terça-feira, maio 30, 2006

Amor não é loteria

Como prometi, vira e mexe, e volto ao assunto do amor.
Amor não é loteria. Perguntar a si mesmo: "Ai, será que vai dar certo?" é o mesmo que perguntar: "Ai, será que vou ganhar na loteria?". Ganhar na loteria não depende de nada que a gente possa fazer. Ou se tem sorte ou não se tem e ponto final. Mas quando o negócio é o amor, a conversa é completamente diferente. O amor depende sim do que a gente fizer. De quanto a gente está disposto a investir para que aquele amor dê certo, conforme a Nana comentou. "Amor é investimento", disse ela. Tem gente que acha difícil "encontrar" o amor, a pessoa certa, sem nem olhar para os lados. Possivelmente a pessoa certa já esteja ali, esperando apenas um "sinal" para revelar seu amor. Possivelmente tenha medo de ser rejeitada. Por não ser uma pessoa "bonita" dentro dos altamente exigentes padrões estéticos da sociedade moderna, que valoriza a plástica, a malhação, a beleza. Todos atributos passageiros, que dizem pouco a respeito de cada um de nós.
Amor não é loteria. A gente não tem que ficar quieto no nosso canto esperando o amor "cair do céu". Só no The Sims que tais coisas acontecem. O amor verdadeiro exige muita renúncia, ausência total e absoluta de orgulho, dedicação, carinho, atenção, e um monte de outras coisas. É preciso avaliar o quanto cada um de nós está disposto a se doar para que o amor dê certo.
Cada caso é um caso.
Tem o caso de namorados que terminaram tudo, reataram e estão bem. Tem caso de pessoas apaixonadíssimas que só queriam ficar juntas na "festa" e que se desentenderam ao menor dos problemas. Tem caso de mulher que aceita e perdoa as piores traições e ainda assim o casal continua fortalecido. Tem caso de quem não tinha namorado e de repente casou, teve filho, cachorro, papagaio. Tem caso de gente que ficou 18 anos com o marido, depois separou e ficou mais outros 20 com o segundo marido. Tem caso de namorada que, mesmo estando certa na "briga", resolve "correr atrás" do namorado, engolindo o orgulho, já que descobriu que prefere ficar com aquela pessoa do que ficar sem ela. Eu, por exemplo, cansei de ir atrás do Guilherme, quando achava que tinha que ir. Ele também veio atrás de mim algumas vezes. Portanto, há exemplo p/ tudo, para todo tipo de situação. O que importa é saber que ninguém deve ficar sozinho ou "se conformar" com a solidão. Ninguém está condenado a ficar sozinho. Mas tem que abrir espaço, fazer concessões, parar de procurar a pessoa perfeita e sem defeitos, porque ela não existe. Todos nós temos defeitos, mais ou menos toleráveis. Não precisa abrir mão de todas as exigências. Mas, por exemplo, será que é fundamental que o cara combine a meia com o sapato? Ou fundamental é que seja um cara honesto, ou que seja bem-humorado? Cada pessoa tem as suas exigências mínimas. Quanto mais o tempo passa, mais exigentes se tornam as pessoas e assim deixam de enxergar um "prospect" (como diz a Estela) naquele amigo simpático com quem gostam tanto de conversar.
Não gosto de ver pessoas sozinhas. Acho que a maneira melhor de viver nesse mundo é em casal, ou em família (melhor ainda!!). Por isso escrevo aqui e espero que alguém aproveite não só p/ pensar no assunto, mas para agir também. Espero que o mundo seja povoado por corações apaixonados. Desse jeito, tenho certeza que o mundo passará a ser um lugar muito melhor para se viver!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!