quinta-feira, novembro 05, 2015

A lenta morte da abelha



Entrou uma abelha aqui na minha sala e eu não queria matá-la. Fiquei esperando ela sair pela janela por onde entrou. Ela não saiu. Pousou ao lado da garrafa d'água. Ficou fácil colocar a garrafa em cima dela. O barulho cessou e eu pude voltar a trabalhar Mas não paro de pensar nela. Morte lenta e gradual. Coitada. Tô com pena dela e admirada com a minha crueldade. Pelo menos confessei meu crime.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!