terça-feira, janeiro 22, 2013

Ode de amor e ódio a São Paulo


Então a minha cidade - sou paulista e paulistana - vai completar os seus 459 anos no dia 25. 


Hummm, vão começar a aparecer zilhões de posts apaixonados pela cidade, pela sua grandeza, pelo seu fervilhante ambiente cultural, pelas suas atrações gastronômicas etc e tal. 

Eu me sinto dividida nessa hora. 

Nasci aqui, sempre morei aqui, mas minhas raízes são frágeis. 

Se eu tivesse uma mínima oportunidade de viver em outro lugar, aceitaria na hora, sem pestanejar. 

Acredito que todas as pessoas que moram aqui devem ter um karma coletivo a pagar.
A cidade nos inferniza com o seu trânsito insuportável, com a poluição (ainda que a visual tenha sido amenizada pelo ex-prefeito), com a violência, com o anonimato... Vc vive cercado de pessoas que provavelmente nunca mais cruzarão o seu caminho, já pensou nisso? Somos massa no metrô. Somos números nas estatísticas. Somos ninguém. Somos de todas as partes e de parte nenhuma. 

Se me fosse dada a oportunidade de viver em outro lugar, como no interior de São Paulo, como minha amiga Ana Maria, ou em outro estado, como xxx, ou de viver em outro país, como a Mineirinha na Alemanha ou a Mirella, eu não pensaria duas vezes. Minha mala ficaria pronta em dois segundos e eu me despediria dos meus entes queridos (essa parte é um pouco mais dolorida, mas eu os receberia no meu novo lar com honrarias de chefes de estado) 

Por isso gosto tanto daquele trecho da música do Chico Buarque que diz: "a cidade é uma estranha senhora, que hoje sorri e amanhã te devora" - acho que essa frase se aplica à perfeição a essa metrópole louca e suja onde vivemos, onde nos apertamos, onde nos esprememos, mas também onde amamos, onde rimos, onde nos divertimos... 

Por isso, essa ode à cidade. Ode de amor e ódio. 
São Paulo, eu te amo, mas também te odeio. 
Com todas as minhas forças.


O que é uma ode? A Wikipédia explica: 
Ode é uma composição poética que surgiu na Grécia Antiga, e era cantada e acompanhada pela lira, ou simplesmente líricos. Ode, em grego, significa canto.

3 comentários:

  1. EU amo a variedade de SP e odeio me sentir perdida e longe dos amigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São Paulo não é uma cidade muito amigável para quem vem de fora, né?? bjs e obrigada pelo comentário!!!

      Excluir
  2. Sil, concordo com vc sobre a loucura que é viver em SP, mas agora que vivo fora sinto muitas saudades dessa cidade, que apesar de caótica, já me deu muito amor. Sinto falta das pessoas que nela vivem, mas também sinto falta de caminhar pela paulista, pegar um cinema no Unibanco, passear no Ibirapuera, até de andar de metrô eu sinto falta. Outro dia eu li num blof que quando a gente mora fora, costuma fantasiar e aumentar um pouco as qualidades do nosso País. Às vezes quando penso em SP com saudade, a vejo melhor do que ela realmente é, acho que por saudades e nostalgia, mas também porque eu sei que ela já me deu muitas coisas boas. Acho que a experiência de morar fora, que vc diz que aceitaria facilmente, é importante para que tenhámos consciência dos problemas da nossa cidade e do ódio que já sentimos, mas também para que descubramos o quanto a amamos, mesmo com todos os seus defeitos.

    ResponderExcluir

Sua participação é muito importante para nós!