segunda-feira, outubro 15, 2007

Polêmica: terapia x ajuda espiritual

Hoje, quando tava tomando banho, surgiu a idéia desse post. A água faz fluirem os pensamentos. Sempre tenho idéias quando tô tomando banho ou lavando a louça. Engraçado, mas isso é assunto pra outro post. O que quero falar aqui é sobre terapia x ajuda espiritual. Não sei se vc sabe, mas fiz dois anos e meio de Psicologia na PUC. Mas interrompi o curso, porque achei que era muita responsabilidade mexer com a "cabeça" das pessoas. Eu também comecei a achar que psicoterapia parecia ser algo meio frágil, apoiado em teorias cristalizadas, e fiquei em dúvida se a Psicologia seria capaz de fato de ajudar as pessoas.
O tempo foi passando, fiz Jornalismo com a ilusão de ajudar mais pessoas, etc.
Hoje, várias amigas e pessoas que conheço fazem terapia, e também ainda tenho certa amizade com algumas pessoas do tempo da PsicoPuc. Mas continuo duvidando um pouco do poder da Psicologia. Sei que parece uma heresia e é um assunto polêmico, por isso o título do post.
O fato é que o tempo foi passando e eu fui me aproximando do Espiritismo Kardecista Cristão. Eu, que tinha estudado onze anos em colégio de freiras, e que tinha várias dúvidas não-respondidas pela Igreja Católica, encontrei TODAS as respostas, racionalmente falando, nos livros de Allan Kardec e de André Luiz. Essas respostas me ajudam a entender muito melhor os meus próprios "problemas" e tornam absolutamente dispensável, no meu caso em particular, qualquer tpo de "terapia".
Fico pensando nos motivos que levam as pessoas a fazerem terapia, e acho que é para entender racionalmente o que acontece na vida delas. Mas acontece que nem tudo nessa vida encontra uma explicação racional. E essa é uma das explicações racionais do Espiritismo. Acho que o meu texto está bastante confuso. Mas são essas idéias que ficaram rondando minha cabeça no dia de hoje.
Também existem psicólogos que usam as terapias de vidas passadas, coisa que pode ser um tanto quanto perigosa, eu acho. Porque se a gente recebeu a bênção do esquecimento das vidas anteriores, talvez seja para o nosso bem. Se bem que é claro que temos curiosidade e que talvez em alguns casos possa ajudar algumas pessoas.
Minhas idéias são assim mesmo: contraditórias. Vejo os lados positivos e negativos das coisas.
Mas só queria mesmo registrar o meu depoimento: no meu caso, em particular, uma terapia seria algo desnescessário, porque eu tenho a compreensão - que em inglês fica melhor: the big picture. The Creator has a Master Plan. Isso não significa que devemos viver a nossa vida passivamente, ao sabor das ondas e dos acontecimentos. Mas que essa certeza dá uma baita paz de espírito, isso dá.
A plantação é optativa, a colheita é obrigatória. Deus não abandona nenhum de seus filhos. Temos o nosso livre arbítrio, podemos escolher o caminho que desejarmos seguir e viver de acordo com as escolhas que fizermos. Essas são algumas das certezas que iluminam a minha vida e o meu cotidiano. Muito simplificadamente. Mas viver não é algo tão complicado. Nós é que nos complicamos, quando nos afastamos da nossa fé. Por isso, acredito que a religião - qualquer que seja ela - serve para a mesma coisa que a terapia: fazer a conexão entre os nossos "eus" - o exterior e o interior. E na medida em que essa conexão se estabelece, temos a felicidade, aqui mesmo e agora.
Espero que o texto tenha sido mais claro, para quem teve a paciência de ler até o final.
Também sei que a Internet não comporta textos muitos longos, mas às vezes é preciso escrever um pouco mais, sorry... Boa semana a você!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!