domingo, abril 02, 2006

Crise existencial, profissional, pessoal, animal....

Como anunciei aqui no domingo passado, tivemos uma semana cheia no trabalho. Cheia de complicações, reclamações, acusações, reflexões. Quando o cliente resolve fazer alguma coisa, não há assessor de imprensa que o faça mudar de idéia. Talvez alguns jornalistas não acreditem que o mundo funciona assim, mas é.

Relembrando Caetano, quando ele fala da “força da grana que ergue e destrói coisas belas”, é mais ou menos isso o que acontece. Não adianta chorar, reclamar, berrar ou se revoltar. A verdade, nua e crua, e com a qual a gente tem que aprender a lidar é que vivemos em uma sociedade capitalista, portanto, manda quem tem mais grana. Fazer o quê? E é assim que funcionam, tanto o jornalismo, quanto a publicidade. Quem paga o salário do assessor é o cliente e quem paga o salário do jornalista é o anunciante. Simples assim. Estamos em pleno sistema capitalista. Tentaram mudar isso no passado, mas não deu. Tudo continua igual. As pessoas continuam querendo se dar bem. Ter um belo emprego, um bom trabalho, um belo carrão, poder. E estão dispostas, muitas vezes, a qualquer coisa p/ conseguir isso.

Eu penso diferente. Acho que cada um de nós tem apenas o dever de fazer o bem, sem olhar a quem e de tentar amar o próximo, como Jesus veio ensinar. De agüentar as barras que tiver que agüentar, obviamente tentando mudar p/ melhor o que for possível de ser mudado. Sei que isso não combina com o ambiente corporativo. E isso é um baita conflito pra mim. No sábado de manhã, na Seara, o mundo repentinamente fica perfeito, e eu enxergo tudo com clareza. Mas é só sair de lá pra tudo se confundir de novo.

Quis ressuscitar o blog coletivo que fala dos bastidores da assessoria de imprensa, mas não consegui formular um texto com pé e cabeça. Deu nisso aqui, que tem cara de “Consulta Sentimental” mesmo.

Tô do lado da minha amiga querida, a Alê, uma profissional competente e dedicada, como se vê bem poucas por aí. Ela não merecia passar pelo que passou essa semana. Tantas coisas piores aconteceram nas nossas barbas e ficaram em surdina... Não foi justo acontecer o que aconteceu com ela, com a gente, com a firma, essa semana.

E mais grave ainda. Pra mim, isso o que aconteceu significa uma reflexão de vida. Muito, muito séria. É duro você chegar à beira dos seus 50 anos e ver sua vida ainda indefinida... O que fazer? Jogar tudo pro alto e mudar de vida? Como? Se tudo depende mesmo da grana... Vou começar a semana assim, em crise existencial, pessoal, profissional. É uma crise "animal"... Mas acho que as crises são coisas boas pra fazerem a gente pensar, refletir e tomar atitudes... Quando eu conseguir chegar a uma conclusão, volto pra contar.

4 comentários:

  1. Anônimo8:16 PM

    estou passando por isso! péssimo...

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante vir alguém aqui hoje comentar esse post de 2006! Como a vida é cíclica e repetitiva!

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante vir alguém aqui hoje comentar esse post de 2006! Como a vida é cíclica e repetitiva!

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante vir alguém aqui hoje comentar esse post de 2006! Como a vida é cíclica e repetitiva!

    ResponderExcluir

Sua participação é muito importante para nós!