terça-feira, novembro 23, 2010

Sobre as coincidências (ou sincronicidade?)

Minha querida amiga jornalista e escritora Yami escreve em um parágrafo do seu livro sobre as coincidências. Eu também sempre achei que quando elas acontecem indicam que estamos "no caminho certo". Fui pesquisar agora e achei um texto bacana de uma psicóloga sobre o assunto:


Quem faz o azar......
O fenômeno da sincronicidade, segundo Jung 

As relações de causa e efeito apenas produzem o que poderíamos chamar de fenômenos normais. Como quando alguém diz: eu estava falando da alta do dólar e de repente o preço dos importados tinha aumentado. Ora, num tempo de alta flutuação cambial, é perfeitamente lógico que um dos efeitos seja o aumento dos importados.
Escrever para um amigo e receber a resposta é muito diferente de apenas acordar pensando muito nele e à tarde receber outra carta. A sincronicidade é sempre uma coincidência acausal.

Ela é o encontro de duas cadeias paralelas de causa e efeito. O acontecimento exterior vem sempre reforçar, ilustrar. ampliar uma busca interna marcante. No caso da paciente de Jung, o escaravelho na janela veio reforçar o desejo que aquela mulher tinha de entender o significado lógico e racional da presença do inseto em seu sonho.

Jung viu neste caso um fenômeno de sincronicidade - fato interior gerando um fato exterior.

Tanto que abriu a janela, pegou o inseto e disse: eis o seu escaravelho. Ele era o símbolo vivo de que aquela mulher devia despertar para vivências de dimensões da realidade que estão fora da lógica, do tempo e do espaço. Longe de ser uma pura relação de causa e efeito, tipo aumento do dólar aumento dos importados, a sincronicidade significa uma vivência ilógica, muda, secreta, pessoal.

Muitas vezes decisiva, mas difícil de ser percebida em sua totalidade no momento que acontece. Só de um outro ponto de vista pode ser integralmente compreendida, assimilada, contada. As vezes é
preciso até viver muitos anos para, olhando o passado, dizer: como aquele fato, aquele dia foi importante, a vida inteira parece que só me preparei para ele.

Como aprender a ter sorte?

Preparar-se para sincronicidades felizes. Aprender a ter sorte. Será isso possível? Como mobilizar energia para que a grande rede da vida se teça a nosso favor, para que o mundo à nossa volta não se torne uma ameaçadora teia de azares? Aqui não há receitas. Mas eu diria que certa sincronicidade interna, certo "estar bem consigo mesmo" tende a produzir coincidências felizes.

Pessoa sincrônica é aquela que tem suas necessidades internas alimentadas pela realidade exterior. Ela se conhece bem, sabe o que quer, caminha na direção do que precisa e assim cedo ou tarde, a vida se move a seu favor. Quem pelo contrário é infiel às suas verdades internas, finge em relação a si próprio, não sabe o que quer, se arrisca a entrar neste campo de energias contraditórias, negativas, a que costumamos chamar de azar. Veja só a figura do azarado:

O sujeito que bate o carro, briga com a namorada, com o amigo, chega em casa encontra duas multas e um aviso do cartório de protestos. Tudo o leva a concluir: é, o mundo está contra mim.
Ou a má fase não estará refletindo sua dissincronicidade, uma desarmonia interna, um não saber o que se quer.

Ouvir bem seus desejos é fundamental para uma fiel relação de energias com a vida.

O que a gente de fato quer, nem sempre corresponde àquilo que a gente pensa que quer.


*Doucy Douek é Psicóloga clínica, há mais de 25 anos, com especialização em Psicoterapia pela PUC-SP. Facilitadora Certificada em Respiração Holotrópica pelo Grof Transpersonal Training. Pioneira na introdução desta abordagem no Brasil.

4 comentários:

  1. ola, boa tarde!!!

    outro dia vi esse termo numa serie de post de uma colega, e já tinha lido sobre esse assunto a uns anos atras em recife sobre sonhos... e fiquei curiosa, questionei a pessoa, mas ela agiu indiferente, respeitei e busquei as informações sobre o assunto no google... mas ficou bem confuso, mas da forma como falou aqui... legal,parabens!!!
    isso é sincronicidade...

    ResponderExcluir
  2. Consegui compreender claramente, agora... obrigada!!

    ResponderExcluir
  3. Silvia! Que saudade! Bom, ando sumida =p Mas as férias estão chegando e ai vai melhorar! Bom, como sei que você tem uma editora, gostaria de fazer umas perguntinhas. Assim, eu e uns amigos estamos pensando em montar um livro de poemas, só que não sabemos como é o processo e queria saber se você poderia me ajudar.Os poemas têm que ser registrados primeiros né? E como funciona? A gente tem que pagar alguma coisa? E para que tenha a publicação?

    Beijos.flec

    ResponderExcluir
  4. Obs.: esse flec foi que sem querer eu digitei fora da caixinha (para confirmar e enviar) kkkkkk

    ResponderExcluir

Sua participação é muito importante para nós!