sexta-feira, março 09, 2007

Tomás

Poucos de vocês tiveram a chance de ver um filme chamado "Jonas, que terá 25 anos no ano 2000". Eu vi. Gostei muito. Então, o Tomás ia se chamar Jonas. Estava decidido. Isso se fosse menino, porque eu não quis saber o sexo, quis deixar para descobrir isso na hora.
- É um menino! - falaram, quando ele nasceu, depois de um trabalho de parto pra lá de complicado. Devia estar quentinho e gostoso lá na minha barriga e quem diz que ele queria sair de lá?
Mas nasceu. Num sábado, dia 5 de março de 1983. Nasceu meu primeiro filho. Eu, aos 24 anos, não poderia imaginar como seria minha vida dali pra frente.
- Mas ele não tem cara de Jonas! Vai ser Tomás, daí o apelido vai ser Tom.
Pronto. Nome escolhido.
Domingo chuvoso. O programa de toooooodo mundo foi ir até o Santa Catarina conhecer o bebê.
Mas ele teve icterícia e eu tive alta e ele não. Passei o tempo toooooooodo no berçário, tentando dar de mamar ao garoto. Lindo, saudável, gordinho, forte, um meninão.
Eu via aqueles bebês pequenininhos, que ficavam em incubadoras, e agradecia muito a Deus pelo meu filho saudável.
Resumindo, tive que voltar pra casa, tarde da noite, e deixá-lo ali, tomando banho de luz. Com o coração partido, fui.
Cheguei na vila (a gente morava em uma vila), e vi um monte de bandeirinhas. Mas era março... o que aquelas bandeirinhas faziam ali? No meio da vila, um cartaz: Benvindo, Tomás.
Dá pra imaginar o quanto chorei? Ele não tava ali comigo. Abracei as vizinhas, e chorei, chorei. Não preguei os olhos nquela noite.
Saí correndo pro hospital, olhei pelo vidro e vi um bebê ali, com os olhos vendados e peladinho, tomando banho de luz, bem onde estava o Tom na noite anterior. Mas não era o Tom, ele tava "de alta". Minha alegria foi aos píncaros. Agarrei a minha coisa mais preciosa desse mundo, entrei no banco de trás do fusquinha e rumei pra vila com meu pacotinho embrulhadinho pra casa.
Foi assim quando ele nasceu.
Agora, fez 24 anos e vai ser pai, com a mesma idade com que eu fui mãe.
Tom, seja muito, muito, muito feliz.
Porque o amor que nasceu naquele dia, quando vi a sua carinha pela primeira vez, só aumentou nesses anos todos.
Agora você vai descobrir como é ser pai. Sua vida vai dar um giro de 360 graus e ainda assim, você será pra mim, pra sempre, o mesmo menininho lindo, de cabelos cacheados que conquistou o meu coração por toda a eternidade.
Te amo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!