segunda-feira, dezembro 15, 2003

Sol e chuva, casamento de viúva. Chuva e sol, casamento de espanhol
Não entendo como a maoria das pessoas prefere o calor ao frio.

Pelo menos sei que a Josélia Pegorin, a "mulher do tempo" que fala da rádio Eldorado, não acha que "tempo bom" é "com sol". Isso de tempo bom é muito relativo. Eu, por exemplo, nunca vi neve na minha vida e não posso imaginar nada mais emocionante do que fazer um boneco de neve, uma guerra de bolas de neve... ver a neve caindo, coisas assim.
Nem digo esquiar, porque não chego a sonhar tão alto.

Isso tudo piorou depois da minha primeira viagem internacional. Comecei em grande estilo: fui passar a virada de 2000 para 2001 em Paris! Tinha uma microcozinha no quarto, coisa bastante prática e econômica.

Bonne anné! - era o que mais se ouvia nas ruas. Chovia e fazia muito frio. Ficamos em uma fila quilométrica no meio da calçada da Champs Elisées para conseguir entrar em um restaurante com uns amigos que moram em Portugal. A chuva começou a se solidificar e fiquei animadíssima esperando a neve (que nunca chegou). Mas enfim, estávamos todos felizes. E fazia um frio danado! Conclusão: toda vez que faz um dia nublado, frio, molhado, eu me lembro de Paris e fico feliz.

A coisa toda piorou ainda mais depois que fomos passar o carnaval em... Londres no ano passado. As reportagens de turismo diziam que se a pessoa não levar um guarda-chuva na bagagem vai acabar tendo que comprar um lá. Ficamos molhados uns dois dias, andando sob a chuva londrina. Quando finalmente cedemos e resolvemos comprar o tal guarda-chuva, depois de um passeio molhado ao parque St. James, a chuva repentinamente parou. E não choveu mais no resto da temporada londrina, que só durou alguns dias...

Chuva? Frio? Quem se importa, estando em Paris ou em Londres?
Morrer de calor em São Paulo - no meio do asfalto derretido - é mil vezes pior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!