quarta-feira, julho 07, 2010

Chocante?


De novo, falando de aborto..... Já comentei sobre esse assunto em outros dois posts no meu outro blog, meio abandonadinho, o Efeito Pimenta.

Já recebi por e-mail duas vezes esse texto que você vai ler. Então, achei que era um "sinal" pra eu publicar aqui para os meus queridos/as leitores/as:

*O MÉDICO E O MONSTRO*

Preocupada, uma mulher procurou seu ginecologista:
- Doutor, eu estou com um problema muito sério e preciso da sua ajuda desesperadamente! Meu bebê não tem um ano e eu estou grávida novamente. Eu não quero outro filho.

Então o médico disse:
- Em que exatamente você quer que eu a ajude?
- Eu quero fazer um aborto!

Depois de pensar por alguns instantes, o médico falou:
- Olha, eu tive uma idéia que me parece melhor e também é menos arriscada.

A mulher sorriu satisfeita. Então o médico continuou:
- Veja bem, para que você não tenha que tomar conta de dois bebês, vamos matar esse que está nos seus braços. Assim, você poderá descansar até que o outro nasça. Já que vamos matar um dos seus filhos, não importa qual deles. Dizem que os filhos são todos iguais para as mães. Não é mesmo? E, além do mais, sua vida não correrá risco com procedimentos cirúrgicos, se você escolher esse aí para matarmos.

A mulher ficou horrorizada com as palavras do médico e disse-lhe:
- Que monstruosidade o senhor está me propondo. Matar uma criança é um crime!

O médico respondeu-lhe:
- Eu concordo. Mas eu pensei que isso não fosse problema para você. Eu só estou sugerindo que você troque o filho que será morto.

Pelo semblante da mulher, o médico viu que tinha conseguido esclarecer seu ponto de vista. E ele a convenceu que não há diferença entre matar uma criança que está nos braços ou uma que está no ventre. O crime é o mesmo.

8 comentários:

  1. =o Que texto Silvia... Meeeu.. fiquei booba... Muito massa a atitude desse médico. Ruim seria se a mulher aceitasse matar o filho que já está vivo :s
    Outro Blog?? Pensava que você só tinha o Consulta e o casa amarela 140 (acho que é esse o nome).

    ResponderExcluir
  2. Fantásticooo!
    Ameiii!!!

    Vou passar para uma amiga este tecto, poi ela pensa em fazer isso, e eu não consigo mostrar a ela o tamanho do crime!

    bjk!
    Lu

    ResponderExcluir
  3. Resposta na ponta da língua Silvia

    bom domingo

    bj

    ResponderExcluir
  4. É perfeito, o texto...
    Se todas as mulheres tentadas a fazer um aborto dessem de cara com ele, com certeza, o número de crimes (porque pra muita gente pode não ser um crime mas pra mim é) praticados seria reduzido.
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  5. é mesmo muito bom esse texto... é um chamamento a responsabilidade...
    parabens pelo blogs

    ResponderExcluir
  6. Ô Silvia, porque as nossas mães, quando estão na TPM, qualquer coisinha errada que a gente faça parece que o mundo acabou?!

    ResponderExcluir
  7. Oi Sil, adorei o texto. Eu ainda fico muito indignada e triste ouvindo mulheres (e muitas meninas aqui do meu trabalho, de 20 e poucos anos) falando que elas é que "têm direito de escolher se querem ou não ter o filho", como se isso fosse uma coisa ruim. É a maior benção que uma mulher pode ter e deveriam agradecer a Deus por isso e não pensar que "um filho" irá atrapalhar sua vida. É o cúmulo do egoísmo. Bjs

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia esse texto. Forte, como o tema pede, para alertar àquelas que se julgam Deus.
    Uma das bandeiras da minha época de mocidade espírita era contra o aborto. (Já leu o livro Deixe-me viver, do Luiz Sérgio? Excelente!). E sinto não ter ajudado com as palavras certas, como deveria, uma amiga que engravidou na mesma época em que eu tive o Gui...
    Beijos

    ResponderExcluir

Sua participação é muito importante para nós!