sexta-feira, fevereiro 10, 2006

Um texto completamente diferente

Resolvi variar... espero que gostem.
Bjs

Comunicação multimídia

Não percamos a “banda larga” da história!

Foi-se o tempo em que era necessário sintonizar o rádio ou (pior) esperar pelo jornal impresso para se informar sobre as notícias. Hoje, a comunicação não cabe mais no rádio, no jornal, na TV, na revista e nem mais na Internet. A comunicação, nos dias de hoje, está pulverizada também em produções independentes de vídeo, DVD, nos blogs, celulares, em redes de relacionamento como o Orkut, em programas peer-to-peer. Tudo acontece ao mesmo tempo, agora. Tempo real, velocidade, bandas cada vez mais largas, para conteúdos cada vez mais densos.

Um dos perigos dessa explosão desordenada da comunicação é não sabermos lidar com o excesso de informação. Temos que aprender a separar o que é útil e importante do que não serve. Mas esse é outro capítulo.

A TV, nesses tempos de comunicação multimídia, também é outro veículo que passará por fortes transformações. Primeiro, foi a TV a cabo. Começamos a ter intimidade com os seriados norte-americanos e temos acesso às notícias de redes internacionais como a CNN antes que sejam traduzidas e editadas pelos telejornais brasileiros. Agora, aguardamos que se tornem reais as promessas da TV digital, inovação inevitável. Dentro de alguns anos, a alta qualidade da imagem e a interatividade sem limites vão determinar a maneira como vamos nos relacionar com o conteúdo multimídia.

Além das notícias, um novo mundo de entretenimento se abrirá para todos. Não é preciso nem mesmo ter uma bola de cristal para adivinharmos que filmes, vídeos, músicas, fotos, jogos estarão disponíveis a um clique do controle remoto do chamado “entertainment PC”. Bill Gates, o visionário fundador da Microsoft, em entrevista a Stephen Cole, do programa Click Online da BBC, apresentou o Media Center PC em fevereiro do ano passado, e afirmou que o computador pessoal (da sigla em inglês PC) vai se tornar o centro desse estilo de vida digital. “As pessoas não querem um monte de aparelhos que só fazem uma função. Elas não querem ter que aprender como programar um aparelho para fotos, outro para música e outro para vídeo. E você quer a riqueza e os gráficos que só o PC pode lhe proporcionar”, analisou. Esse novo PC, que começa a chegar agora ao mercado, deve ocupar o lugar da TV, do DVD player, e até do antigo projetor de slides (quem ainda se lembra?).

Redes conhecidas como peer-to-peer, cujo exemplo mais conhecido é o controvertido Napster, serviço de compartilhamento de música no formato MP3, ampliam exponencialmente o poder de comunicação das pessoas e corporações. Ainda que o Napster não tenha sobrevivido, a idéia original continua viva em sites como Kazaa, Shareaza e iMesh, entre outros.

A comunicação em redes modifica a perspectiva que norteou a maioria dos estudos sobre comunicação multimídia realizados até hoje. Quem trabalha na área de Comunicação não pode deixar de lado todos esses conceitos e inovações, sob pena de perder a “banda larga” da história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!