sexta-feira, abril 12, 2013

O que vc faz quando ninguém está olhando?


Outro dia, fui até a janela do meu quarto p/ baixar o vidro (é aquela janela tipo veneziana) e daí um dos meus vizinhos da casa debaixo (eu fico 4 andares acima deles), um rapaz que eu nunca tinha visto antes, estava saindo e se benzeu. Achei tão bonitinho aquele ato singelo e solitário! E reforcei o pedido mental dele, pedindo também que ele fosse abençoado naquele dia.
A casa dos meus vizinhos de baixo é bem simples, térrea, tem telhado de "eternit" e é uma das coisas "feias" da paisagem. Por outro lado, é a casa da vizinhança que a gente mais observa, ao abrir e fechar a veneziana, ao longo dos 8 anos em que eu moro lá. Tem um quintal com varal, uns quartinhos independentes nos fundos, que podem ser para alguns membros da família ou talvez sejam alugados. Não sei. Um dia fizeram um "puxadinho" em mutirão, para cobrir a máquina de lavar, "luxo" antes inacessível às classes D/E.
Nunca tive a oportunidade de falar com os vizinhos de baixo (a distância é bem grande e o meu quintal fica bem acima do deles) Mas a gente acaba inferindo como é a rotina daquela família simples. Tem uma matriarca, a "vó", muito amada e respeitada, ela deve ser a dona da casa que abriga todo mundo. Ele deve ser a sustentação de toda a numerosa família. Tem um rapaz que deve ter problemas mentais, nem sempre ele está por lá, deve passar uns tempos internado em alguma instituição. Mas de vez em quando ele aparece, fala alto, com voz enrolada, Quando a "vó" sai, às vezes vem o som no volume mais alto: uma música popular, um rap, um pagode. Coisas assim. Mas quando a "vó" tá em casa, ninguém se atreve.
Outro dia, começamos a ouvir choro de bebê. Uma menina, vimos a manta rosa no carrinho.
Nesses 8 anos, criamos uma intimidade estranha com a família da casa de baixo.
Às vezes, penso em inscrevê-los naqueles programas do tipo que reformam as casas das pessoas, tipo o "Lar Doce Lar" do Luciano Huck, sabe?
Sem que eles jamais me conheçam, ou sequer imaginem o quanto eu sei a respeito da vida deles.
Ia ser bem bacana!
Achei lindo o gesto daquele rapaz saindo de casa bem cedinho naquele dia. Eles mereciam ganhar uma surpresa bem bacana na vida deles.
Vi quando o cachorro vira-lata deu cria e os filhotinhos foram sumindo, um por um, distribuídos entre vizinhos e amigos.
Vi quando teve uma briga horrorosa e ameaçaram chamar a polícia e tal...
Vejo a "vó" lavar a cozinha, cuidar dos queridos dela....
Enfim... essa é uma das coisas que faço quando ninguém está olhando: sou "voyer" da vida dos meus vizinhos da casa de trás. É mais bacana acompanhar a vida deles do que novela ou reality show. É a vida como ela é.

Um comentário:

  1. Anônimo3:46 PM

    E quem não é... Ha 7 anos me admiro com o vizinho que a qualquer hora que eu acorde tem uma empregada fardada na cozinha dele ( será que comem muito?) E olha que minha bebe acorda durante a madrugada...

    bjuz naninha

    ResponderExcluir

Sua participação é muito importante para nós!