sábado, setembro 16, 2006

Equipe

Marjorie, querida. Você não precisa agradecer por eu ter dedicado o post do Cirque pra você, porque toda a minha vida eu já dedico a você, meu amor. Bem, feita a declaração de amor, quero fazer um post dedicado ao Colégio Equipe.

A Marjorie vai entrar lá no primeiro colegial em 2007 e fomos a uma reunião de pais hoje de manhã, enquanto os meninos e meninas faziam provas de Português e Matemática. Deixei de ir à Seara, onde vou religiosamente todo sábado de manhã, mas foi por um bom motivo. Como me senti bem lá no Equipe! O Guilherme estudou duplamente lá. Ele estudou no Equipe em 74 (Caio Prado) e 75 (Martiniano de Carvalho, onde nos conhecemos) e também quando funcionava naquele endereço atual a escola para os filhos de jóqueis (o pai dele foi jóquei). A escola era gratuita, dava uniforme e tudo o mais (barbeiro, dentista, cinema, tudo ali mesmo). Mas a contrapartida era o "coque" - um soco que os diretores davam na cabeça das criancinhas. Ainda bem que o ensino mudou! Hoje, o mesmo endereço (de triste memória, em termos pedagógicos) abriga o Equipe, referência em educação para toda uma geração. Além disso, tem a nossa história de amor. Vimos shows promovidos pelo Grêmio, dirigido pelo Serginho Groisman (que mais tarde faria o Programa Livre e acabaria na Globo). Vimos até um show do nosso ministro Gilberto Gil por lá. Eu, que chegava de uma escola de freiras, onde estudei durante 11 anos, levei um choque (cultural, comportamental) que mudou a minha vida, de forma definitiva. Vi um novo mundo, me apaixonei perdidamente pelo Guilherme, que tinha aqueles cabelos encaracolados, que lembravam os de um anjinho...

Ai, ai!

Mas voltando ao presente, ao dia de hoje, a reunião foi muito especial. Teve até alguns momentos emocionantes, que quase me levaram às lágrimas. Um pai, viúvo, contou que a filha, órfã de mãe aos 9 anos, foi acolhida pelo colégio de tal maneira, que ela conserva até hoje aquela memória afetiva muito boa. E que foi ela quem insistiu para a irmã (do segundo casamento do pai) estudar lá também.

E a Ausônia, que é a diretora muito especial do colégio, também quase chegava às lágrimas cada vez que falava do Maurício, professor de biologia e diretor o colégio, falecido há 3 anos. Aprendi que ensinar vem do latim "insignare" - que significa colocar um sinal, uma marca. A Marjorie vai ter aula com pelo menos dois professores (Zé Maria, de Matemática, e Gilson Rampazzo, de redação), que foram nossos professores também. Senti que estou fazendo a escolha certa de colégio para minha filha. Sei que esses 3 anos ficarão gravados para ela para sempre. São o período mais "delicado" da vida de uma pessoa, em que a personalidade dela será formada, de forma indelével. Claro que eu quero que ela passe no vestibular, que entre na USP. Mas quero mais que ela seja uma pessoa feliz, crítica, criativa. É isso que eu acredito que o Equipe pode proporcionar pra ela.

Ah, acho que falei muito. E Internet pede textos curtos, dizem por aí. Mas, enfim, eu queria dividir essa emoção e essa experiência com você, que gasta seu tempo pra ler minhas cibernéticas linhas. Dá licença, que agora eu tenho duas matérias de tecnologia pra escrever (não tá dando tempo de fazer tudo durante a semana...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!