sexta-feira, julho 21, 2006

Bonequinha de Luxo


Ontem vi esse filme na TV. Nunca tinha visto antes. Gostei. A história é muito boa, fiquei bem entretida, querendo saber como iria acabar. Depois de ter visto o filme sobre o escritor Truman Capote (que só descobri hoje ser o autor da história), a gente entende ainda melhor o filme, que retrata bem uma época, quase ingênua, embora o filme tivesse um conteúdo "forte", digamos, para a época. A Audrey Hepburn está no auge, linda, magérrima, com roupas pra lá de estilosas.
Será que na Tiffany's as pessoas que só têm dez dólares são mesmo atendidas com tanta delicadeza? Fiquei curiosa... Só tem um probleminha com esse filme: nossa, como eles fumam sem parar!! É um verdadeiro absurdo. Mas entendi porque meus pais achavam chique fumar.
Também em função do filme "Capote", fui atrás do livro-reportagem dele, que colocou um ponto final na sua carreira de escritor, o "A Sangue Frio". Foi uma leitura difícil, porque o tema central é algo com o que prefiro evitar ter contato na minha vida. Mas consegui terminar a leitura, a duras penas. E achei (pronto, agora vou ter que dar a minha opinião), que o livro é "datado" - acho que a pior coisa para um livro é isso, ser "datado". Mas se estamos falando de reportagem, não teria como não ser datada a "obra", né? Mais ou menos, porque esse filme, "Bonequinha de Luxo" é quase atemporal, e, pra mim, essa é a verdadeira característica da obra de arte. Suplantar o tempo e o espaço e continuar tendo valor, decorridos anos e anos de sua criação original. Esse é o grande desafio.
Mudando de assunto, você, que mora em São Paulo, já reparou que as azaléas já estão florindo, enchendo de tons de cor de rosa o nosso caminho trabalho-casa?
Espero que seu Dia do Amigo tenha sido feliz e recomendo o blog da Mirella, que fez um post lindinho sobre o tema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!