terça-feira, fevereiro 06, 2018

Sobre o direito à tristeza


Nos dias de hoje, todos nós nos sentimos obrigados a sempre nos mostrarmos felizes, seguros, bem-resolvidos, poderosos, vencedores. Mas às vezes, bate uma tristeza... o que fazer? Disfarçar com aquele risinho amarelo? Lutar e combater esse sentimento? Eu acho que não. Acho que temos direito a ficar tristes de vez em quando. Não devemos nos entregar à tristeza e nem nos acomodarmos a ela. Mas temos o direito de ficar tristes sim de vez em quando. De nos fechar para balanço, de nos recolher, nos preservar.

Nesses momentos, temos que entender que nós somos a nossa melhor companhia. Podemos olhar para dentro e buscar as nossas qualidades, relevar os defeitos, dormir. Sei lá... de vez em quando dá vontade de deitar debaixo das cobertas e ficar lá bem no fundo, no quetinho, esperando a tristeza passar.

Ela vai passar. Ela tem que passar. Não pode se instalar do nosso lado e pronto. Não podemos achar que ela é uma boa companhia, uma boa conselheira.... Não.

Mas de vez em quando, sim. Não adianta lutar e nem mesmo tentar disfarçar. Ela tá ali e nos olha bem no fundo dos olhos. Procurando uma lágrima, uma fraqueza qualquer... E penetra ali, atinge o nosso coração, que começa a doer.

Só sei que temos que tentar sair depressa disso. Não sei como, mas precisamos....

Nem que seja comendo chocolate.

4 comentários:

  1. Anônimo10:09 AM

    Olá,
    Descobri este blog atravês do blog mikix, com o post sobre a ida para o Algarve.
    Fiquei encantada com a mudança de vida :)
    Estou a escrever porque preciso de uma consulta sentimental...
    Estou a viver uma fase de algum desanimo. Faço a maioria das coisas por obrigação. E dou comigo a neglegenciar muita coisa. Pago o ginásio mas não me apetece ir às aulas de ginástica. Porque está frio e dá uma preguiça. Nem sei se devo desistir do ginásio. Outra coisa que também sou muita preguiçosa é a cozinhar. Eu e o meu marido trabalhamos e almoçamos fora. Mas jantamos em casa. Então faço tudo para não ter de cozinhar. Compro fora ou trazemos comida da sogra e depois aquecemos. Mas fico triste comigo e sinto-me culpada porque não faço as coisas. Haverá alguma forma de me motivar? Pode dar-me algumas dicas para vencer o desanimo? Obrigada e beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anônima! Muito obrigada por escrever. Mas o interessante é que ao ler o que escreveu, parecia que era eu mesma que estava a falar de mim. Também sou bem preguiçosa para atividades físicas, sobretudo no inverno, e não sou muito amiga da cozinha, assim como você. Só que eu não me sinto culpada, rsrsrs.
      O problema no seu relato é o sentir-se culpada e condenar-se dizendo que está sendo negligente. Culpa e negligência não são bons sentimento e não devemos nos acostumar a eles. A dica que eu poderia dar a você é procurar se planejar. Por exemplo: procure deixar tudo organizado na noite anterior para que na manhã seguinte você fique mais animada a ir ao ginásio. Planeje um cardápio para a semana e procure deixar algumas coisas adiantadas para não dar aquela preguiça na hora de cozinhar.
      Mas o que me deixa curiosa é como o seu marido reage a esse seu comportamento. Se ele não se incomoda com o seu jeito, talvez seja esse o seu jeito mesmo, não precisa se culpar tanto por não ser perfeita. Ninguém é... Meu marido, por exemplo, começou a cozinhar e cozinha melhor do que eu. Talvez a sua sogra fique feliz em compartilhar a comida dela com vocês. Pense nisso. Preciso confessar que eu também peguei a comida da minha sogra muitas e muitas vezes. Ela adorava dividir a comida dela com a gente.
      Espero ter ajudado!
      Beijinhos e fique feliz!

      Excluir
    2. Anônimo8:15 AM

      Obrigada pela resposta :) Já me sinto menos "perdedora" :)
      O meu marido já se importou mais, porque ele é pior do que eu para cozinhar. Ele não sabe cozinhar e não cozinha nada. Mas agora, mesmo eu não cozinhando muito, temos sempre comida na frigorifico (da sogra, ou pré-feita e é so aquecer). Não passamos fome :) Se calhar de facto é o meu jeito... eu é que me culpo por não ser a fada do lar :)
      Vou seguir as suas dicas!
      E mais uma vez, obrigada pelo tempo dispendido comigo ;)
      Beijinhos e Feliz Dia dos Namorados!

      Excluir
    3. Obrigada pela resposta! Fique tranquila e não se culpe mais. Claro que sempre é bom tentarmos melhorar nisso ou aquilo, mas só se for mesmo sem sofrimento. Feliz Dia dos Namorados também para si!

      Excluir

Sua participação é muito importante para nós!