segunda-feira, junho 14, 2010

Reverter a situação


Daí, quando você menos espera, uma situação que você considerava positiva, até então, se mostra nefasta. O que fazer? Como reverter? Como agir? Como transformar? Até que ponto uma pessoa deve mudar suas atitudes, crenças, ações, pensamentos, para obter um resultado determinado? Agir ao sabor das ondas, dos ventos, das estações? Ou promover uma alquimia, uma transformação verdadeira e honesta para que a situação se reverta de novo de negativa para positiva? Quando desistir? Quando insistir? Eu vivo dando uma aqui de conselheira amorosa, mas também tenho dúvidas, confesso. E hoje, elas me assolam de maneira contundente. Alquimia, essa é a palavra.

Da Wikipédia:
A Alquimia é uma tradição antiga que combina elementos de Química, Física, Astrologia, Arte, Filosofia, Metalurgia, Medicina, Misticismo, Geometria e Religião. Existem três objetivos principais na sua prática. Um deles é a transmutação dos metais inferiores ao ouro, o outro a obtenção do Elixir da Longa Vida, um remédio que curaria todas as doenças e daria vida longa àqueles que o ingerissem. Ambos os objetivos poderiam ser atingidos ao obter a pedra filosofal, uma substância mística. Finalmente, o terceiro objetivo era criar vida humana artificial, os homunculus. É reconhecido que, apesar de não ter caráter científico, a alquimia foi uma fase importante na qual se desenvolveram muitos dos procedimentos e conhecimentos que mais tarde foram utilizados pela química. A alquimia foi praticada na Mesopotâmia, Egito Antigo, mundo islâmico, Pérsia, Índia, Japão, Coreia, China, Grécia Clássica, Roma e Europa.

Alguns estudiosos da alquimia admitem que o Elixir da longa vida e a pedra filosofal são temas simbólicos, que provêm de práticas de purificação espiritual, e dessa forma, não poderiam ser considerados substâncias reais. O próprio alquimista Nicolas Flamel, em seu "O Livro das Figuras Hieroglíficas", deixa claro que os termos "chumbo" e "ouro" são metafóricos, e que as metáforas serviriam para confundir leitores indignos. Há pesquisadores que identificam o elixir da longa vida como um líquido produzido pelo próprio corpo humano, que teria a propriedade de prolongar indefinidamente a vida daqueles que conseguissem realizar a chamada "Grande Obra", tornando-se assim verdadeiros alquimistas. Existem referências dessa substância desconhecida também na tradição da Ioga.

Por outro lado, já vi tanta coisa mudar, nessa minha vida, nessas minhas retinas cansadas... Já vi gente que estava por baixo sair por cima, e com os meus próprios olhos vi pessoas sacudindo a poeira e dando a volta por cima. Agora, não tem jeito. Tenho que enfrentar. Embora meu primeiro impulso seja o de fugir (deve ter uma explicação p/ isso, vidas passadas, sei lá eu). Eu queria ser profunda, metafísica, mas sou irritantemente simples e básica e aberta e transparente. Fazer o quê??

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!