico hoje e a Biba comeu McDonald's no almoço.
O médico espantou-se.
Nunca antes nesse país ele viu um paciente comer Mc Donald's com menos de uma semana de cirurgia (daí o Guiness do título deste post).
Rsrsrs
Rimos a valer!
O próprio médico vai virar paciente, vai passar por uma cirurgia amanhã.
Não sabemos do que se trata porque fiquei muito tímida e não perguntei.
Mas como boa jornalista que sou (ou pretendo ser...) sou curiosa, e fiquei na curiosidade.
Ainda assim, posso fazer vibrações positivas por ele.
Do mesmo jeito que as vibrações funcionaram para a Marjorie, funcionarão também pra ele, que vai ficar 15 dias de "molho". tadinho.

sexta-feira, novembro 13, 2009

Hospital não é hotel




Lembra que eu falei que minha filha, a Marjorie (ou Biba) tinha muitas e muitas crises de amigdalite? Pois bem isso agora é passado. Ontem ela extraiu as amígdalas no HC, com o maravilhoso dr. Fábio Pinna.

Deu tudo certo e estamos aqui em casa, comendo muittooooo sorvete.

Pois é.

Só que eu passei uma hora dentro da recuperação no centro cirúrgico e não recomendo a experiência a ninguém que não tenha muitoooo sangue frio (o que definitivamente não é o meu caso).

Muitas crianças, muito doentes, me deixaram comovida, às lágrimas. Eu precisava olhar p/ o teto, disfarçar, enxugar as lágrimas que insistiam em despencar olho afora.

Gente, quanto sofrimento, quanta tristeza nesse mundo, meu Deus.

E como eu sou feliz! Nossa, quanta felicidade, quanta tristeza.

Dizem que Deus dá a cruz do tamanho que as pessoas são capazes de suportar. Nossa, quanta gente forte, meu Deus! Quanta cruz pesada tem nesse mundo.

E a gente reclamando de barriga cheia, que nem diziam antigamente.

E quantas enfermeiras corajosas, e médicos, e gente que tá ali pra ajudar, acima de tudo.

Fiquei muito, muito comovida com isso tudo. Admiro demais essas pessoas que trabalham assim tão próximas do sofrimento alhieo e são como luzes a iluminar a vida de cada um deles.

Nem sempre dá certo, eles perdem um ou outro paciente, eventualmente. Ai, ai...

Mas o fato é que a minha filha está ótima, medicada, cuidada, em casa, feliz, no orkut de novo etc e tal.

E comprei uma banda larga da Vivo, com isso ela agora pode usar o computador no quarto, coisa que ela sempre quis.

Sei que muitos comentaram aqui, desejando tudo de bom, quando confessei que ela estava com problemas de saúde. Agradeço de coração a todos vocês.

Bjs e bom fim de semana.

segunda-feira, novembro 09, 2009

Helena e Bia

Helena e Bia
Este post é pra comentar como netos e filhos são diferentes! O amor, não. Esse é igual.
Mas neto não é filho da gente, né? E sogra é por default aquela coisa chata, que dá palpite na vida da gente que a gente não pediu. Como eu não quero ser sogra chata, procuro não dar palpites. Tento ficar na minha.
Ontem a Helena veio ficar aqui em casa e dormiu aqui, e passou o dia de hoje com a gente também. Ela tá com 2 anos e meio. Tá indo na escolinha o dia todo. Eu só a vejo nos fins de semana e nem em todos... Então, a gente tem uma convivência intensa, de avó e neta, mas às vezes eu não sei como agir com ela, ou ainda a não conheço assim tão bem... Por exemplo: hoje, quando chegamos na casa da Bia (filha da minha amiga Alê, que é só um mês mais nova que a Helena), a minha neta parou na porta e "congelou", estava tímida. Não falou nada a manhã inteira.
Eu não sabia que ela era tímida!! Comentei isso com o Tom e ele me falou: é, mãe, ela é super tímida!!
Engraçado isso. Com filho/a, a gente sempre sabe como agir, ainda que faça besteiras também às vezes. Mas com neto é diferente. A gente também tem a obrigação de educar, mas é mais difícil.
Eu resolvi escrever isso aqui, porque nunca ninguém tinha me falado isso, e esse papel de avó é algo totalmente novo pra mim. A Helena me ensina, me desafia, me surpreende!
Nosso passeio foi meio bagunçado, mas foi bacana. Fomos à exposição do Pequeno Príncipe e almoçamos lá no parque mesmo.
Elas brincaram juntas, separadas, correram, deram risada. E eu tô inteira "quebrada" de correr atrás dela. Por isso que eu acho que ser pai e mãe é beeeem diferente de ser avó e avô. Por mais que a gente queira ajudar, a responsabilidade sobre aquela vida é dos pais. Os avós ficam mais na retaguarda, dando aquele apoio e tal. E essa foi mais uma aventura de ser avó.
Boa semana!!!!
ATUALIZADA EM 13/11, 19h42