domingo, fevereiro 11, 2007

Por que não comento sobre certos fatos

Primeiro, porque a proposta do meu blog é outra. Mas não é só isso.
Escrevi agora um e-mail para o meu pai (ele me mandou um e-mail sobre o fato dessa semana) e resolvi compartilhar minha opinião com você, que vem me visitar aqui.
(Milton, que coisa chata essa dos comentários... vou tentar incluir outra forma de comentar aqui, vamos ver se consigo).

Oi, Papai, querido, tudo bem??
Sabe? Eu não li este e-mail. Só passei os olhos e vi o assunto, mas não li. Como tb mudo de canal quando passam notícias sobre esse fato.
Isso porque eu acredito que todas as coisas (todas, sem exceção) têm uma razão de ser, que muitas vezes foge à nossa compreensão. "Nenhum fio de cabelo nasce ou cai da nossa cabeça sem o consentimento de Deus, nosso Pai"...
Por enquanto, estamos todos aqui na Terra tentando acertar, tentando fazer com que o planeta passe de um mundo de expiação e provas para um mundo de regeneração. Alguns de nós estamos tendo nossa última chance antes dessa grande mudança que irá acontecer. Alguns de nós iremos para um planeta mais atrasado, assim como era a Terra na época das cavernas, onde cada um tinha que lutar pela sobrevivência de um modo feroz. Outros de nós prosseguiremos nossa evolução juntamente com a do nosso Planeta. Eu rezo para que todos meus parentes e amigos estejamos nesse segundo grupo. Por isso, acho que não devemos, nós, espíritas kardecistas critãos, pelo menos, alimentar a energia de fatos como esse. Não devemos comentar, não devemos nem nos revoltar, nem nos comover exageradamente, pois esse tipo de atitude não ajuda em nada. Isso não quer dizer reagir com indiferença. Muito ao contrário.
Devemos sim rezar pelas almas que estão envolvidas nessa tragédia, devemos vibrar por todos eles (vítimas e algozes) e pedir a Deus que olhe por eles e por nós.
Pelo menos foi isso que aprendi nos meus anos de estudo (vários anos).

-----
É isso.
Não se trata de conformismo, como pode parecer, mas de atuar em um outro nível de ação, a favor do Bem (e não contra o Mal). Será que dá pra me entender??

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós!