domingo, setembro 05, 2004

Sei lá. Mil coisas.
Bom, é o seguinte.
Brasília.
Quem quer que vá a Brasília não pode ficar indiferente ao clima de patriotismo, de nacionalismo, que a cidade emana. Aquela atmosfera de poder, misturada ao ranço do funcionalismo público, sabe? Naquele lugar definem-se os rumos do Brasil. Você começa a achar que o Hino Nacional é lindo, a bandeira tremulando em uma das pontas da Esplanada dos Ministérios, idem.
Ainda mais quando se chega à cidade perto do Sete de Setembro, aí a coisa fica ainda mais exacerbada.
Nacionalismo e patriotismo dão, mais do que nunca, o tom da cidade. Os ministérios ganharam bandeiras verdes e faixas amarelas para o grande dia. Chique.
Nos gramados, que se esforçam como podem para ser verde-pálidos, com toda aquela secura, tufos de flores inesperadas alegram o lugar. Bonito.
Candango pra tudo quanto é lado - e eu, que não sabia direito o significado da palavra, me detive nela. Tem até um bairro (acho) chamado Candangolândia.
Dígito, não te vi...

Rússia
Fomos hoje na porta do consulado da Rússia depositar uns vasos de flores e uma faixa, onde pintamos a palavra "Peace". Idéia e mérito do Guilherme. Ele entrou no Orkut. Mas tem poucos amigos... Procurem por ele lá - Guilherme Schibik.



Guilherme, Marjorie (Biba), Silvia e Giulia (amiga da Biba que está passando esses dias com a gente).

Link
Corrijo uma falha, hoje. Entra o link para o blog da Zana!

Felicidade
Quem falou foi o psicanalista e colunista da Folha Contardo Calligaris, em entrevista para a Claudia de setembro:
"Não diria que desejo apenas felicidade aos meus filhos, porque desse modo eles não conheceriam uma ampla parcela da existência, que inclui medos, separações, perdas, dores, doenças. Tudo isso faz parte da experiência humana. Eu acho que vida boa é aquela vivida intensamente, com todo o seu leque de emoções".
Eu também acho.

Confissão
Desde que eu tinha uns 13 anos, por aí, eu tenho um diário. Por isso é tão fácil e gostoso pra mim vir aqui escrever no blog. Mas devo confessar que o blog não substituiu meu caderno pautado de capa dura. Ele continua lá e é muito útil para eu escrever quando estou chateada ou com raiva.
Tento poupar meu leitor online dos dissabores da minha pobre vida.

É isso, como diria o Pasquale. Falei tanto... Tava com saudades.
Bom feriado, pra quem se der o trabalho de vir até aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!