quarta-feira, novembro 11, 2015

Não aceitamos devolução



Não se pode desejar o que um dia, espontaneamente, foi entregue. Cartões, poemas, amores, detalhes, uma tarde. Dos castanhos dos meus olhos até o lado mais confuso das minhas ideias, tudo foi dado a você.

Como irá se lembrar de mim? Não sei... Nem queria ter me despedido. Minha vontade era ser você e eu, eu e você. Não foi preciso um céu estrelado, uma tarde com céu azul para lhe dar tudo. Foi em um minuto, em um singelo beijo.

Dos detalhes seus dados a mim, faço o que o coração mandar. Por vezes, choro ou até escondo qualquer lembrança. Mas como esquecer o primeiro tocar de lábios? Em qual gaveta devo trancá-lo?

Um dia, talvez, espero não lembrar os traços do seu rosto, o gosto da sua boca, o som da sua risada. Sentirei que algo aconteceu. Você permanecerá na minha memória, distante.

Mas, a verdade é que não pretendo esquecer. Amores que não querem ser lembrados nem são contados, tampouco escritos. E se um dia você não mais se lembrar de mim, se eu desaparecer naquele blues, em novos beijos, no silêncio sussurrado do seu quarto, em outros sexos, ainda sim estarei aqui. Nesta história.

Luciana Praxedes

(19 de abril de 2011)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!